Fotos mostram animais feridos ou mortos por causa de queimadas na Amazônia #boato

Boato – Animais estão sofrendo com as queimadas na Amazônia e fotos mostram diversos deles feridos ou mortos.

O aumento de queimadas e do desmatamento na Amazônia têm gerado grande discussão sobre o assunto em diversos âmbitos da sociedade. Especialmente, nas redes sociais.

Em meio a tanta informação e discussões sobre o impacto dessas atividades, como a escuridão que tomou conta de São Paulo na segunda-feira (19 de agosto de 2019), uma publicação tem chamado a atenção.

De acordo com uma mensagem que está circulando nas redes sociais, as queimadas praticadas na floresta amazônica já fizeram diversas vítimas: os animais. Segundo imagens que acompanham a publicação, muitos animais teriam se ferido e até mesmo sido mortos em decorrência das queimadas. Confira:

Versão 1: Genteee, isso é floresta amazônica!!! Não é possível que algumas pessoas ainda defendam esse desgoverno contra políticas ambientais por favor, o coração de vocês não sentem pelos animais, e pela floresta!! Quando vão entender que dinheiro não se come

Versão 2: O aumento das queimadas na Amazônia aumentou em cerca de 88% em relação ao mesmo período do ano passado. Se você é contra a divulgação dos dados do INPE, então você também está colaborando para a morte de milhares de animais e plantas. Quem queria substituir o verde pelo carvão, deve estar orgulhoso!

Fotos mostram animais feridos ou mortos por causa de queimadas na Amazônia?

As imagens causaram verdadeira comoção nas redes sociais. Diversos comentários de indignação sobre o assunto também invadiram a internet. Mas será que as imagens realmente mostram animais mortos e feridos em decorrência das queimadas na Amazônia? A resposta é não e os detalhes você confere a seguir.

Vamos lá! Para começo de história, o texto apresenta as principais características de fake news na internet: é vago (não diz quando ou onde as fotos foram feitas, apenas cita que foi na “floresta amazônica”), alarmista, possui erros de português e não cita fontes confiáveis.

É importante lembrar que a internet possui um vasto histórico de fotos retiradas de contexto. A equipe do Boatos.org já esclareceu algumas delas, como o caso da foto que mostraria Lula correndo de militares durante a ditadura militar e também a imagem do bombeiro amarrando uma menina durante o suposto resgate em Brumadinho (MG).

Além disso, ao buscar pela origem das fotos, descobrimos que a Agência Lupa já checou e desmentiu a história de 4 das fotos. A primeira delas, que mostra um animal fugindo de um campo em chamas, foi registrada, em agosto de 2011, durante um incêndio em um canavial, em Sertãozinho (SP).

A segunda delas, que mostra uma onça pintada ferida (deitada no asfalto), já havia sido utilizada, em 2016, em uma nota da Polícia Rodoviária Federal que fazia um alerta sobre o risco de atropelamentos de animais fugindo da seca e das queimadas, no estado de Rondônia.

Já a terceira foto, onde aparece um tamanduá morto em cima de uma área queimada, foi registrada em 2011 e ilustra uma reportagem sobre um incêndio ilegal na cidade de Presidente Venceslau (SP). Por fim, a última foto, que mostra um bombeiro dando água para um tatu, foi publicada em 17 de agosto de 2019 em uma matéria sobre um incêndio em uma fazenda no Mato Grosso.

Em relação às outras imagens, descobrimos que elas também foram usadas fora de contexto. A da capivara morta, por exemplo, foi usada para ilustrar uma reportagem sobre queimadas em áreas urbanas, em Rondônia. Já a da anta queimada, foi feita após uma queimada no Cerrado.

Enquanto isso, a foto do lobo guará com uma das patas machucadas sequer é de um incêndio. A imagem, na realidade, mostra o animal, vítima de um atropelamento e com a pata quebrada, sob cuidados do Hospital Veterinário da UNESP, em Jaboticabal (SP).

A imagem do tamanduá com queimaduras, por outro lado, foi usada em uma matéria sobre queimadas no interior de SP. De acordo com a legenda da publicação original, em 2011, o animal teria sido encaminhado para tratamento em Jaboticabal (SP).

Já a da lebre queimada foi usada, inclusive, em outras fake news, em fevereiro de 2019. A da onça parda queimada, em cima de restos de folhagens, foi feita em 2018, durante um incêndio em uma plantação de cana, em Goioerê (PR).

Em relação à foto do filhote de onça, que aparece com um machucado nas costas, ela foi feita em 2009 e mostra o animal atropelado, depois de fugir de queimadas, em Corumbá (MS). Já a do tatu, queimado e morto, foi registrada em 2014, em Roraima. Por fim, a da onça, completamente queimada em um terreno, foi utilizada em uma matéria sobre queimadas na Amazônia e no Cerrado, em 2017.

Em resumo: a história que diz que fotos de animais queimados e mortos foram registradas por conta de queimadas na Amazônia é falsa! A maior parte das fotos não é recente e, além disso, muitas deles sequer foram registradas na Amazônia. Ou seja, as fotos foram retiradas de contexto e não passam de balela. Até a próxima!

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164. 

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)