Jovens estão morrendo de parada cardíaca por tomar vacina da Pfizer contra Covid-19 #boato

Boato – Após tomarem a vacina da Pfizer, ao menos cinco adolescentes brasileiros tiveram parada cardíaca e morreram. 

Parece que os disseminadores de desinformação cansaram de embates políticos e, novamente, voltaram as atenções para a pandemia da Covid-19. Mais precisamente, para os imunizantes contra a doença.

Ainda ontem falamos sobre o boom de fake news a respeito da vacina da Pfizer/BioNTech na internet. E hoje, mais uma história sobre o assunto inundou as redes sociais. De acordo com um vídeo que está sendo compartilhado por aí, a vacinação entre adolescentes se tornou uma situação complicada. Segundo ela, diversos países, assim como o Brasil, já suspenderam a imunização de adolescentes.

O motivo? A decisão foi tomada após diversos casos de infarto entre adolescentes vacinados serem relatados. Só no Brasil, já existiriam cerca de 5 casos. Também é dito que, na bula da vacina Pfizer (a única aplicada em adolescentes no Brasil), a empresa recomenda o imunizante apenas para pessoas maiores de 16 anos. Junto ao vídeo há uma mensagem que diz “Riscos. Precisam investigar! Jovens morrendo de parada cardíaca. Bolsonaro tem razão”.

Jovens estão morrendo de parada cardíaca por tomar vacina da Pfizer contra Covid-19?

A informação foi rapidamente compartilhada nas redes sociais, em especial no Tik Tok e no WhatsApp e viralizou na internet. Apesar disso, a história não é verdadeira! A explicação fica por conta da falta de provas das supostas informações.

Não precisamos nem falar que a equipe do Boatos.org trabalhou (e muito!) durante essa pandemia, não é mesmo? Grande parte dos desmentidos ao longo desse período foram relacionados às vacinas contra a Covid-19 (e esse número, infelizmente, não para de aumentar).

Ao assistir o vídeo que acompanha a publicação, percebemos que as acusações feitas ao longo das imagens não se sustentam. Para começo de história, a informação de que a bula da Pfizer recomendaria que apenas maiores de 16 anos se vacinassem. Há alguns dias, desmentimos essa história por aqui. Como explicamos no outro texto, a Anvisa atualizou a bula da vacina da Pfizer, no dia 11 de junho de 2021, após a empresa apresentar estudos que comprovaram a eficácia e segurança do imunizante em adolescentes acima de 12 anos.

Sobre a afirmação de que países suspenderam a vacinação de adolescentes por causa dos efeitos da vacina. A informação está errada. O Reino Unido, apesar da emissão de um comunicado que não recomenda a vacina da Pfizer para todos os adolescentes entre 12 e 15 anos, não suspendeu a vacinação. O governo britânico decidiu manter a imunização de adolescentes entre 12 e 15 anos. A decisão tem como base a orientação de diretores médicos da Inglaterra, do País de Gales, da Escócia e da Irlanda do Norte. Para esses especialistas, os benefícios da vacinação superam os riscos (uma vez que o efeito colateral é raro).

Em setembro de 2021, uma nova recomendação afetou a vacinação de adolescentes no Reino Unido e também na Noruega. Desde o dia 14 de setembro de 2021, os jovens entre 12 e 15 anos devem receber apenas uma dose do imunizante, devido à alta resposta imunológica dessa faixa etária. Especialistas devem avaliar a necessidade de uma segunda dose futuramente. Sobre a Rússia, outro país citado no vídeo, não encontramos nenhuma informação sobre o assunto (nem sobre a vacinação dessa faixa etária, nem sobre supostas mortes relacionadas à vacina).

Se isso não bastasse, as supostas mortes de adolescentes brasileiros não tem nada a ver com a vacina. Desde que uma das histórias ganhou a atenção do público, a Anvisa iniciou um monitoramento sobre o caso. De acordo com a instituição de saúde, até o momento, não existem provas de que a morte dos adolescentes tenha relação com a vacina da Pfizer. Já segundo o Estadão Verifica, as secretarias de Saúde da Bahia e de Santa Catarina informaram que alguns dos jovens citados no vídeo sequer tinham tomado a vacina. Por outro lado, a secretaria de Saúde de São Paulo informou que a morte de um dos jovens já teve relação causal com a vacina descartada, tanto pela Anvisa quanto pelo Ministério da Saúde.

Em resumo: a história que diz que adolescentes estão sofrendo paradas cardíacas após se vacinarem com o imunizante da Pfizer é falsa! É fato que o Comitê de Imunização e Vacinação do Reino Unido descobriu que a vacina pode causar um efeito colateral raro chamado miocardite. Entretanto, até o momento, nenhum caso foi identificado (e isso inclui o Brasil). Dos casos brasileiros citados, dois dos jovens sequer tomaram a vacina contra a Covid-19 e um já teve a relação causal com a vacina descartada pela Anvisa e pelo Ministério da Saúde. Os outros dois seguem em investigação. Ou seja, até agora, não podemos afirmar que jovens estão morrendo de parada cardíaca por causa da vacina. Até a próxima!

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61) 99458-8494.

Ps2: Confira a nossa nova seção “Oportunidades” clicando aqui. Na página, você pode acesso a promoções, descontos e sites que dão brindes.

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/3vN6CET
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
 – Siga-nos no TikTok https://bit.ly/3yPELWj
 – Siga-nos no Kwai https://bit.ly/3cUbEso