Pular para o conteúdo
Você está em: Página Inicial > Política > TSE informa que 7,2 milhões de votos foram anulados nas eleições de 2022 #boato

TSE informa que 7,2 milhões de votos foram anulados nas eleições de 2022 #boato

TSE informa que 7,2 milhões de votos foram anulados nas eleições de 2022, diz boato (Foto: Reprodução/Facebook)

Boato – O TSE informou que anulou 7,2 milhões de votos nas eleições de 2022. Essa é a prova de que as urnas eletrônicas foram fraudadas e que Bolsonaro deveria ganhar no 1º turno.

Com o primeiro turno das eleições encerrados, esta é a hora de balanços serem feitos e, infelizmente, fake news pós-eleições voltarem a circular. A que vamos falar agora aponta para um suposto informe do TSE.

De acordo com mensagens que circulam online, o TSE teria informado que nada menos do que 7,2 milhões de votos do primeiro turno das eleições de 2022 foram anulados pelas urnas eletrônicas. O texto aponta, ainda, que o número seria suficiente para eleger Bolsonaro no primeiro turno. Leia a mensagem que circula online:

E agora STF/TSE? TSE informa: 7,2 milhões de votos anulados pelas urnas! A diferença de votos que levaria à vitória de Bolsonaro no primeiro turno foi de menos de 2 milhões. O TSE tem obrigação de esclarecer os motivos que levaram à anulação de mais de 7,2 milhões de votos que representam 6,2% do total. A anulação só pode acontecer em voto de papel, porque permite rasuras ou ambiguidade. Se você enviar para apenas 20 contatos em um minuto, o Brasil inteiro vai desmascarar este Bandido. NÃO quebre essa corrente. Os incautos precisam ser esclarecidos antes que seja tarde demais…

TSE informa que 7,2 milhões de votos foram anulados nas eleições de 2022?

Vídeo: é falso que imagens mostram Lulinha agredindo a esposa

Não demorou para a tese se espalhar com todas as forças em redes sociais entre pessoas que gostam de descredibilizar o processo eleitoral. Porém, a informação que circula online é falsa.

Em 2018, o Boatos.org desmentiu um texto idêntico após o primeiro turno das eleições. Como o desmentido de outrora vale quase todo para hoje, relembre o que escrevemos sobre o tema:

Para começar, a mensagem. Ela tem quase todas as características de um boato online. Ela é vaga (não explica, intencionalmente, detalhes a respeito da história), alarmista e tem pedido de compartilhamento. Há dois elementos não-presentes: erros de ortografia (notou como as fake news estão bem escritas nestas eleições) e citação de fonte confiável.

A mensagem, de fato, cita o TSE. Porém, ao buscarmos sobre o anúncio de que 7,2 milhões de votos foram anulados, nada encontramos vindo do Tribunal Superior Eleitoral. Neste ponto, entramos em uma confusão criada (intencionalmente ou não) na mensagem. Para você entender, vamos explicar dois conceitos: voto nulo e voto anulado.

O voto nulo é registrado nas eleições quando o eleitor digita qualquer número que não seja de um candidato e confirma o voto. Isso pode se dar de forma intencional (a pessoa com a intenção de não dar o voto para ninguém) ou de forma não intencional (a pessoa errou o voto). E, ao contrário do que aponta a mensagem, pode ser dado em urna eletrônica.

O voto anulado é aquele que é dado para um candidato existente, mas que, por algum motivo, é invalidado pelo TSE. Há algumas razões para o voto ser anulado pelo Tribunal Superior Eleitoral. Um exemplo é se o voto foi dado a um candidato que tem o nome nas urnas, mas que teve o registro indeferido pelo TSE. Outro exemplo seria se fosse constatado algum erro nas urnas que estavam registrando o voto.

Ao acessar o sistema Divulga, do TSE, chegamos aos números (que podem ser vistos na imagem abaixo) das eleições. Note que os “7,2 milhões” citados na mensagem não são de votos anulados e sim de votos nulos (7.206.205). O número de votos anulados na eleição presidencial é zero.

Os erros na mensagem não param por aí. Há mais duas “falhas matemáticas” na mensagem. Uma delas é a que fala que Bolsonaro venceria no primeiro turno se tivesse apenas mais 2 milhões de votos.

Para fazer a prova dos nove, pegamos o número total de votos válidos (107.050.673) e dividimos por 2. O resultado é 53.525.336,5. Como o candidato teria que ter “metade dos votos mais um”, o número para ganhar no 1º turno seria de 53.525.337. Bolsonaro teve 49.276.990 votos. Ou seja, 4.248.347 a menos do que o número “da vitória no primeiro turno”.

Agora um detalhe. Se todos os votos nulos fossem para Bolsonaro, ele continuaria sem ganhar no primeiro turno. Veja só. Se somarmos os votos válidos aos nulos e contabilizássemos todos para Bolsonaro, chegaríamos ao número de 114.256.878 votos válidos e de 56.483.195 para o candidato do PSL. Ou seja, Bolsonaro ainda teria menos do que “metade mais um dos votos” (57.128.439).

Segundo erro “matemático”. A mensagem diz que se você encaminhar a mensagem para 20 pessoas “em um minuto o Brasil vai saber”. Se levarmos em conta que você demora 30 segundos para enviar uma mensagem no WhatsApp para 20 pessoas (se você for rápido) e cada uma dessas pessoas vai levar mais 30 segundos, máximo de pessoas que vai ter acesso ao texto em um minuto é 400. Mesmo nos prognósticos mais generosos, a tese que fala em “Brasil todo” é absurda.

O TSE também fez um desmentido ainda em 2018 sobre a história. Veja o que foi escrito na época:

O texto que circula sobre a anulação de votos pela Justiça Eleitoral é falso. A urna eletrônica permite que se realize o voto nulo. Basta digitar um número que não corresponda a nenhum candidato ou partido e apertar a tecla CONFIRMA. É importante referir que a urna emite alerta de que será nulo o voto nessas condições. Assim, não foram 7,2 milhões de votos anulados pelas urnas. Esse número corresponde ao volume de eleitores que optaram por votar nulo, ou seja, digitar um número inexistente e apertar a tecla CONFIRMA. Além disso, os resultados dos votos nulos desta eleição estão em consonância com o histórico de votos nulos de eleições anteriores.

Há um detalhe diferente em 2022. Ao contrário de 2018, os supostos 7,2 milhões não elegeriam Bolsonaro no primeiro turno das eleições. Com os supostos “votos extras”, ele ficaria com cerca de 46,4% dos votos e passaria Lula por pouco. Ou seja: além de ser falsa, a história sequer se encaixaria no contexto de 2022.

Resumindo: é falsa a informação que aponta que o TSE informou que 7,2 milhões de votos foram anulados pelas urnas eletrônicas nas eleições de 2022. Trata-se de uma fake news que viralizou em 2018 e voltou a circular em 2022.

Ps: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo siteFacebook e WhatsApp no telefone (61) 99458-8494.

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/3uwu4ra
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
 – Siga-nos no TikTok https://bit.ly/3yPELWj
 – Siga-nos no Kwai https://bit.ly/3cUbEso