Idoso na França morre por causa da vacina e seguro não paga indenização #boato

Boato – Na França, idoso morre após se vacinar contra a Covid-19 e seguro se nega a pagar indenização, por causa de uso da vacina

Em muitas partes do mundo, a alta taxa de vacinação contra a Covid-19 e a redução significativa de casos e mortes pela doença proporcionou o retorno de muitas atividades. Com isso, muitos países conseguiram (quase) voltar ao “velho normal”.

Mas uma nova onda de contágio, proporcionada pela disseminação da variante Ômicron, interrompeu os planos. Na França, a pandemia que estava controlada agora já acumula recordes de casos. E em meio ao caos, professores seguem em greve por causa da gestão da Covid-19 nas escolas da França.

E de acordo com uma história que está circulando nas redes sociais, a morte de um idoso na França estaria dando o que falar. Segundo as publicações, o idoso teria morrido em decorrência de complicações da vacinação contra a Covid-19. Ainda segundo a história, o seguro do idoso teria se negado a pagar a indenização, alegando que o idoso sabia das possíveis complicações da “terapia experimental”. Confira:

“Então, direto da França. Veja o link abaixo. Idoso rico com muitos seguros de vida (milhões) a favor de sua família morre de vacinação contra Covid (não contestada pelos médicos e suas seguradoras de vida). A seguradora se recusou a pagar porque o uso de medicamentos experimentais, tratamentos, etc. está excluído da apólice. A família processa a seguradora, mas perde. O juiz afirma: “Os efeitos colaterais da vacina experimental são publicados e o falecido não poderia alegar que não sabia nada sobre isso quando tomou a vacina voluntariamente. Não há lei ou mandato na França que o obrigue a ser vacinado. morte.” é essencialmente suicídio. “O suicídio também está excluído de sua política. Se você desafiar alguém se esses pontos são ou não experimentais e que nem as empresas farmacêuticas, nem os governos, nem ninguém além de VOCÊ são responsáveis ​​por aceitá-los, e se você morrer, você cometeu suicídio legalmente. Sem seguro, sem pagamentos, sem reembolsos. Você está sozinho!”.

Idoso na França morre por causa da vacina e seguro não paga indenização?

A informação causou medo nas redes sociais, em especial, no Twitter e no Facebook, deixando muita gente preocupada. Apesar disso, a história não é verdadeira. A explicação fica por conta da falta de detalhes, de fontes confiáveis e da origem da informação.

Já estamos cansados de falar por aqui que a pandemia rendeu centenas de fake news sobre as vacinas contra a Covid-19. A equipe do Boatos.org já desmentiu inúmeras delas, como a que dizia que a OMS teria afirmado que as doses de reforço contra a Covid-19 poderiam danificar o sistema imunológico. Também a que indicava que as vacinas matariam mais do que a Covid-19 e a variante Ômicron e, por fim, a que apontava que uma criança de 12 anos teria morrido no aeroporto de Cuiabá, após tomar a vacina contra a Covid-19.

Ao analisar a história, percebemos que existem muitos pontos estranhos. Não existem nomes das pessoas envolvidas, detalhes sobre como o idoso teria morrido, nem informações sobre como teriam comprovado que a morte estaria relacionada à vacina, dentre outros.

A partir daí, descobrimos que o site usado como fonte da história, na verdade, é um blog que já publicou diversas outras notícias falsas sobre as vacinas. Ao acessar o blog, percebemos que a página usa um vídeo como fonte. Mas novamente, ao acessar o conteúdo, identificamos que as imagens não comprovam nada. O vídeo apenas mostra um homem falando sobre o suposto caso, mas sem fornecer nenhuma prova do que diz.

Foi aí que resolvemos procurar por mais informações sobre o assunto em fontes confiáveis. Entretanto, nada encontramos. Se isso não bastasse, descobrimos que a história acabou desmentida na França. De acordo com o serviço de checagem do site LCI, todos os franceses estão amparados caso tenham algum problema relacionado à vacina. Segundo o site, o Gabinete Nacional de Compensação de Acidentes Médicos (Oniam) é o responsável por cobrir todos os custos de um possível problema. Ainda segundo o serviço de checagem, alguns seguros de morte podem sim ter exigências em relação ao estado de saúde do segurado. Apesar disso, todas as exigências são especificadas em contrato, antes da assinatura, e não surgem da noite para o dia. Por fim, o site ainda destaca que a própria Federação Francesa de Seguros afirmou que a vacinação não invalida os contratos de seguro.

Em resumo: a história que diz que um idoso teria morrido na França, após se vacinar contra a Covid-19, e não recebeu a indenização do seguro é falsa! A história surgiu em uma fonte nada confiável, um blog que já publicou diversas notícias falsas sobre as vacinas e se sustenta em um vídeo de um homem que apenas fala suas teorias, mas não prova nada. Se isso não bastasse, a história foi desmentida na França. De acordo com o site LCI, a Federação Francesa de Seguros já afirmou que a vacinação não invalida nenhum contrato de seguro. Além disso, todos os franceses são assistidos pelo Gabinete Nacional de Compensação de Acidentes Médicos (Oniam), caso tenham algum problema de saúde relacionado à vacina. Ou seja, a história não passa de balela.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61) 99458-8494.

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/3HIppbu
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
 – Siga-nos no TikTok https://bit.ly/3yPELWj
 – Siga-nos no Kwai https://bit.ly/3cUbEso