Saiu o mandado de prisão de Jair Bolsonaro por crime de racismo #boato

Boato – Saiu o mandado de prisão do pré-candidato à Presidência da República e deputado federal Jair Bolsonaro (PSL/RJ). De acordo com vídeo do Jornal Nacional, ele foi condenado pelo crime de racismo.

Em meio à disputa política, vale de tudo (não deveria valer, por sinal) para dar aquela “espetada” no adversário. Um dos recursos mais utilizados ultimamente tem sido a montagem de imagens e vídeos. Ontem mesmo, o Boatos.org desmentiu uma história que apontava que Emirates havia pintado um desenho de Lula preso em seu avião. Hoje, vamos falar de uma história que envolve o pré-candidato à Presidência da República e deputado federal Jair Bolsonaro (PSL/RJ).

De acordo com uma mensagem que circula na internet, saiu o mandado (ou mandato, no caso da mensagem) de prisão de Jair Bolsonaro. “Saiu o mandato de prisão contra Bolsonaro e agora bolsomico deu ruim”. Acompanhando a mensagem, há um vídeo. Leia a transcrição e o assista:

Bom, você viu aí o horário em que saiu o mandado de prisão contra o Jair Bolsonaro do PSL do rio pelo crime de racismo. De acordo com a denúncia, Jair Bolsonaro usou expressões de cunho discriminatório incitando o ódio e atingindo diretamente vários grupos sociais. A procuradora-geral da República Raquel Dodge avaliou a conduta de Jair Bolsonaro como ilícita, inaceitável e severamente reprovável.

Saiu o mandado de prisão de Jair Bolsonaro por crime de racismo?

Em dois dias, o vídeo teve mais de 24 mil compartilhamentos e alguns comentários do tipo “Vixx mais um candidato a presidente preso kkk”, “Bandido bom é bandido o que mesmo???” e “Preso bem feito fora seu m…”. Mas será mesmo que a informação mostrada no vídeo é real? A resposta é não. Muitas das pessoas que fizeram comentários “ácidos” e comemoraram a notícia não se atentaram a alguns detalhes que entregam a farsa. Como o nosso trabalho é mostrar esses detalhes, segue a lista de erros.

O primeiro erro está na própria mensagem. Não sabemos se a pessoa que a escreveu o fez em um tom jocoso ou não tem o domínio das regras ortográficas da língua portuguesa. A mensagem tem a palavra “mandato”. Porém, o certo (se a notícia fosse real) é “mandado”. Só para vocês (principalmente quem tem um Enem ou prova de concurso pela frente) fixarem bem: mandaDo = ordem judicial, mandaTo = procuração, delegação. A palavra é usada também para descrever o período em que um político ocupa um cargo.

O segundo erro está no áudio da filmagem. Se você olhar, há uma mudança no tom de voz de Bonner quando ele fala “Jair Bolsonaro”. Isso acontece porque foi feita uma montagem do início de outra matéria (o trecho “Bom, você viu aí o horário em que saiu o mandado de prisão”) com essa matéria sobre a denúncia contra o político na PGR. Vale dizer que Bolsonaro ainda está na condição de “denunciado”. Para ele ser condenado, o STF ainda terá que aceitar a denúncia e julgar.

O terceiro erro é visual. Antes da imagem de cobertura de Bolsonaro, a gravata de Bonner é roxa e sem listras. Depois ela “ganha” listras brancas. Obviamente, isso entrega a montagem (não, ele não trocou a gravata rapidamente). O quarto também está no vídeo.

Se você notar, há uma marca d’água com a sigla CBM. Antes de se espalhar em perfis no Facebook, essa história foi publicada na página Corrupção Brasileira de Memes (de humor). Ou seja, alguém não entendeu (ou não quis entender) a piada e começou a compartilhar a história como verdadeira.

Resumindo: o pré-candidato Jair Bolsonaro não teve o mandado (nem o mandato) de prisão expedido (vale dizer que a PGR não prende, denuncia). O vídeo que circula online é uma montagem que viralizou na internet. Não acredite.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164.

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)