Própolis afasta mosquito da febre amarela e da dengue #boato

Boato – Beber de 3 a 6 gotas de própolis por dia faz com que o mosquito que causa a febre amarela e a dengue seja repelido pelo cheiro que sai pelos poros.

Nos últimos dias, um dos assuntos que mais dominou o noticiário nacional (principalmente na TV) é o surto da febre amarela em alguns estados (como São Paulo e Minas Gerais). Em meio a alertas sobre a doença, muita desinformação tem surgido na internet e muita informação falsa tem sido “repaginada e ressuscitada”.

Quer se livrar de boatos? Clique para curtir o Boatos.org

Siga o Boatos.org no Twitter:

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Receba as nossas atualizações no grupo do WhatsApp (só postagens do administrador, não se preocupem): http://bit.ly/39Tje3u

Confira o nosso Instagram:

Instagram

Um texto que viralizou no WhatsApp dá conta de que a solução para a febre amarela (e também de outras doenças como, por exemplo, a dengue) está muito próximo (mais exatamente em uma loja de produtos naturais) do que imaginamos: trata-se do própolis. De acordo com a mensagem, seria só preciso tomar de 3 a 6 gotas do produto para que os mosquitos fujam do cheiro que “sai dos poros”. Leia o texto na íntegra:

Estamos em uma epidemia de febre amarela e no verão aumentam os casos de dengue. Se você não for alérgico tome de 3 a 6 gotas de própolis por dia diluído em água ou suco. O própolis entra na corrente sanguínea e seu cheiro é expelido pelos poros, os mosquitos não suportam o cheiro e não picam. Divulgue!

Própolis afasta mosquito da febre amarela e da dengue?

A história circulou muito na internet, principalmente com textos que condenam a vacina contra a febre amarela (como esse). Mas será mesmo que é só tomar umas gotas de própolis para espantar o mosquito da febre amarela e da dengue? A resposta é não. Vamos aos fatos.

Para começar, o texto parte de um pressuposto errado. Apesar de a febre amarela ser possível de ser transmitida pelo mosquito da dengue (o aedes aegypti), a doença tem sido transmitida, no Brasil, pelo mosquito haemagogus. Ou seja, o texto já erra ao dar uma receita para as duas doenças.

Além disso, o “caminho” do própolis no corpo humano citado pelo texto é, no mínimo, estranho. Imagine: três gotas de própolis ingeridas. Quantas sobram depois de todo “processo digestivo”? E porque iriam para “a corrente sanguínea” (só se fossem aplicada na veia, né)? E como “sobraria” odor ainda para espantar mosquitos? Pense nisso.

Especialistas já pensaram e, na internet, é possível achar diversos desmentidos da tese. Em 2016, o Boatos.org desmentiu a informação de que o própolis seria bom para o vírus zika. Na ocasião, mostramos que se tratava de um boato que circula desde 2008 e que já foi refutado até pela Unicamp.

Resumindo: a história que aponta que o própolis é um repelente era falsa em 2008 (quando fala só da dengue), era falsa em 2016 (quando falava também da Zika) e é falsa em 2018 (na versão febre amarela). Cuidado com “receitas milagrosas” sem qualquer comprovação científica. Fica a dica.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61) 994325485.

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)