Justiça condena homem a pagar indenização por ter colocado ex-mulher de quatro #boato

Boato – Uma mulher do Amapá vai receber uma indenização de R$ 50 mil do ex-marido. O motivo está no fato de ele ter colocado ela na posição

Entre 2015 e 2018, um tipo de boato estava, digamos, em alta na internet: o da “história bizarra publicada por um blog caça-clique”. A intensificação da fiscalização contra as fake news, o corte (em parte) de formas de financiamento e medidas tomadas por redes sociais para diminuir o alcance de links fez com que esse tipo de fake news não viralizasse tanto. Porém, ainda há resquícios. E hoje vamos falar de um deles.

De acordo com publicações em site e blogs (independentes ou ligados a veículos pequenos), uma mulher do Amapá conseguiu uma indenização de R$ 50 mil do ex-marido. O motivo? Ele a ter colocado de quatro durante o casamento. A alegação, de acordo com a “notícia”, era de que ele tratava a ex-esposa como uma égua. Leia trechos do texto (que era acompanhado de imagens da suposta mulher e de um cavalo):

Justiça ordena que homem pague indenização por ter colocado ex-mulher de quatro “Me tratava como uma égua”. Uma mulher do estado do Amapá processou o marido por ele ter obrigado ela a ficar de quatro. […] No processo, o ex-marido terá de pagar R$ 50 mil por danos morais, já que a situação teria causado “imenso constrangimento, aborrecimento e humilhação” à mulher. 

Justiça condenou homem a pagar indenização por ter colocado ex-mulher de quatro?

A história se espalhou muito na internet e, por causa da foto, fez com que muita gente ficasse do lado do homem e soltasse “impropérios” contra a mulher. Mas será mesmo que essa informação procede? A resposta é não. Calma aí que a gente explica tudo para vocês.

A solução para o caso é, como em tantos outros de histórias escatológicas (veja exemplos aqui, aqui e aqui), muito simples. O primeiro ponto que nos deixa desconfiados está na própria verossimilhança do “causo”. Um processo como esse, que expõe a intimidade do casal e não é tipificado no Código de Processo Civil, não faz muito sentido.

Para além disso, a fonte da informação entrega a farsa. O mesmo site que publicou o fake já publicou notícias falsas como a que aponta que Bolsonaro iria cancelar o Carnaval, do homem que processou o vizinho por não conseguir engravidar a mulher e tantos outras balelas por aí. Ao buscar pelo assunto em fontes confiáveis, nada encontramos.

Para terminar, as imagens utilizadas para “ilustrar o caso” nada tem a ver com o processo citado. A do cavalo é “genérica” na internet e a da mulher encontramos em sites. Ou seja: pegaram a foto e “jogaram por aí”.

Resumindo: a história que aponta que um homem foi processado pela ex-mulher porque colocava ela de quatro enquanto eram casados é falsa. É mais uma fake news criada por um site, digamos, especializado no assunto.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164.

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet