Nova York acabou de aprovar aborto até um dia antes do nascimento #boato

Boato – Nova York aprova lei que permite aborto até um dia antes do nascimento do bebê, caso haja problemas de bem-estar para na gestação. 

Embora no Brasil seja um assunto ainda gere muitos tabus, em alguns lugares do mundo, o aborto é legalizado (como é o caso da Argentina que, em dezembro de 2020, aprovou a legalização do aborto).

Nos últimos dias, uma mensagem que circula nas redes sociais reacendeu o debate sobre o tema. A publicação aponta que Nova York aprovou a legalização do aborto até “um dia antes do nascimento”. Leia o que diz a mensagem:

ABORTO APROVADO ATE UM DIA ANTES DO NASCIMENTO. Vcs ainda acham que estamos “Brincando” , de servir DEUS e “combater” O MAL. Olha o que a esquerda “conquistou” em Nova York. Caso aja  “risco de bem-estar” para a gestante” lembrando que o prefeito de lá é o mesmo que diz odiar o Presidente Bolsonaro. Lei arbitrária e subjetiva também garante 6 meses de aborto grátis e mais 3 se houver alegação de “risco de bem-estar” para a gestante. O Estado de Nova Iorque aprovou a lei mais extrema que já existiu nos Estados Unidos em relação ao extermínio de seres humanos no ventre materno: as mulheres poderão abortar até nada menos que um dia antes do nascimento do bebê […]

Nova York acabou de aprovar aborto até um dia antes do nascimento?

É óbvio que o assunto não passou despercebido pelo Facebook e gerou muita discussão sobre Deus, Bolsonaro e os direitos reprodutivos das mulheres. A notícia fez sucesso, mas a “cereja do bolo” está na própria legislação citada que, além de não ser tão nova, não permite o aborto indiscriminado.

O primeiro indício encontrado na publicação está no histórico de boatos sobre o assunto. Se você não é novo por aqui, já sabe que volta e meia aparecem histórias envolvendo o tema com interpretações equivocadas sobre projetos ou leis aprovadas, como no caso da França e da Câmara dos Deputados, que foram desmentidas pelo Boatos.org.

Inclusive, o boato envolvendo a França é bem semelhante. Na época, o texto apontava que a Assembleia Nacional Francesa havia aprovado o aborto em qualquer período da gravidez. Porém, o que aconteceu foi uma distorção de uma lei aprovada na França sobre o aborto. A lei, por sinal, não tratava da aprovação da legalização do aborto e sim uma modificação em uma regulamentação que já existia.

No caso de Nova York, a legislação em questão não é recente, é de 2019, o que elimina a hipótese de que “acabaram de aprovar”. Mas não é só isso: a lei não permite o aborto indiscriminado. Na verdade, as mulheres podem interromper a gestação antes de 24 semanas. Após as 24 semanas, o aborto só pode ser realizado em caso de inviabilidade fetal ou que o procedimento seja necessário para proteger a vida ou saúde da paciente.

Pois bem, a interrupção da gravidez, no caso de uma decisão clínica, é permitida até o fim da gravidez. Porém, independente da decisão da mãe, o aborto precisa de uma indicação médica, conforme explica essa matéria.

Além disso, a publicação também foi desmentida por outros sites de checagem. O FactCheck.org e informou que a lei permite o aborto após 24 semanas se um profissional da saúde determinar que a saúde ou a vida da mãe está em risco ou se o feto não é viável. A Politifact também desmentiu a informação e classificou a história como falsa.

Resumindo: Nova York não acabou de aprovar aborto até um dia antes do nascimento. A informação é fruto de muito alarmismo e interpretações equivocadas. Ou seja, #boato.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164. 

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp http://bit.ly/2m2887O
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK