O melhor do Boatos.org em 2017, por Hellen Bizerra

Com o fim de mais um ano se aproximando, a equipe do Boatos.org elegeu o clássico top 5 das balelas de 2017. Confere aí a lista de Hellen Bizerra, segunda parte de nossa retrospectiva. 

As grandes emissoras de televisão provavelmente já estão trabalhando na seleção de imagens, histórias e gravações, fazendo aquele clássico compilado para a Retrospectiva 2017. Como nós do Boatos.org também gostamos desse tipo de tradição, cá estou para outra vez falar sobre as 5 mentiras da internet que mais me chamaram atenção este ano. Afinal, fim de ano é isso não? Um balanço geral, reflexões, e claro, o nosso top 5.

Assista: Equipe do Boatos.org escolhe em vídeo, os dez principais boatos de 2017

Em 2017 elegi minhas histórias sem critérios específicos. Selecionei as cinco histórias que mais me marcaram por suas singularidades, elas têm bem pouco em comum, na verdade. Então vamos lá.

5) A ONU sabia sobre o terremoto do México (24/11)

O primeiro boato que compõe a minha retrospectiva é essa história absurda de que a ONU previu que haveria o terremoto do México. Para quem não se lembra em setembro o país foi atingido por um sério tremor que deixou mais de 300 mortos e destruiu muitos edifícios da Cidade do México. Sob esse contexto, começaram a espalhar a informação de que a ONU e um pesquisador de Geofísica de Harvard avisaram as autoridades sobre a ocorrência do tremor, mas ninguém tomou providências.

Óbvio que isso era uma mentira absurda, por que não é possível prever tremores. Apesar dos avanços tecnológicos do mundo moderno hoje em dia o máximo que se consegue medir é a intensidade do incidente quando ele já está ocorrendo. O que essa balela não levou em conta foi uma realidade científica e quem acreditou nessa errou feio também.

Outra razão por este boato ter sido marcante é que ele foi originalmente produzido em espanhol para nosso site parceiro Hablillas.org e surgiu em sites nada confiáveis do México até chegar ao Brasil. Loucura não? Pois é, os boatos não conhecem mesmo fronteiras, nem passagens de ano, por isso mesmo ano que vem tem mais.

4) A premonição dos Simpsons (22/06)

A balela mais engraçada do ano definitivamente foi a história que surgiu afirmando que os Simpson tinham previsto mais uma informação bombástica sobre o governo de Donald Trump. Depois que a galera surtou com o fato de o presidente dos Estados Unidos ter sido eleito 16 anos depois que o desenho brincou que ele seria presidente em um episódio, as pessoas começaram a circular outra imagem de Trump junto a líderes do Oriente Médio e afirmaram que era outra previsão.

Acontece que não, a imagem foi tirada do contexto e na verdade foi feita justamente após o encontro do presidente Trump com líderes do Oriente Médio. Fizeram essa piadinha e muita gente comprou como verdade, como bem acontece em muitos outros casos. Por se tratar de Simpsons, Trump e mais uma “profecia” tinha que entrar na lista.

3) A tornozeleira da riqueza (09/04)

As pessoas ainda assistiam perplexas aos novos (agora velhos) capítulos da Operação Lava Jato quando uma história polêmica sobre Adriana Anselmo, a esposa do ex-governador do Rio de Janeiro, Sergio Cabral, surgiu na internet. A informação de que Adriana estava pagando R$400 mil por mês em uma tornozeleira exclusiva da HStern para cumprir prisão domiciliar apareceu do nada e causou revolta nas redes sociais.

O diferente dessa história é que ela não surgiu como uma corrente citando alguma fonte ligada à polícia, ou algo do tipo. Foram apenas trechos nas redes sociais afirmando que a mulher de Sérgio Cabral estava pagando pela tornozeleira e uma foto, pronto, milhares de compartilhamentos. No fim, claro que a história era falsa, Adriana Anselmo não estava pagando nada por estar com os bens congelados pela Justiça e, não sabíamos ainda, mas a novela dos Cabral estava só começando.

2) Os turistas terroristas (06/06)

Se há uma história que me causou incômodo desmentir esse ano foi sobre o grupo de paquistaneses que estava no Brasil para “profetizar o Islã” e cometer crimes terroristas. O incômodo, claro, veio do desconforto de em pleno 2017, em um país de infinitas miscigenações e crenças religiosas como é o caso do Brasil, termos nas redes sociais a foto de um grupo de pessoas que veio a passeio sendo compartilhada com uma denúncia de terrorismo.

Pois foi isso: alguém tirou fotos do grupo de homens que começou sua jornada turística em Roraima e montou essa grande mentira. De tanta repercussão e preocupação nas redes sociais, a Polícia Federal esclareceu que o grupo não era terrorista e os turistas paquistaneses até viraram pauta na imprensa. Lamentável, na minha humilde opinião, e um boato tristemente guardado na memória justamente por isso.

1) Bolas de fogo no céu (12/09)

Outro boato marcante que merece estar no top 5 de 2017 foi a história sobre as bolas de fogo que teriam caído do céu em Israel. A notícia de que mais um sinal do fim dos tempos teria acontecido no país ganhou as redes sociais e foi muito compartilhada. A partir de um vídeo mostrando um céu laranja, fumaça e pessoas um pouco assustadas começaram a dizer que o Apocalipse tinha de fato chegado.

Claro que não tinha, por que o que o vídeo (verdadeiro) mostrava era a situação da cidade de Haifa após ser acometida por grandes incêndios florestais. A fumaça era por conta dos incêndios e a bola laranja no céu nada mais era que… O SOL. A ingenuidade das pessoas de não perceber que a bola no céu era nossa estrela maior foi o que mais me chocou, por isso esta vai ficar na memória também.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)