Em ano de “entressafra”, as fake news nos deram muito trabalho online e offline

Depois do tsunami de fake news em 2018, o ano de 2019 poderia ser considerado, na teoria, como “de entressafra” de desinformação. Na prática, o que vimos foi muita preparação offline “para o que está por vir” e, claro, muito trabalho online.

Retrospectiva feita, agora é hora de passar a régua e fazer um balanço de como foi o ano em termos de fake news. Se eu tivesse que definir o ano em uma palavra, ela seria “preparação”. Se tivesse que definir em duas, seriam “preparação e entressafra”. Se tivesse que definir em três, seriam “preparação, entressafra e trabalho”.

Confira também

Quer se livrar de boatos? Clique para curtir o Boatos.org

Siga o Boatos.org no Twitter:

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Receba as nossas atualizações no grupo do WhatsApp (só postagens do administrador, não se preocupem): http://bit.ly/39Tje3u

Confira o nosso Instagram:

Instagram

Depois do tsunami de fake news em 2018, pudemos ver que o ritmo da desinformação diminuiu em 2019. Neste ano, podemos, claramente, perceber que a grande maioria das informações classificadas como falsas no nosso site não decolaram tanto quanto no ano passado.

É cedo para dizer que isso se deu por causa do período de “entressafra política” (afinal, as eleições de 2018 foram um ponto fora da curva em termos de notícias falsas) ou por causa de ações de plataformas digitais (como o WhatsApp, que vem tentando combater o impulsionamento automático de mensagens), mídia e instituições.

Temos, aliás, que citar que 2019 foi o ano em que mais testemunhamos esforços visando o combate às fake news por parte da mídia e de instituições. Isso resultou em “aumento de concorrência” (nunca vimos tanta gente fazendo fact-checking no Brasil), tentativas de conscientização e criações de forças-tarefa. Participamos de, no mínimo, três.

Uma delas foi o Programa de Enfrentamento à Desinformação, criado pelo TSE. O Boatos.org foi uma das 34 instituições a participar da iniciativa que, tentará inibir fake news nas eleições em 2020. Na prática, ainda não vimos resultados em termos de diminuição de fake news. Porém, há de se reconhecer que o programa está em fase de “preparação”.

Outra iniciativa que participamos foi o Painel de Combate às Notícias Falsas, organizado por órgãos do judiciário, como o STF. Na prática, a participação nos ajudou a elucidar rapidamente algumas fake news sobre o Supremo (uma vez que passamos a ter mais acesso a respostas de assessorias dos ministros). Posso considerar uma evolução visto que até alguns anos atrás autoridades tinham como tática “não falar sobre fake news” (o que só ajudou na disseminação de muitas delas).

Uma terceira iniciativa foi a CPMI das fake news, organizada pela Câmara dos Deputados e Senado Federal. O Boatos.org teve a oportunidade de falar em uma das sessões e deu sugestões para ajudar a combater notícias falsas. Temos tudo isso neste texto e no vídeo abaixo. O resultado disso? Só saberemos em 2020.

Em 2019, o Boatos.org também aproveitou a “entressafra” para colocar em prática algumas mudanças. Fechamos uma parceria com o Portal Metrópoles e com a empresa Marfeel (que está cuidando da versão mobile no site) e mudamos padrões das imagens do site. Demos início a outras iniciativas (como a produção de vídeos no Youtube, postagens no Instagram e outras parcerias), mas o trabalho do “dia a dia” (mesmo em entressafra) não nos deixou avançar tanto nelas.

Em 2020, temos em mente três mudanças iniciais. A primeira vai ser dar mais atenção a fake news que voltam a circular. (Quase) Todos os dias iremos fazer a recuperação de um desmentido que está bombando. Os critérios de escolha serão dois: ter sido desmentido a mais de um ano e estar entre os trends na busca interna do site. A segunda será o início da produção de vídeos curtos falando dos desmentidos. Será uma produção mais simples, feita no celular, mas mais frequente. A terceira será uma consequência disso: teremos mais publicações em nossas redes sociais.

Pois bem. Chegamos ao último dia de 2019 com mais de mil textos produzidos (a maioria absoluta são desmentidos), 36,6 milhões de visualizações de página (cravamos uma média de 100 mil por dia) e com o sentimento que fizemos o possível para combater as fake news, melhorar a experiência do Boatos.org e percebemos que, ao contrário de muitos outros anos, não estamos mais sozinhos nesta luta contra a desinformação. Obrigado a todos que nos ajudaram nesta luta! Se você quer combater a desinformação, You’ll Never Walk Alone.

Edgard Matsuki, editor do Boatos.org

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)