TSE contratou 32 mil urnas eletrônicas grampeadas que não passaram por testes #boato

Boato – O TSE (STE) contratou nada menos do que 32 mil urnas eletrônicas grampeadas para prejudicar o presidente Jair Bolsonaro e eleger Lula. Elas não foram tocadas e não passarão por testes.

No meio político, um dos assuntos de cunho golpista que mais tem ganhado tração é o das acusações sem provas de que há fraudes nas urnas eletrônicas. Depois de o próprio presidente Jair Bolsonaro ter participado de um evento com embaixadores repleto de informações falsas já checadas pelo Boatos.org e por outros sites de checagem, mais uma acusação surgiu na internet.

Um vídeo de um senhor criado originalmente no Helo (rede social de vídeos) aponta que o TSE (chamado por ele de STE) teria comprado 32 mil urnas eletrônicas grampeadas para prejudicar o presidente Jair Bolsonaro. Ele também teria apontado no vídeo (que não será exibido aqui) que “ninguém toca nas urnas” e que elas não passaram por testes públicos. O vídeo em questão tem a seguinte legenda: “STE comprou 32 mil urnas grampeadas para definir as eleições”. Leia transcrição do arquivo:

Vocês já viram a Rede Globo ou algum jornalista de esquerda falar que uma palavra que o STE comprou 32 mil urnas novas, 32 mil urnas novas que estão lá estocadas. Prontas pra fazer o que eles querem, esperar o resultado que eles quiserem. E são intocáveis, eles não deixam ninguém chegar nem perto destas urnas. Estão lá no estoque guardadas, só para usar no dia da eleição. Essa 32 mil urnas, quanto é de voto? Quanto tem de voto? 32 é verdade o que vou falar. Você não vê TV Globo, ninguém fala. E essas urnas estão lá estocadas, intocáveis. Ninguém chega perto delas. Para dar o golpe.

Além do vídeo em questão, postagens em redes sociais levantam suspeitas em relação às urnas eletrônicas “novas” do TSE. Elas apontam que, por dolo, o TSE não realizou testes públicos com os equipamentos. Leia uma das mensagens que fala sobre isso:

ESCLARECIMENTO…. O impasse entre TSE e As FFAA, está relacionado (tbm) aos 39% das 32.609 mil urnas compradas pelo TSE em Março/21. Ou seja, são 12.717,52 mil urnas das 32.609 adquiridas q não passaram pelo “teste público”. Está aí a desconfiança, até pq….. SEGUE….até pq quase 13 mil urnas armazenam milhões de votos e que podem mudar o resultado de uma eleição a presidência da república. Não confio nas urnas, não confio no TSE e não confio no STF.

TSE contratou 32 mil urnas eletrônicas grampeadas que não passaram por testes?

Não demorou para a tese, principalmente na versão vídeo, se espalhar com todas as forças na internet. Só que, assim como em tantas outras acusações a respeito das urnas eletrônicas, a informação em questão não procede.

O texto em questão tem algumas características de fake news como o caráter vago, o tom alarmista, erros de português e não cita nenhuma fonte confiável que comprove a história. Um detalhe em especial no vídeo nos chamou atenção. A pessoa sequer cita o nome correto do TSE. Ele fala em “STE”. Além disso, o histórico recente de mentiras sobre o processo eleitoral já deveria (mesmo) nos deixar com um pé atrás em relação à “denúncia”.

Ao buscar informações em fontes confiáveis sobre o assunto, chegamos a uma conclusão. Na realidade, não tem nada de urnas grampeadas ou urnas “sem testes”. As “32 mil urnas eletrônicas” citadas na mensagem são de um lote comprado em março de 2021. Ao contrário do que apontam as mensagens, a notícia das aquisições das urnas foi dada pela mídia na época. É possível ver, além do anúncio do próprio TSE, notícias como esta, esta e esta.

De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral, as urnas compradas em março do ano passado começaram a ser adquiridas em dezembro de 2021 (o que impossibilitou que elas fossem submetidas ao teste público de agosto do ano passado). Há uma notícia de julho deste ano que aponta que testes públicos já começaram a serem feitos por pesquisadores da escola Politécnica da USP.

Entramos em contato com a assessoria do TSE que classificou a informação das urnas “grampeadas” como fake news (que, por sinal, é apresentada sem nenhuma prova pela pessoa do vídeo e contraria alguns fatos já apresentados sobre urnas eletrônicas como, por exemplo, este) e nos enviou uma nota. Leia:

As urnas modelo UE2020 estão sendo testadas por pesquisadores da USP, conforme divulgado em: https://www.tse.jus.br/comunicacao/noticias/2022/Julho/urna-eletronica-modelo-2020-sera-testada-por-professores-e-pesquisadores-da-escola-politecnica-da-usp. Importante lembrar que os sistemas usados nas eleições são os mesmos em todos os modelos de urnas. Além disso, as urnas passam por auditorias diversos nas fábricas.

Então, vamos lá. A “fonte da informação” sabe tanto sobre fraude que erra até o nome do TSE, não é apresentada nenhuma prova de que as urnas estejam grampeadas e os equipamentos já estão sendo testados. Ou seja: temos apenas espuma.

Resumindo: é falsa a informação que aponta que o TSE grampeou 32 mil urnas eletrônicas apenas para prejudicar o “grande presidente Bolsonaro”. Trata-se de mais uma fake news sobre o processo eleitoral que circula por aí.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo siteFacebook e WhatsApp no telefone (61) 99458-8494.

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/3uwu4ra
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
 – Siga-nos no TikTok https://bit.ly/3yPELWj
 – Siga-nos no Kwai https://bit.ly/3cUbEso

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet