STF autoriza criação de campos de concentração para não vacinados contra Covid-19 #boato

Boato – O Supremo Tribunal Federal (STF) acabou de autorizar a criação de campos de concentração para pessoas que não foram vacinadas e testadas contra a Covid-19.

O início da vacinação no Brasil, apesar do ritmo lento, tem trazido esperança em relação à pandemia. No meio disso, uma mensagem está deixando pessoas que parecem jogar contra a vida em polvorosa. E ela aponta para uma suposta decisão do STF.

De acordo com uma mensagem que circula online, o Supremo Tribunal Federal teria autorizado a criação de centros de detenções para pessoas que não foram vacinadas e testadas contra a Covid-19. Um vídeo que está circulando em redes sociais aponta que essa seria a autorização para criação de “campos de concentração”. Leia a mensagem que circula online:

Versão 1: URGENTE STF AUTORIZA ESTADOS A ATIVAREM CAMPOS DE CONCENTRAÇÕ…ES O STF CRIA CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO PARA QUEM NÃO TOMAR A VACINA, E OS QUE RESISTIREM AS SUAS ORDENS. FIZERAM ISTO NA ARGENTINA. VOCÊS FICARÃO SENTADOS ESPERANDO? TODOS NA FRENTE DO EXERCITO VAMOS ACABAR COM ELES. A ESQUERDA ESTA USANDO O NAZISMO CONTRA O POVO.

Versão 2: Maioria do STF autoriza a criação de centros de detenções para não vacinados e não testados. Ministros referendaram a liminar proferida por Lewandowski. Maioria dos ministros do STF autorizaram a ativação de de centros de detenções para não imunizados e não testados. Também os ministro determinaram a criação de um passaporte covid nacional para ser implementado gerando a volta do novo normal da sociedade. A decisão foi tomada ontem em plenário virtual. Estará disponível em maio ao público.

STF autorizou a criação de campos de concentração para não vacinados contra Covid-19?

O vídeo em questão, criado por um “velho conhecido” no mundo das fake news, se espalhou com muita intensidade na internet. Porém, não é verdade que o STF tenha aprovado os tais “centros de detenção para pessoas que não se vacinaram contra a Covid-19”.

A mensagem e a fonte já nos deixaram muito desconfiados. O texto e o vídeo em questão têm características de boatos online como ser vaga, alarmista, com erros de português e não cita nenhuma fonte confiável que aponte para ateste que a notícia é real.

Ao analisar de onde a notícia saiu, descobrimos que ela tem origem em uma figura que sempre publica notícias falsas na internet. Da mesma fonte já saíram notícias falsas sobre o número de infectados no início da pandemia e sobre “intervenções militares no Brasil”.

Em alguns casos, o sujeito se utiliza de prints falsos de notícias jornalísticas (é possível fazer isso se utilizando do código-fonte das matérias) para tentar dar “credibilidade” à informação. Foi o que ocorreu no caso de hoje.

A prova disso está no fato de que, ao buscarmos sobre mais informações relacionadas ao assunto, nada encontramos em fontes confiáveis. Uma decisão como essa do STF viraria notícia em diversos veículos de mídia. Porém, nada encontramos em relação ao assunto. Ao buscar pelo tal resultado do julgamento no STF, também não achamos nada. Ao contrário, descobrimos que o Supremo já alertou para a fake news em questão.

No site do STF e nos jornais da TV Justiça, foi apontado que a informação é falsa. De acordo com o Supremo, trata-se de uma montagem grotesca utilizando o padrão do sistema de acompanhamento processual. Leia o que diz a matéria:

É falsa informação sobre processo contra criação de suposto Passaporte Covid O STF alerta para a importância da checagem de informações suspeitas, como forma de se evitar a propagação de fake news.

O Supremo Tribunal Federal (STF) alerta para a informação falsa em circulação nas redes sociais de que tramitaria na Corte uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) questionando a criação de um fictício Passaporte Covid. Segundo a falsa notícia, o documento seria exigido para a liberação de atividades que, em razão da pandemia, foram objeto de restrições em alguns municípios.

Segundo a informação inverídica, o suposto passaporte seria exigido para que as pessoas imunizadas tivessem acesso aos “recursos da sociedade” e seriam criados “centros clínicos de detenção para quarentenas compulsórias” em cinco estados brasileiros. O Supremo informa que a notícia é uma montagem grotesca, utilizando o padrão visual de seu sistema público de acompanhamento processual com o intuito de disseminar informações falsas.

O STF alerta para a importância da checagem de informações suspeitas, como forma de se evitar a propagação de fake news, especialmente em momento tão delicado como o vivenciado em nosso país em razão da pandemia de Covid-19.

Resumindo: a história que aponta que o STF autorizou a criação de campos de concentração para pessoas que não foram vacinadas contra a Covid-19 é falsa. O print que circula online é uma montagem e o canal do YouTube em questão já propagou diversas informações falsas por aí.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164. 

Ps2: Confira a nossa nova seção “Oportunidades” clicando aqui. 

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/3tP2fIR
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
 – Siga-nos no TikTok https://bit.ly/38hcBcy

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet