Maquiavel escreveu texto sobre escravidão #boato

Atualizado 23/03/2021: Correção: recebemos da leitora Ana Paola Amaral, a seguinte informação:

Antes de tudo, quero parabenizá-los pelo seu trabalho, tão valioso. Porém, no caso abaixo, vocês cometeram um engano, identificado por um amigo meu, Estêvão Ferreira Leite, que foi quem fez a pesquisa e merece o crédito. Acontece que a frase “como é perigoso libertar um povo que prefere a escravidão” foi sim escrita por Machiavel no livro “Istorie Fiorentini”. Eis o trecho do livro em italiano: Tale che, vedendo i motori del tumulto come né le parole né i fatti avevono forza di muovere alcuno, tardi avvedutisi quanto sia pericoloso volere fare libero un popolo che voglia in ogni modo essere servo, disperatisi della impresa, nel tempio di Santa Reparata si ritirorono, dove, non per campare la vita, ma per differire la morte, si rinchiusono

Aqui numa tradução para o inglês: Thus the movers of the tumult, finding that neither words or deeds had force sufficient to stir anyone, saw, when too late, how dangerous a thing it is to attempt to set a people free who are resolved to be slaves; and, despairing of success, they withdrew to the temple of Santa Reparata, where, not to save their lives, but to defer the moment of their deaths, they shut themselves up.

Sendo assim, há de se corrigir que a frase foi, de fato, escrita por Maquiavel. O conteúdo da checagem será modificado (inclusive o título) e mantido porque, ao contrário do que aponta a mensagem, o texto todo não é dele. Leia:

—-

Boato – Nicolau Maquiavel, autor de O Príncipe, escreveu texto que funcionaria para descrever a situação do Brasil.

Nicolau Maquiavel é um dos grandes nomes da história e política de todos os tempos. Nascido em 1469, Maquiavel é considerado o fundador do pensamento e da ciência política moderna, porque escrevia sobre o Estado e o governo como realmente eram (e não como um ideal).

Autor da obra O Príncipe, Maquiavel atuou no cargo de Secretário da Segunda Chancelaria na República Florentina (que fica na região de Toscano, Itália). Lá, ele observou o comportamento de diversos políticos, o que serviu de base para suas obras. E parece que, mesmo muito tempo depois da morte de Maquiavel, seus escritos continuam repercutindo.

Segundo uma história que anda circulando nas redes sociais, Maquiavel escrito um texto é bastante atual e serve para definir a situação atual do Brasil. Confira:

Escrito por Nicolau Maquiavel que viveu entre os anos de 1469 a 1527 , continua extremamente atual e serve perfeitamente para descrever o caos atual que vivemos no Brasil……. Leia, vale a pena: “Como é perigoso libertar um povo que prefere a escravidão!” (Nicolau Maquiavel)

Um povo que aceita passivamente a corrupção e os corruptos, não merece a liberdade. Merece a escravidão. Um país cujas leis são lenientes e beneficiam bandidos, não tem vocação para a liberdade. Seu povo é escravo por natureza. Um povo cujas instituições, públicas e privadas, estão em boa parte corrompidas, não tem futuro. Só passado. Uma nação, onde a suposta sociedade civil organizada não mexe uma palha se não houver a possibilidade de lucros, não é capaz de legar nada a seus filhos, a não ser dias sombrios. Uma pátria, onde receber dinheiro mal havido a qualquer título é algo normal, não é uma pátria, pois nesse lugar não há patriotismo, apenas interesses e aparências.

Um país onde os poucos que se esforçam para fazer prevalecer os valores morais, como honestidade, ética, honra, são sufocados e massacrados, já caiu no abismo há muito tempo. Uma sociedade onde muitos homens e mulheres estão satisfeitos com as sórdidas distrações, em transe profundo, não merece subsistir. Só tenho compaixão daqueles bravos, que se revoltam com esse estado de coisas. Àqueles que consideram normal essa calamidade, não tenho nenhum sentimento. Aos que elegem e reelegem corruptos, aos que servem de escudo e proteção aos bandidos e, ainda, aos indiferentes, só restam os versos do grande poeta polonês, Adam Mickiewicz: “Tua alma merece o lugar donde veio, Caso tenhas entrado no inferno, e não sinta as chamas.”

Maquiavel escreveu texto sobre escravidão?

Quem nunca ouviu aquela famosa expressão “que coisa maquiavélica”? Pois é, Maquiavel é conhecido pelas fortes críticas ao Estado e ao governo em seu livro O Príncipe, sugerindo que um novo príncipe liderasse e libertasse a Itália. Mas será mesmo que Maquiavel teria dito ser perigoso libertar um povo que prefere a escravidão? A resposta é não. E se você quer mais detalhes, é só continuar lendo.

Vamos lá! Não é novidade para ninguém que textos falsos volta e meia são atribuídos a personalidades famosas. Aqui no Boatos.org já desmentimos vários. Mas nem só de artistas globais e brasileiros vivem as fake news.

No próprio Boatos.org já desmentimos declarações e textos falsos atribuídos a grandes nomes da história. Um deles foi William Shakespeare falando sobre felicidade. E nem Mahatma Gandhi se safou, sendo acusado de dar uma lição no professor Peters, da Universidade de Londres.

Um fato curioso (e bem estranho) é que essa frase já circula há bastante tempo, porém, apenas em português. Se você resolver procurar o texto em outro idioma, não vai encontrar nenhum resultado parecido.

Mas se não é possível encontrar o texto na internet, talvez dê nos livros, não? Pois é. Também fizemos uma busca nos livros de Maquiavel e em nenhum deles é possível encontrar o tal trecho.

Além disso, o estilo empregado na frase não combina em nada com o modo de escrever de Maquiavel. O pensador costumava ser mais frio e não costumava usar argumentos como “legar a filhos”, “pátria” etc. Nesse sentido, Maquiavel é muito mais pragmático (fator que, inclusive, fez ele se destacar).

Por fim, se você reparar no final do texto, vai ver que supostamente Maquiavel teria citado o  poeta polonês Adam Mickiewicz. O único problema é que Mickiewicz viveu entre 1798 e 1855, ou seja, só se fosse um “Maquiavel que pudesse ver o futuro para escrever algo assim”.

Em resumo: a história que aponta que Maquiavel teria escrito o texto em questão. Maquiavel teria citado em seu texto um poeta que existiu só uns 100 anos depois dele. Ou seja, impossível. É #boato. Até a próxima!

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164.