Pular para o conteúdo
Você está em: Página Inicial > Política > É falso que ministro da Educação tenha falado sobre regalias de professores e recebido invertida

É falso que ministro da Educação tenha falado sobre regalias de professores e recebido invertida

Ministro da Educação disse que professores têm regalias e recebeu resposta de professora, diz boato (Foto: Reprodução/Facebook)

Boato – O ministro da Educação, Camilo Santana, disse que professores têm diversas regalias como 45 dias de férias e que recebeu resposta de professora Mari Fernandes.

Análise

Nos últimos dias, temos visto diversos boatos clássicos voltando a circular. Como recordar é, além de viver, verificar, aqui estamos para relembrar de algumas destas histórias. Uma delas atinge os professores.

De acordo com um textão que estaria circulando na internet, o ministro da Educação (que em 2024 é Camilo Santana) teria falado que professores têm regalias como férias de 45 dias, aposentadoria e até lanche grátis. A coisa não para por aí.

A mensagem também aponta que uma professora chamada Mari Fernandes teria dado uma “resposta à altura”. Ela teria criticado privilégios de políticos e também falado dos sacrifícios dos professores. No final, há uma crítica dos políticos e o pedido de compartilhamento. Leia:

Vídeo: é falso que Lula parou doações em Lajeado e Encantado destruiu donativos

Vergonha para Professores! A melhor resposta que o ministro da educação Camilo Santana (PT), poderia receber. Palavras do Ministro da Educação: “Eles (os professores) têm férias de 45 dias, aposentadoria especial, descanso pedagógico,
piso nacional e até lanche grátis. Que outro trabalhador possui tantas regalias? É preciso enxugar tudo isso ou o país continuará quebrado”…

DESABAFO PROFESSORA Texto de autoria de Mari Fernandes— professora do Estado de São Paulo: Caro Senhor Ministro e burocratas do MEC: O que leva nosso país à falência, não são nossos 45 dias de férias! O que fale o Brasil são as férias dos políticos, os recessos brancos e o 14º salário que abocanham, sem descontar imposto de renda! Aposentadoria ESPECIAL, quem tem são vocês políticos, que trabalham alguns anos em Brasília e incorporam os salários. Nossa aposentadoria….

Vem depois de 25 anos de MUITO trabalho. 60 horas por semana, quando queremos dar uma vida digna aos nossos filhos! E se não formos funcionário público, o professor se aposenta com no máximo quatro mil e pouco. E diga-se de passagem, mal dá para o remédio, porque depois de 25 anos trabalhando 60 horas,com certeza estaremos todos BEM debilitados! Nosso descanso pedagógico, não é nada comparado aos quatro dias que senadores e deputados NÃO trabalham. Em nosso descanso pedagógico, corrigimos provas, redações, projetos, elaboramos provas.

Ah! Na maioria das vezes, imprimimos as provas em casa naquela impressora que compramos dividida em 10 vezes em nosso cartão de crédito! Ao contrário dos políticos, não temos gráficas pagas com o dinheiro do povo. Não temos dias livres para participar de festinhas de São João em nossos estados, aliás, vamos a festas de São João sim, mas aquelas em que fazemos rifas em nossas escolas para proporcionar um pouco de alegria as comunidades onde atuamos! Piso nacional? Bem isso é privilégio dos políticos , Deuses do Olimpo, que decidem quando vai aumentar os próprios salários e quanto vão ganhar!

O lanchinho de GRAÇA? Deixe-me contar uma novidade… Talvez os Senhores, com toda sua sabedoria, não saibam… pois muitos de vocês nunca pisaram em uma sala de aula. Professores fazem vaquinha para comprar até o café que tomam nas escolas! Quanto as regalias, bem fico meio sem graça de expor a vida de milionários que levamos. Nossas regalias se restringem a: Levantar 5 horas da manhã, trabalhar até às 11 da noite.. Sim muitos de nós traba-lhamos três turnos!
O terceiro turno, trabalhamos para pagar:

A gasolina que os políticos usam, A casa onde moram, As passagens de avião, A gráfica que utilizam, Os correios para enviar cartão de aniversário para seus eleitores, O colégio caro que os filhos frequentam na Europa, O carro importado que dirigem, As roupas de grife que usam e os lanchinhos que comem, (que ao contrário do nosso, custa, por mês, a faculdade de uma vida inteira de nossos filhos.) Não senhor Ministro e senhores burocratas comissionados, não se preocupem!
Os professores não levarão este país a falência, sabe por quê?

Porque se depender da consciência política de nossos representantes, ele já está falido. Sim, esta falência atribuímos a todos os Senadores, Deputados, Governadores, Prefeitos e vereadores Que fazem da política uma carreira e não sabem que não existe dinheiro público, o que existe É O DINHEIRO DO POVO! Vamos compartilhar quem sabe assim chegue na mídia aberta… E nesses Burocratas capachos desse regime falido!

Checagem

Quando a história circulou na internet, sentimos que não era algo estranho. E não é. A parte do ministro e sua declaração já foi considerada fake news pelo Boatos.org em 2016 (quando Camilo Santana nem pensava em ser ministro da Educação). 

Agora, em 2024, vamos fazer a checagem do conteúdo respondendo às nossas três perguntas. São elas: 1) É verdade que o ministro da Educação Camilo Santana disse que professores têm regalias como 45 dias de férias? 2) É verdade que uma professora Mari Fernandes deu alguma resposta ao ministro da Educação Camilo Santana? 3) As informações contidas na resposta são reais?

É verdade que o ministro da Educação Camilo Santana disse que professores têm regalias como 45 dias de férias?

Não disse. Não há qualquer declaração recente por parte de Camilo Santana sobre “regalias de professores” ou mesmo 45 dias de férias. Além disso, conforme mostramos no início do texto, esta mesma fake news já foi desmentida em 2016.

Na época, o ministro da Educação era Mendonça Filho. Ele chegou até a vir a público para desmentir a informação falsa. “Isso é tudo mentira de uma rede manipulada por setores radicais vinculados a alguns partidos que estão insatisfeitos com as mudanças que estamos promovendo no Ministério da Educação”, disse.

Uma ironia. Na época, a fake news circulou entre grupos de esquerda. Agora, a história falsa está circulando entre setores da extrema-direita.

É verdade que uma professora Mari Fernandes deu alguma resposta ao ministro da Educação Camilo Santana?

Por conta do histórico da fake, para Camilo Santana não houve resposta (afinal, a mensagem circula desde 2016). Além disso, A mensagem, pelos nossos levantamentos surgiu com a autoria de “um professor” (lá por setembro daquele ano).

Em dezembro de 2016, o texto passou a ter a autoria da Mari Fernandes (que não é cantora). Ou seja: como muitos textos, surgiu anônimo e só depois ganhou uma autora.

As informações contidas na resposta são reais?

A primeira fake é atribuir a fala ao ministro da Educação. Não houve. Além disso, há outras informações erradas ou, no mínimo, desatualizadas. Políticos não têm mais 14º salário, aposentadoria especial (caiu na reforma da Previdência) e professores já se aposenta com mais de “quatro mil e pouco”.

Há, ainda, generalizações sobre professores e políticos. Em alguns casos, é possível tratar uma parte (louvável ou condenável) como o todo. O resto é opinião.

Conclusão

Fake news ❌

É falso que o ministro da Educação tenha feito uma declaração sobre privilégio e professores e recebido respostas. O texto circula desde antes de Camilo Santana entrar no governo e foi desmentido na época pelo Boatos.org.

Ps: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo e-mail [email protected] e WhatsApp (link aqui: https://wa.me/556192755610).