Radarbox mostra que Brasil diminuiu número de voos enquanto EUA e China seguem fluxo aéreo normal #boato

Boato – O Radarbox mostrou que o Brasil diminuiu número de voos enquanto EUA e China seguem fluxo aéreo normal. Ao navegar pelo site, é possível analisar o tráfego de aeronaves nesses países, que não está parado, como aparece na TV. É uma mentira!

Na internet, não se fala em outra coisa sobre a necessidade do isolamento social e quais cidades ou países realmente estão cumprindo a quarentena em meio à pandemia do novo coronavírus.

Neste sentido, começou a circular essa semana, principalmente no WhatsApp, um vídeo mostrando o site de monitoramento de voos Radarbox, que teria apontado que somente o Brasil diminuiu o número de voos, enquanto países como EUA e China supostamente seguem o fluxo aéreo normal.

A navegação pela plataforma é feita por um homem, que grava tudo e explica o tráfego de aeronaves nesses e em outros países: “Não estão parados, como estamos vendo na TV. É mentira! […] Continue acreditando na Rede Globo, viu? […] Os países ricos e desenvolvidos continuam escorando no resto do mundo”, diz ele no vídeo.

O texto original da publicação diz o seguinte “tirem suas conclusões. www.radarbox.com” que está compartilhando o vídeo e a transcrição do que o homem fala na gravação:

Transcrição do vídeo: “Olá! Bom dia! Hoje é dia 11 de abril de 2020, uma hora da tarde. Eu estou na Itália. No Brasil, são 8h19. Eu vou mostrar para vocês aqui o site radarbox.com, que é o site que você pode ver o fluxo aéreo mundial ao vivo. Todos os voos ao vivo. Qual que é o objetivo desse vídeo? Fazer você entender o que está acontecendo no mundo, se realmente todos os países estão fechados conforme nós vemos na TV. Vídeos e fotos de tudo parado, tudo fechado, ninguém na rua. Vamos ver se realmente é isso que está acontecendo. Nós vemos que aqui América do Sul realmente está tudo parado. Isso aqui não é o fluxo normal do Brasil. Quantidade voos no sábado de manhã é absurda. Venezuela, Colômbia e Peru, nada de voos. Realmente estamos de quarentena aqui na América do Sul. […] Vamos para o norte da Europa. Os países ricos da Europa. Alemanha. Alemanha é onde tem um caos, né? Está tudo parado… Olha lá como é que estão os aeroportos. Não estão fechados, como nós estamos vendo na TV. Mentira! Aqui é muita aeronave e a grande maioria tudo comercial, tá? 90% aqui é voo comercial. […] Agora, vamos ver os donos da arte: Estados Unidos e China. Não assusta não, tá? Isso é Estados Unidos. Dá uma olhada. Está vendo a quantidade de voo que tem aqui? Olha isso! Carolina do Norte, Pensilvana, Georgia… Dá uma olhada. Tudo parado, né? Não tem ninguém fazendo nada aqui, não. Está todo mundo em casa de quarentena. Olha isso, que absurdo. […] Vamos ver a nossa querida China. Olha isso. Estão entendendo o que está acontecendo no mundo? A China não era para estar assim, né? Mandando voo para o mundo inteiro? Estão entendendo o que está acontecendo? Olha isso aqui, cara. […] Estão parados os Estados Unidos, viu? Continue acreditando na Rede Globo, viu? Acreditando que está tudo parado, todo mundo em quarentena e fica em casa. Continua acreditando, tá? Isso aqui não é um vídeo político não, que eu não tenho partido político e não voto. Não voto em ninguém. Não tenho partido político, tá? Não voto, nunca votei, nunca perdi o meu tempo. Mas está errado isso daqui. Os países ricos e desenvolvidos continuam escorando no resto do mundo”.

Radarbox mostrou que Brasil diminuiu número de voos enquanto EUA e China seguem fluxo aéreo normal?

O vídeo viralizou rapidamente, já que o vídeo apontando o tráfego de aeronaves no site de monitoramento, aparentemente, é bem convincente. Mas será mesmo que o Radarbox mostrou que o Brasil diminuiu o número de voos enquanto os EUA e China seguem o fluxo aéreo normal? A resposta é não! E o porquê você confere a seguir, em detalhes.

Para começo de conversa, a mensagem do vídeo traz todas as características de fake news: é vaga (não se baseia em dados e análises mais precisos sobre a quantidade de voos nos continentes), alarmista (tem o intuito de convencer as pessoas a não aderirem à quarentena), possui erros de português e não cita fontes confiáveis que possam confirmar o que está sendo dito.

Em segundo lugar, este não é o primeiro boato sobre a pandemia de coronavírus que utiliza “dados errados” para tentar convencer os internautas. Aqui no Boatos.org, nós já desmentimos, por exemplo, o que falava de uma falsa tabela do Datasus que divulgou número de mortes em 2020, comprovando que a Covid-19 mata muito menos que outras doenças; outro que teria comprovado que o H1N1 mata mais do que o novo coronavírus; e, ainda, de um suposto estudo do Virology Center de Moscou (Rússia) que descobriu que organismos com pH maiores que 5,5 são imunes à Covid-19.

Além disso, ao acessarmos o site Radarbox, realmente conseguimos observar que o fluxo de voos em países como os EUA e China é, de fato, maior do que no Brasil. No entanto, isso não quer dizer que a quantidade foi reduzida apenas aqui.

Tanto é que a própria página no Facebook do site de monitoramento aéreo divulgou a redução de voos em vários países, incluindo nos Estados Unidos. Ao analisarmos o gráfico publicado lá, é possível perceber que, a partir da metade de março de 2020, o número de voos nos EUA sofreu uma grande queda.

Especificamente, na data de 11 de abril, mesmo dia em que foi gravado o tal vídeo, a redução foi de 62,66%, já que apenas 8.759 voos domésticos foram operados dentro dos EUA ante os 27.443 registrados em um dia normal no país, se compararmos ao mesmo período em 2019.

O mesmo aconteceu no Reino Unido, que, na mesma data, operou apenas 21 voos ante os 823 em um dia normal no mesmo período do ano passado (redução de 91,01%) e, também, na cidade de Mumbai, na Índia, que registrou somente 37 voos na comparação com um dia normal, quando chegava a operar 700 voos domésticos (redução de 96,15%).

Inclusive, ainda na página do Radarbox no Facebook, também foi publicado um vídeo que mostra o fluxo no espaço aéreo dos Estados Unidos antes e depois da pandemia do novo coronavírus:

A descrição do vídeo postado ressalta o impacto da Covid-19 no setor de aviação e como os países estão tentando lidar com a crise:

“Estados Unidos – Espaço aéreo antes e depois do COVID-19 – Como a disseminação do coronavírus continua afetando países em todo o planeta, o impacto na indústria da aviação tem sido particularmente forte. Os vôos comerciais caíram de um penhasco nas últimas semanas, enquanto as companhias aéreas tentam lidar com as consequências da pandemia global”.

Resumindo: A publicação que dá conta de que o Radarbox mostrou que apenas o Brasil diminuiu o número de voos, enquanto os EUA e China seguem o fluxo aéreo normal não é verdadeiro. O site também aponta a redução de voos nesses e em outros países. O fato é que a quantidade de voos aqui é menor do que nos EUA e Europa naturalmente, com ou sem pandemia.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61) 99177-9164.

Confira a lista de todas as fake news sobre o novo coronavírus

Clique nos links “bit.ly” para acessar nossos perfis:

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp http://bit.ly/2yOF9Hf