Atirador de Campinas, Euler Fernando Grandolpho, era filiado ao PT #boato

Boato – Euler Fernando Grandolpho, atirador que matou cinco pessoas na Catedral de Campinas, era filiado ao PT desde 1995.

No dia 11 de dezembro de 2018, o ataque de um homem chamado Euler Fernando Grandolpho na Catedral de Campinas deixou cinco mortos e milhões de pessoas abismadas. Isso fez o caso do atirador de Campinas ser muito comentado nos noticiários e na internet. E quando isso acontece, boatos surgem.

Uma das histórias que mais chamou atenção foi a que apontava que Euler Fernando Grandolpho seria filiado ao PT de Campinas. A tese surgiu em “mensagens soltas” em redes sociais e em um meme. Junto à mensagem do “meme”, há uma imagem de um registro no TSE no nome de Eder Salatti Grandolpho, uma foto do atirador e uma do corpo do sujeito. Leia duas versões da história que circulam online:

Versão 1: “Arma com número de série raspada, filiado ao PT, atirando indiscriminadamente em local religioso… deve ser uma combinação de “coincidências”!!!”. Versão 2: “O atirador da IGREJA é filiado ao PT desde 1995, e em dia com o dizimo….. que coincidência.”

Atirador de Campinas, Euler Fernando Grandolpho, era filiado ao PT?

A história de hoje relembrou algumas das fake news que circularam durante as eleições (quando não faltou gente falando que acusados de crimes eram “filiados ao PT” ou “admiradores de Bolsonaro”). A partir daí, não faltaram compartilhamento e conjectura. Mas será mesmo que Euler Fernando Grandolpho, o atirador de Campinas, é filiado ao PT? Não, não é. Explicamos o caso aqui.

A solução do caso é muito simples. O registro mostrado na mensagem não é de Euler Fernando Grandolpho. A pessoa que é filiada ao PT é Eder Salatti Grandolpho, que aparece na carteira de motorista do atirador como pai dele. Ao pesquisar no site do TSE (busque por PT e São Paulo), o nome de Eder aparece.

Dada a repercussão do caso, o próprio Partido dos Trabalhadores veio a público desmentir a informação de que Euler Fernando Grandolpho era filiado ao partido. Leia nota divulgada em 12/12/2018.

O Partido dos Trabalhadores manifesta solidariedade às famílias das vítimas da tragédia da Catedral de Campinas. Repudiamos a tentativa grosseira de disseminar a informação mentirosa de que o atirador seria filiado ao PT. Ele nunca foi filiado ao partido. O PT sempre lutou pelo desarmamento e defende a paz como princípio, e a política como instrumento de mediação entre os diversos setores da sociedade. […]

Vale dizer que não há quaisquer indícios de que Euler fosse simpático ao PT. De acordo com perfis do atirador, Euler não gostava da Igreja Católica (ao contrário do seu pai, que era ministro da Eucaristia de uma igreja). Também se sabe que ele tinha problemas de depressão (o que é, de fato, algo perigoso).

Resumindo: a história que aponta que Euler Fernando Grandolpho era filiado ao PT e que o crime de Campinas tem motivações políticas é falsa. Ainda é cedo para saber as motivações do crime, mas o fato é que o sujeito não está entre os filiados do partido.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164.

Compartilhe este artigo:

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)