Rodrigo Maia pede prisão de Bolsonaro após reunião secreta com Alcolumbre e STF #boato

Boato – O presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia acabou de pedir a prisão do presidente Jair Bolsonaro. Pedido aconteceu após reunião secreta com Davi Alcolumbre, Dias Toffoli e Gilmar Mendes.

Mais uma vez, o tema política tem se sobressaído em detrimento do tema combate ao coronavírus. O último episódio da “novela política” que vivemos foi o da participação do presidente Jair Bolsonaro em uma “manifestação patriota” no domingo, 19 de abril de 2020. Além de quebrar a quarentena e ter feito com que muitas pessoas se aglomerassem, a manifestação incitou uma intervenção militar (o que atenta contra a Constituição e configura um golpe).

A ação de Bolsonaro gerou uma reação. E, de acordo com mensagens que circulam online, a reação se deu por meio de uma tentativa de “golpe” por parte de Rodrigo Maia. Textos e vídeos de youtubers bolsonaristas (e que sempre espalham fake news) dão conta de que o presidente da Câmara pediu a prisão de Bolsonaro após se reunir secretamente com Davi Alcolumbre (presidente do Senado) e com os ministros do STF Dias Toffoli e Gilmar Mendes. Leia algumas versões da história que circula online:

Versão 1: Denúncia: Alcolumbre, Gilmar, Tofolli, estão na casa do MAIA agora TRAMANDO o IMPEACHMENT do Presidente Versão 2: ATENÇÃO !!! ATENÇÃO REUNIÃO SECRETA DE RODRIGO MAIA MOSTRA UM GOLPE SENDO ARMADO – BOLSONARO VIU Versão 3: URGENTE RODRIGO MAIA, ALCOLUMBRE E STF DERAM UM GOLPE DO BRASIL ABRIU IMPEACHMENT E PRISÃO DE BOLSONARO ISSO NÃO VAI FICAR ASSIM Versão 4: MAIA PEDE PRISÃO DE BOLSONARO #ForaMaia #Impeachment RODRIGO MAIA ENTRA COM LIMINAR

Rodrigo Maia pediu prisão de Bolsonaro após reunião secreta com Alcolumbre e STF?

A mensagem se disseminou com muita força na internet e gerou reações das mais diversas entre os simpatizantes a Bolsonaro. Mas será mesmo que a informação que aponta que Rodrigo Maia se reuniu com Davi Alcolumbre, Dias Toffoli e Gilmar Mendes e pediu a prisão de Bolsonaro é real? A resposta é não. Calma aí que a gente explica tudo para vocês.

Na realidade, não temos uma e sim duas informações falsas relacionadas ao assunto. Antes disso, vamos ao briefing de sempre (a gente faz aqui para ensinar vocês a refletirem aí): as mensagens em questão têm algumas das principais características de boatos online como ser vaga, alarmista, com erros de português e não citar fontes confiáveis (e não, os youtubers em questão não são fontes confiáveis).

Para além disso, fake news relacionadas a golpes contra Bolsonaro têm sido muito comuns na internet. Desde que a pandemia do novo coronavírus começou, já desmentimos três fake news relacionadas ao assunto. Uma falava de um golpe “do Lula”. Outra falava sobre um “alerta de policiais no Congresso”. Uma terceira falava sobre um pacto entre os poderes relacionados ao assunto. Assim como nos outros casos, a informação não procede.

Vamos falar primeiro da reunião em questão. Ela surgiu de um erro jornalístico (por isso que jornalistas têm que tomar cuidado com as informações que publicam) do jornalista Guilherme Caetano, do O Globo. Ele, de fato, fez uma publicação sobre a reunião. Mas depois se retratou (como um jornalista deve fazer) e fez uma errata. Leia:

Duas fontes me disseram nesta noite que Rodrigo Maia estaria reunido com alguns ministros que citei no tuíte. A mesma informação. Mas tanto Maia quando Gilmar Mendes negaram a reunião. Peço desculpas por ter publicado sem ter buscado antes a confirmação junto aos envolvidos.

É claro que algumas pessoas (coincidentemente simpáticas a Bolsonaro) falaram que a “correção” só surgiu por parte de pressões da Globo. Porém, não há qualquer prova ou lógica de que isso tenha acontecido. Vamos raciocinar? Por que esconderiam uma reunião dessas se fosse verdade? Não há motivos.

Sobre o “pedido de prisão” por parte de Maia, a informação também não procede. Há uma distorção dupla de um pedido que chegou ao STF. O mandado de segurança não pede a prisão de Bolsonaro. Ele pede a suspensão parcial dos poderes de Bolsonaro e que Maia (acusado de omissão) analise pedidos de impeachment contra o presidente. Não tem nada de pedido de prisão (apesar de o pedido, muito provavelmente, não ser aceito).

Como vocês podem imaginar, não foi Rodrigo Maia que impetrou o pedido. Ele foi assinado por dois advogados do Distrito Federal. Maia, Alcolumbre, Dias Toffoli e Gilmar Mendes nada têm a ver com o assunto.

Resumindo: a história que aponta que o presidente da Câmara Rodrigo Maia pediu a prisão de Bolsonaro e se reuniu com Davi Alcolumbe, Dias Toffoli e Gilmar Mendes é falsa. Não passa de mais um boato conspiratório que circula na internet.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61) 99177-9164. 

Clique nos links “bit.ly” para acessar nossos perfis:

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp http://bit.ly/2RCIocR

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet