Pular para o conteúdo
Você está em: Página Inicial > Saúde > Anvisa não proibiu venda de marcas de carne, em 2024, porque elas teriam bactéria mortal

Anvisa não proibiu venda de marcas de carne, em 2024, porque elas teriam bactéria mortal

Anvisa proíbe marcas de carne por causa de bactéria mortal em 2024, diz boato (Foto: Reprodução/Twitter)

Boato – Anvisa proibiu a venda de produtos de três marcas de carne, após identificarem bactéria mortal em alimentos, em 2024

Análise

Com a popularização de produtos jornalísticos na internet, tem se tornado cada vez mais difícil para alguns usuários identificarem sites confiáveis. Muitas páginas adotam descrições com caráter jornalístico, mas não possuem profissionais especializados, abrindo margem para má interpretações ou até mesmo fake news.

Exemplo disso é a história de hoje. De acordo com uma história que está sendo compartilhada nas redes sociais, sites estariam divulgando que a Anvisa resolveu proibir a venda de carne de três marcas, em 2024, porque elas teriam uma bactéria mortal. Confira:

Vídeo: É falso que vacina da gripe tenha "vírus do câncer"

“Bactéria mortal: A Anvisa decretou a retirada de 3 marcas de carne dos mercados devido à contaminação”.

A história logo viralizou nas redes sociais, especialmente, no X (antigo Twitter) e no Facebook e deixou muitas pessoas assustadas. Apesar disso, a história apresenta as principais características de fake news na internet, como o caráter vago, extremamente alarmista, a falta de fontes confiáveis e a ausência de notícias sobre o assunto em veículos de comunicação confiáveis.

A partir daí, resolvemos investigar um pouco mais essa situação e vamos te contar os motivos para não acreditar nessa história: 1) A Anvisa determinou, em março de 2024, a retirada de carnes por causa de bactéria mortal? 2) Qual é o contexto por trás da história da Anvisa ter retirado carnes do mercado? 3) Por que verificamos a história?

Checagem

A Anvisa determinou, em março de 2024, a retirada de carnes por causa de bactéria mortal?

Não. Ao investigar a história, descobrimos que o caso é antigo e foi retirado de contexto. Além disso, não existe nenhuma notícia sobre o assunto em veículos de comunicação confiáveis. Se a história fosse real, com certeza estaria estampando as principais manchetes do país (coisa que não aconteceu).

Qual é o contexto por trás da história da Anvisa ter retirado carnes do mercado?

A história surgiu a partir de três proibições distintas por parte da Anvisa. A primeira ocorreu no dia 9 de março de 2022, após o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) terem identificado a presença de Salmonella spp. no lote 27/01/2022, do produto “carne resfriada de bovino sem osso – filé mignon 3/4“, da marca BFMeat.

A segunda ocorreu no dia 6 de junho de 2023, quando a empresa Best Beef solicitou à Anvisa o recolhimento voluntário do lote 06/05/2023, do produto “carne salgada de bovino sem osso”, após identificar a presença de Salmonella spp. em suas análises.

Já a terceira aconteceu no dia 22 de agosto de 2023, após uma denúncia da Diretoria de Vigilância em Alimentos e Vigilância Ambiental do Estado de Minas Gerais. Na oportunidade, a Vigilância identificou que as informações disponíveis no rótulo dos produtos da marca Rei das Carnes Gourmet eram inconsistentes e não havia indícios de que a empresa responsável pelo produto estivesse regularizada para a produção desses alimentos. Além disso, as condições higiênico-sanitárias eram desconhecidas.

Como é possível ver, a retirada dos produtos de circulação e as proibições foram pontuais. Em duas delas, a Vigilância Sanitária solicitou a proibição de apenas um lote. Na outra, todos os lotes foram confiscados. Porém, após identificarem e solucionarem os problemas, as marcas voltaram a vender seus produtos.

Por que verificamos a história?

Pelo mesmo motivo que já desmentimos histórias com narrativas parecidas, como a história que apontava que a Anvisa teria proibido a venda de marcas de leite e de café, em 2024, por causa de uma suposta contaminação.

Essas histórias estão sendo compartilhadas em sites que se aproveitam de notícias antigas e ainda retiram todas elas de contexto. Tanto na história de hoje quanto na história envolvendo as marcas de leite e de café, as proibições não estão vigentes, já ocorreram e já foram solucionadas.

Esse tipo de site costuma usar um título bombástico para ganhar cliques (e aparecer no Google Discover, recebendo mais visitas e lucrando com os acessos) e, na maioria das vezes, entrega um conteúdo completamente diferente do que foi prometido no título. Por fim, também há uma informação completamente errada na história de hoje. Não existe bactéria mortal. Nenhum dos casos identificados pela Vigilância encontrou algo parecido. A Salmonella spp. é uma bactéria que pode causar grandes problemas gastrointestinais, mas apenas em casos raro leva à morte. Além disso, na maior parte dos casos, o tratamento é feito em casa, com repouso, hidratação e o controle dos sintomas.

Conclusão

Fake news ❌

A Anvisa não proibiu três marcas de carne de venderem seus produtos, em 2024, por causa de uma bactéria mortal. A história se baseia em três proibições pontuais feitas pela Anvisa, em 2022 e 2023. Em dois dos casos, a Anvisa identificou a presença de Salmonella spp. em um lote de cada empresa. Já no terceiro caso, a Anvisa encontrou informações inconsistentes na rotulagem dos produtos da marca e a falta de indícios que pudessem comprovar que a empresa estaria regularizada para produzir e distribuir aquele tipo de produto. Após solucionarem os problemas, as três marcas voltaram a vender seus produtos normalmente. Além disso, não existe nada de bactéria mortal. A estratégia do site que está divulgando essas informações é ganhar cliques e lucrar ainda mais com alto número de acessos.

Ps: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo e-mail [email protected] e WhatsApp (link aqui: https://wa.me/556192755610).