Pular para o conteúdo
Você está em: Página Inicial > Política > Cartilha do MEC estimula crianças a fazer sexo #boato

Cartilha do MEC estimula crianças a fazer sexo #boato

Boato – Governo lançou uma cartilha que estimula crianças de 9 a 10 anos a fazer sexo. Denúncia foi feita por deputado Jair Bolsonaro.

Na última semana, o Boatos.org desvendou uma história que apontava que um livro infantil continha cenas de sexo. Pois bem, esse boato nem esfriou e já apareceu na internet uma história igual, mas contada com outras palavras: a de que uma cartilha do MEC estimulava crianças de 9 a 10 anos a fazer sexo.

O texto, publicado em diversos blogs, apontava que o livro “Aparelho Sexual & Cia, Um guia inusitado para crianças descoladas” era um escândalo e mesmo assim era recomendado pelo governo para professores utilizarem nas escolas. Leia trechos:

Governo Lança Cartilha que Estimula Crianças de 09 e 10 Anos de Idade a Fazer Sexo: Nossas crianças estão cada vez mais indefesas dentro das próprias escolas. Veja um novo exemplo de livros que estão invadindo as salas de aula com o objetivo de estimular crianças a partir de 9 e 10 anos a fazerem sexo. O livro é sugerido pelo MEC a diretores e professores da rede pública e privada de ensino.

Vídeo: é falso que Sadia esteja dando prêmios para quem compartilhar no WhatsApp

São livros que não ensinam apenas como colocar um preservativo no pênis. Esses livros também interagem com as crianças, como o modelo mostrado abaixo. Ele se chama “Aparelho Sexual & Cia, Um guia inusitado para crianças descoladas”, escrito pela autora francesa Hélène Bruller e editado no Brasil desde 2007 pela Companhia das Letras.

Amigo, nós não vamos entrar no mérito se o livro é válido por dois motivos: 1) não lemos a obra como um todo. 2) Não somos especialistas em educação sexual. Mas, como nós somos especialistas em desvendar balelas, vamos aos fatos.

O primeiro deles é que o livro não é uma “cartilha do MEC”. Na realidade, o livro nem brasileiro é. Ele é o “Aparelho Sexual & Cia, Um guia inusitado para crianças descoladas”, escrito pela autora francesa Hélène Bruller e editado no Brasil desde 2007 pela Companhia das Letras. Se você e o Bolsonaro tivessem lido com atenção isso, não diriam que era do MEC. Segundo, o livro nem é recomendado pelo MEC. Após a circulação da história, o MEC divulgou a seguinte nota no Portal Brasil. Leia:

O Ministério da Educação (MEC) informa, em nota, que não produziu e nem adquiriu ou distribuiu o livro “Aparelho Sexual e Cia”, que, segundo vídeo que circula em redes sociais, seria inadequado para as crianças e jovens brasileiros. O MEC afirma ainda que não há qualquer vinculação entre o ministério e o livro, já que a obra tampouco consta dos programas de distribuição de materiais didáticos levados a cabo pela pasta.

As informações equivocadas presentes no vídeo, inclusive, repetem questão que tinha sido esclarecida anos atrás. Em 2013, o Ministério da Educação já havia respondido oficialmente à imprensa que “a informação sobre a suposta recomendação é equivocada e que o livro não consta no Programa Nacional do Livro Didático/PNLD e no Programa Nacional Biblioteca da Escola/PNBE”.

“O vídeo que apresenta as obras como sendo do MEC, em nenhum momento, comprova a vinculação do Ministério aos materiais citados, justamente porque essa vinculação não existe”, enfatiza a nota, divulgada na noite desta quarta-feira (13) pelo ministério.

Concluindo: se o livro estivesse tendo milhares de exemplares comprados e distribuídos em bibliotecas, haveria alguma prova. E não há. Há apenas acusações (com textos bem pejorativos, diga-se de passagem) e o desmentido. Sendo assim, podemos afirmar que a história não passa de um boato.

PS: Esse artigo foi uma sugestão dos leitores Cristina Silva e Alessandro Cyrino. Se você quer sugerir um tema para o Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site ou pelo Facebook.