MEC diz que é preciso acabar com regalias de professores #boato

Boato – Ministério da Educação (MEC) pretende acabar com as regalias dos professores para equilibrar os cofres de estados e municípios.

Comemorações, críticas e muita polêmica. Esse foi o saldo desde que o presidente, Michel Temer, anunciou a reforma do ensino médio no país.

MEC pretende enxugar regalias dos professores para equilibrar contas, diz boato
MEC pretende enxugar regalias dos professores para equilibrar contas, diz boato

Entre as polêmicas do governo Temer, há boatos de cá e boatos de lá. A última informação “bombástica” que circulou na internet dá conta de uma declaração preocupante. Aliás, ameaçadora.

De acordo com o texto, o Ministério da Educação (MEC) pretende enxugar “regalias” dos professores para equilibrar os cofres públicos. E mais, isso inclui as férias de 45 dias, aposentadoria especial, descanso pedagógico, piso nacional e até o lanche “grátis”. Leia o que diz o texto que circula online:

É preciso enxugar regalias dos professores para equilibrar cofres de estados e municípios, diz governo federal. “Eles têm férias de 45 dias, aposentadoria especial, descanso pedagógico, piso nacional e até lanche grátis”. Que outro trabalhador possui tantas regalias? É preciso enxugar tudo isso ou o país continuará quebrado”, dizem burocratas do MEC.

[…] Nessa linha de ataques ao setor público, o governo federal começa a fazer dobradinha com prefeitos e governadores no sentido de atingir ainda mais negativamente o pessoal do magistério. Segundo técnicos do MEC, redes estaduais e municipais de educação são gigantes demais e consomem muito dinheiro de estados e municípios. “É preciso enxugar, pois 12 estados cogitam declarar calamidade financeira”, alardeiam no site da Agência Brasil.

Uma das principais saídas em discussão entre Temer e gestores de estados e municípios é o “enxugamento” de supostas regalias dos professores. “Eles têm férias de 45 dias, aposentadoria especial, descanso pedagógico, piso nacional e até lanche grátis”. Que outro trabalhador possui tantas regalias? É preciso enxugar tudo isso ou o país continuará quebrado”, dizem burocratas do MEC.

[…] Para combater mais arrocho, CUT e CNTE preparam uma greve geral em todo o Brasil. “Temer e aliados devem fazer enxugamento é nos lucros dos ricos que se acham donos do Brasil”, alertam os sindicalistas.

MEC diz que é preciso acabar com “regalias” de professores?

É claro que a informação gerou um reboliço. Mas será mesmo que o MEC disse isso? Pois então, essa história, assim como a jornada de 60 horas semanais para professores, é boato. Mas, agora vamos aos fatos.

Após a repercussão, o MEC, esclareceu a história. O ministro da Educação, Mendonça Filho, em um pronunciamento gravado na terça-feira, 27 de setembro, rebateu as declarações e disse que professores e estudantes são prioridade do mistério. No vídeo, o ministro afirma que essas campanhas mentirosas nas redes sociais pretendem tumultuar e gerar pânico na população. Confira o vídeo:

Pois bem, só esse fato já desmentiria a história. Mas, o Boatos.org checou as informações e não encontramos nada a respeito do caso no site da Agência Brasil, como indica o texto. Se você tem dúvida, pode conferir aqui.

Como você já deve imaginar, não localizamos a origem do boato, mas as informações foram compartilhadas em blogs com objetivos partidários, o que é, no mínimo, duvidoso, já que a informação não circulou por nenhum meio de comunicação tradicional.

Portanto, podemos afirmar que as declarações atribuídas ao MEC são falsas. O ministro não disse nada sobre “regalias”. Tudo não passa de mais um desses boatos que encontramos na internet.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão dos leitores Afonso Felipe e Tayana Leão. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site ou Facebook.