Hackers invadem servidores da Pfizer e Moderna e revelam dados de mortes por vacinas #boato

Boato – Um grupo de hackers invadiu os servidores da Pfizer e da Moderna. Com isso revelou todos os dados de mortes por vacinas.

Mesmo sendo um dos países com mais disponibilidade de vacinas, os EUA não conseguem imunizar a maioria absoluta da população (tanto que está abaixo, por exemplo, do Brasil em percentual de pessoas vacinadas). Muito do insucesso da vacinação por lá se deve por histórias como esta, que, agora, está sendo compartilhada por grupos antivacinas no Brasil.

De acordo com o texto, compartilhado por um site contrário a vacinação e “profissional” em teorias da conspiração, hackers teriam invadido sistemas internos das empresas Pfizer e Moderna (responsáveis pelas vacinas de mRNA) e revelado todas as mortes por vacinas. Leia trechos do que texto que circula por aí:

NOTÍCIAS DOS EUA Hackers quebram servidores Pfizer, Moderna e Pfizer! Todos os dados de morte por vacina agora são públicos de todas as empresas graças aos hackers! BOAS NOTÍCIAS!!!! Hackers invadiram todas as empresas farmacêuticas e roubaram todos os dados da mídia sobre vacinas graças a Deus!!!! O Grande Despertar decolou!!! Encaminhe este link para todos os lugares!!!!

**Exibe o número de mortes e incapacidades associadas a cada lote/número de lote = indicação de toxicidade relativa de um lote/lote em comparação com outro **Ninguém sabe atualmente o motivo pelo qual alguns lotes/lotes estão associados a mortes excessivas, incapacidades e efeitos adversos reações (até 50x). Até sabermos, é melhor ser cauteloso **[“Código do lote” = “Número do lote” = o número que eles escrevem no seu cartão de vacinação.] […]

Hackers invadem servidores da Pfizer e Moderna e revelam dados de mortes por vacinas?

Por mais que o movimento antivacina seja cambaleante no Brasil, a mensagem até que se espalhou com alguma força. Porém, é falsa a informação que aponta que os tais hackers invadiram os servidores da Pfizer e Moderna e “expuseram” as mortes por vacinas.

Além de o histórico de fake news sobre vacinas (que não é nem preciso descrever), a mensagem em questão carrega consigo muitas características de fake news como o caráter vago, alarmista, os erros ortográfico e a falta de citação de fontes confiáveis. E foi ao buscar pela fonte da informação que descobrimos à verdade.

Na realidade, como aponta o site de checagem norte-americano Lead Stories, a história surgiu em um site conspiracionista que sempre publica fake news. O site apontou, inclusive, que a própria Pfizer desmentiu que houve qualquer invasão de hackers a sistemas internos.

Os supostos dados de mortes que seriam de sistemas internos da Pfizer e da Moderna são, na realidade, do sistema Vaers (que já foram utilizados em outras fake news) e não significam, necessariamente, que são de “mortes por vacinas”.

Como já explicamos, o Sistema Vaers (assim como o sistema Vigimed, do Brasil) é de livre notificação. Ou seja: qualquer pessoa (seja com boas ou más intenções) podem inserir dados. Há, na própria explicação de funcionamento do Vaers, um alerta de que os dados não devem ser utilizados para fins estatísticos.

Resumindo: é falsa a informação que aponta que hackers invadiram sistemas internos da Pfizer e da Moderna e, com isso, conseguiram revelar mortes por vacina. Os dados em questão são do Vaers (que não são sinônimo de mortes por vacina) e não houve qualquer invasão aos sistemas da empresa.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61) 99458-8494.

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/3HIppbu
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
 – Siga-nos no TikTok https://bit.ly/3yPELWj
 – Siga-nos no Kwai https://bit.ly/3cUbEso

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet