Pular para o conteúdo
Você está em: Página Inicial > Política > Israel não cancelou, após fala de Lula, contrato de aparelho de ultrassom que detecta câncer

Israel não cancelou, após fala de Lula, contrato de aparelho de ultrassom que detecta câncer

Israel cancela contrato de aparelho ultrassom que detecta câncer após fala de Lula, diz boato (Foto: Reprodução/Twitter)

Boato – Israel decidiu cancelar contrato de aparelho de ultrassom que detecta câncer com o Brasil, depois do que Lula disse sobre a guerra

Análise

A fala de Lula, comparando os atos militares de Israel contra a Faixa de Gaza e os dos nazistas contra os judeus, ainda tem dado o que falar. Além de se tornar persona non grata em Israel, Lula também tem sido alvo de histórias falsas envolvendo a situação.

De acordo com uma publicação que está circulando nas redes sociais, após a fala polêmica do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o Brasil teria perdido uma enorme oportunidade. Segundo a história, Israel teria decidido cancelar o contrato de um aparelho de ultrassom que conseguiria detectar diversos tipos de câncer.

Vídeo: é falso que imagens mostram Lulinha agredindo a esposa

Ainda segundo a história, o contrato teria sido assinado pelo ex-presidente Jair Bolsonaro e a decisão do cancelamento teria sido tomada após a fala de Lula sobre a guerra. Confira:

“Israel inventou um aparelho que detecta câncer de mama e de próstata a partir da primeira célula. E faz a retirada sem cortes. Bolsonaro fez um contrato de importação desse aparelho,  que começaria a vir a partir de agosto de 2024. Hoje, Israel cancelou todos os contratos”.

A história viralizou nas redes sociais, em especial, no X (antigo Twitter) e no Telegram e deixou muitos brasileiros revoltados com a situação. Apesar disso, a história apresenta algumas características de fake news na internet, como o caráter vago, extremamente alarmista, a falta de fontes confiáveis e a ausência de notícias sobre o assunto em veículos de comunicação confiáveis (que, convenhamos, se isso fosse verdade, estaria em todas as manchetes de jornais do país).

A partir daí, resolvemos investigar um pouco mais essa história e vamos te contar os motivos para duvidar dessa narrativa: 1) Do que se trata o aparelho ultrassom de Israel que detectaria câncer? 2) Bolsonaro fechou um contrato para trazer o ultrassom que detecta câncer para o Brasil? 3) Israel cancelou o contrato após a declaração de Lula?

Checagem

Do que se trata o aparelho ultrassom de Israel que detectaria câncer?

O aparelho, na verdade, não consegue identificar ou detectar o câncer. O serviço de ultrassom consegue destruir tumores benignos, como miomas, por meio de ondas sonoras de alta frequência. Com o auxílio de uma máquina de ressonância magnética, o aparelho consegue emitir até mil feixes de ondas em um mesmo lugar. Com o calor gerado, o ultrassom consegue queimar as células cancerígenas, sem afetar as células saudáveis.

De acordo com especialistas, o aparelho funciona muito bem em casos de tumores benignos, mas não consegue eliminar tumores malignos (funcionando apenas como um tratamento paliativo). A detecção do câncer continua sendo feita por meio de aparelhos de ressonância magnética.

Bolsonaro fechou um contrato para trazer o ultrassom que detecta câncer para o Brasil?

Não. O ultrassom que é capaz de destruir tumores benignos foi introduzido no Brasil em abril de 2011, pelo Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp), que disponibilizou a tecnologia ao Sistema Único de Saúde (SUS). Ou seja, a vinda do aparelho não teve nada a ver com Bolsonaro ou com qualquer outro governo federal.

Inclusive, em 2019, aqui mesmo no Boatos.org desmentimos a história de que Bolsonaro teria trazido o ultrassom que destrói células cancerígenas de Israel. Como explicamos na oportunidade, o aparelho foi trazido para o Brasil em 2011 e não tem nenhuma relação com Bolsonaro. De lá pra cá, não encontramos mais nada sendo dito sobre o tal aparelho ou sobre qualquer movimento de compra do ultrassom por parte do Estado.

Israel cancelou o contrato após a declaração de Lula?

Definitivamente não! Se não existia contrato, não haverá cancelamento. Ressaltamos que a compra do equipamento foi feita pelo Instituto de Câncer do Estado de São Paulo (Icesp), em 2011, e não tem nenhuma relação com nenhum governo federal.

Conclusão

Fake news ❌

Israel não cancelou o contrato do aparelho de ultrassom que detecta câncer após fala de Lula. Para começo de história, o aparelho não detecta câncer. Ele consegue destruir tumores benignos e funcionar como tratamento paliativo para casos de tumores malignos.

Além disso, o aparelho foi trazido para o Brasil pelo Instituto de Câncer do Estado de São Paulo (Icesp), em abril de 2011, que comprou o ultrassom sem ajuda do governo federal (e muito antes de Bolsonaro). Dessa forma, se o contrato nunca existiu, o cancelamento também não existirá.

Ps: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo e-mail [email protected] e WhatsApp (link aqui: https://wa.me/556192755610).