Revista Veja fechou e funcionários gravaram impressão da última edição #boato

Boato – A Revista Veja fechou e os funcionários gravaram a última edição que foi vendida. Em vídeo, eles se despedem uns dos outros enquanto filmam os exemplares.

Não é novidade para ninguém que a gestão do presidente Bolsonaro tem sido pauta de vários artigos publicados nos últimos meses em algumas das maiores revistas do mundo, principalmente em relação às medidas de combate à Covid-19, como é o caso da The Lancet e da The New York Review of Books. Aqui no Brasil, algumas das revistas que também se posicionaram contra algumas decisões do chefe do Executivo até viraram alvos de fake news compartilhadas por internautas pró-governo.

Uma publicação que começou a circular recentemente, por exemplo, aponta que um dos veículos mais conhecidos por “atacar” o presidente, a Revista Veja, teria fechado as portas. A prova seria um vídeo que está sendo compartilhado, em que os funcionários aparecem gravando “a última edição que foi vendida”. Um homem filma tudo, fazendo um “tour” pela gráfica e se despedindo dos outros funcionários que estão fazendo a impressão dos exemplares, enquanto estes operam várias máquinas no local. Confira, a seguir, o texto original da publicação que está rodando online e a transcrição do vídeo em questão:

Texto da publicação: *Bateu tanto no Bolsonaro que perdeu a credibilidade!**Teve que fechar porque não estava vendendo como vendia e os anunciantes sumiram!**REVISTA VEJA do Grupo Abril da Globo fechando as suas portas!*

Transcrição do vídeo: “Rapaziada, esse é um o vídeo de despedida, viu? Último dia de Veja. Todo mundo na correria. Thiagão, manda um salve aí pro pessoal… Último dia de Veja. Igor, o meu querido… […] Tá certo… Essa é a face, a milhão, pra encerrar o último Veja do ano. Aliás, último Veja da Editora Abril. Aqui, está a rapaziada da saída… Pássaro, vulgo voador… Beleza, Pássaro? Aqui estão as meninas, segurando a última Veja. É isso aí, pessoal! Todo mundo focado… Todo mundo trabalhando… O empilhador encostando o segundo caderno de Veja, a última que ele vai encostar… […]

É uma pena ver isso tudo parado. Em plena sexta-feira, apenas três máquinas rodando no acabamento. E resto, tudo parado… Réles 2 parada… JGV7 parada. Agora, chegando na Réles 4…. O Roper a milhão… Réles 4, gente. Soninho fazendo conserto… Manda um salve aí pra rapaziada, Pepeu e Geovane arquitetando alguma coisa para depois do Veja todo mundo se reunir para tomar Coca-Cola. É isso aí! Aqui, eu encerro a última gravação. Valeu, pessoal! Valeu, Editora Abril! Valeu, companheiros!”.

Revista Veja fechou e funcionários gravaram a última edição que foi vendida?

O vídeo viralizou rapidamente nas redes sociais, especialmente no Facebook e WhatsApp. No entanto, a história não procede.

E desconfiamos disso, a princípio, por conta de alguns indícios presentes na mensagem da publicação que são comumente vistos em fake news: é vaga, alarmista (tem o intuito de gerar debates políticos entre os internautas), possui vários erros de português e não cita fontes confiáveis.

Em segundo lugar, não é de hoje que surgem boatos online com acess à imprensa, amplamente compartilhados por bolsonaristas. Aqui mesmo, no Boatos.org, nós já desmentimos vários deles, como o que dizia que um jornalista Maju Coutinho teria sido removido da Globo por causa de briga com Bolsonaro e outro que apontava que Vera Magalhães receberia R $ 500 mil de Doria (TV Cultura) para falar mal de Bolsonaro .

No caso do vídeo de hoje, ele até é real. As imagens foram gravadas no parque gráfico da editora e o homem que filma fala a verdade. No entanto, a história foi mal interpretada. A “última edição da Veja” (com a capa que retratava o ataque ao Capitólio nos EUA) a qual ele se referia era a última do parque gráfico da Abril.

Portanto, o que o funcionário estava retratando no vídeo era o fechamento do parque gráfico da Editora Abril, que já era previsto desde a definição do processo de recuperação judicial da empresa, com a entrega do prédio na Marginal Tietê, que abriga o parque gráfico. Com isso, todas as revistas da editora passam a ser impressas em gráficas terceirizadas, o que já ocorre há algum tempo com parte das publicações da Abril.

No entanto, independente de toda essa situação, é falsa a informação de que a revista Veja fechou. Tanto que a edição seguinte já foi publicada (não conseguimos verificar se, de fato, ela já foi impressa em uma gráfica terceirizada ou o trabalhador estava enganado). 

Mais que isso, também não é verdade que a crise da Editora Abril tenha alguma coisa a ver com Bolsonaro. Ela (que culminou no encerramento de algumas publicações e até em um pedido de recuperação judicial) já existia desde antes dele assumir a Presidência da República. E, por fim, vale dizer que o Grupo Abril não é da Globo, como aponta o boato.

Resumindo: A publicação que dá conta de que a revista Veja fechou e que os funcionários teriam gravado um vídeo com a última edição que foi vendida é falsa. Apesar de o vídeo ser real, o que o funcionário retrata no vídeo é, de acordo com ele, a impressão da última edição antes do fechamento do parque gráfico da Editora Abril.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164. 

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/318Tn5c
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK