China acabou com estoque de plástico do Brasil e comprou a Braskem #boato

Boato – A China acabou com o estoque de plástico do Brasil e comprou a Braskem. Não tem mais polietileno no mercado (matéria-prima do plástico) e, em pouco tempo, a indústria vai parar. Tudo para derrubar Bolsonaro.

Após o início da pandemia (muito provavelmente, pelo fato de o primeiro caso de coronavírus no mundo ter acontecido em uma cidade chinesa) a China virou alvo de vários boatos na internet. Muitos deles, estão relacionados não só ao vírus, mas também a teorias conspiratórias que acusam o país de tê-lo criado para “dominar o mundo” e salvar a sua economia, comprando empresas, realizando transações “suspeitas” no mercado internacional, atacando ou tentando invadir outros países e até tentando derrubar presidentes. Haja criatividade, viu?

E no nosso caso de hoje, em mais um episódio da série “China tenta derrubar o Brasil ou Bolsonaro”, uma publicação que começou a circular recentemente nas redes sociais dá conta de que a China supostamente acabou com o estoque de plástico do Brasil e comprou a Braskem, braço direito da Odebrecht, uma das maiores empresas brasileiras produtoras de resinas plásticas do mercado, para derrubar o presidente Bolsonaro.

Por isso, o polietileno, matéria-prima do plástico, estaria em falta no mercado, o que quer dizer que a indústria pararia em pouco tempo, prejudicando o Brasil (já que todos alimentos que precisam ser embalados em plásticos para chegar à população teriam os seus preços aumentados) e fazendo a população se revoltar contra o governo. Confira, a seguir, o texto original da publicação que está rodando online:

Versão 1: SERÁ QUE DEVEMOS ACEITAR ISSO =Sabem pq tudo está subindo?? Não tem mais resina plástica, polietileno matéria prima básica para indústria de plástico no mercado. Está tudo na mão dos Chineses. A China têm o monopólio da resina. Tudo que foi importado é dominado pela braskem da Odebrecht Em pouco tempo, uns 40 dias a indústria vai parar . Versão 2: A BRASKEM DO GRUPO ODEBRECHT PRUDUZ POLITILENO. E MONOPÓLIO PERTENCE A CHINA Versão 3: AUMENTO NOS PREÇOS =FALTA DE RESINA PLÁSTICA =MONOPÓLIO DA CHINA=BRASKEM =ODEBRECHT=PT=GOLPE PRA DERRUBAR BOLSONARO

China acabou com estoque de plástico do Brasil e comprou a Braskem?

A publicação viralizou rapidamente nas redes sociais, principalmente Facebook e Instagram. Mas, assim como em tantos outros fakes atribuídos à China depois dessa pandemia, a história de hoje não procede.

Para começar, a mensagem da publicação que está sendo compartilhada carrega todas as características de fake news: é vaga (não diz quando a China teria comprado a Braskem, por exemplo), alarmista (tem a intenção de gerar burburinho em torno de teorias conspiratórias sobre a China), possui erros de português e, o mais importante, não cita fontes confiáveis de notícias que possam confirmar o que está sendo dito.

Em segundo lugar, como falamos, este não é o primeiro boato que surge na internet sobre a “China ter comprado tudo ou comprado o Brasil”. Inclusive, aqui no Boatos.org, nós já desmentimos vários deles, como aquele bem parecido com o fake de hoje, que dizia que a China teria comprado todo o estoque de soja do Brasil para derrubar Bolsonaro; outro sobre o país ter comprado em massa várias empresas brasileiras, como a Band e a Globo; ou, ainda, sobre uma falsa compra de cooperativas no Paraná durante a pandemia.

Assim como nestes casos, a história de hoje tem algumas inverdades. A primeira delas é a que fala que a China tem o “monopólio” do plástico. Assim como no caso de outros produtos, é verdade que o país é líder mundial, mas não significa que seja o único.

Na realidade, o Brasil é um dos quatro maiores produtores de plástico do mundo, com 11,355 milhões de toneladas, ficando atrás apenas de Estados Unidos, China e Índia, de acordo com dados do WWF (Fundo Mundial para a Natureza) com números do Banco Mundial.

Sendo assim, o mercado interno é, na maioria das vezes, suprido. Inclusive, em uma entrevista, o representante de uma distribuidora da Braskem deixou claro que não faltou resina plástica nem mesmo no auge da pandemia. Prova disso é que só no primeiro semestre deste ano, o volume da produção de embalagens flexíveis pela indústria brasileira ultrapassou um milhão de toneladas.

Ou seja, tudo isso derruba a tese de que dependemos da China para produção de plástico e de que tivemos problemas na indústria pela falta de resina. Por fim, outra inverdade da publicação que está sendo compartilhada é sobre a China ter comprado a Braskem. A empresa brasileira produtora de resina termoplástica pertence aos grupos Oderecht e Mariani, que são brasileiros. Não tem nada a ver com qualquer empresa chinesa.

Resumindo: A publicação que dá conta de que a China acabou com todo o estoque de plástico do Brasil e comprou a Braskem não é verdadeira. A produção brasileira de plástico nunca parou e a Braskem continua pertencendo à Odebrecht, que é uma empresa brasileira, e não chinesa.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164. 

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/318Tn5c
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK