Tribunal Internacional de Justiça determina abolição de todas as vacinas contra Covid-19 #boato

Boato – O Tribunal Internacional de Justiça decidiu que todas as vacinas contra a Covid-19 devem ser abolidas e o diretor da Pfizer (entre outras autoridades) será processado.

Não é de hoje que, junto com a desinformação sobre as vacinas, boateiros trazem consigo ameaças. É o que acontece na história de hoje, que aponta para uma “decisão internacional” sobre a vacinação global.

O texto aponta que as vacinas contra a Covid-19 foram abolidas de todo o mundo pelo Tribunal Internacional de Justiça. Com isso o protocolo de saúde da OMS estaria suspenso e autoridades como o diretor-geral da Pfizer seria processado sob a acusação de genocídio. Leia o texto que circula por aí:

O Tribunal Internacional de Justiça determina a abolição de todas as formas de vacinação, sua fabricação, venda, o protocolo de saúde da Organização Mundial da Saúde (OMS) e coloca várias personalidades sob processo judicial internacional, incluindo o Diretor Geral da Pfizer sob a acusação de genocídio, e a Grã-Bretanha é o primeiro país a iniciar a implementação imediata. Link do site do Tribunal https://commonlaw.earth/iclcj-verdict-and-sentence/ (Investigar também a justiça brasileira, políticos, polícias, profissionais da Saúde, etc…)

Tribunal Internacional de Justiça determinou a abolição de todas as vacinas contra Covid-19?

A mensagem se espalhou, claro, entre diversos grupos negacionistas por aí. Só há um detalhe: o tal tribunal em questão não é um tribunal e não relevância jurídica nenhuma. Nem nacional, muito menos internacional.

Não é de hoje que malucos saem aí na internet “determinando” coisas absurdas e conseguem, mesmo com isso, viralizar em redes sociais. Há exemplos clássicos no Brasil de um certo sujeito que se diz “juiz” falando que ministros do STF seriam presos e dos EUA de uma suposta “prisão do CEO da Pfizer”.

Assim como nos outros casos, a tal história que fala de “paralisação de vacinação” não passa de um devaneio. O site em que foi publicada a informação não passa de uma página criada, de acordo com esse artigo de checagem da AAP, de um site criado por um pastor canadense (que, de acordo com esse texto da Reuters, foi expulso da igreja por disseminar teorias falsas) e tem peso jurídico zero.

O único tribunal que tem jurisprudência para crimes internacionais é o Tribunal Penal Internacional, de Haia. E não há nenhuma determinação vinda de lá pedindo o fim da vacinação (até porque não tem lá muita lógica).

Por sinal, a “determinação suspensão da vacinação” não é a primeira pérola vinda do site em questão. De lá já vieram “ordens de prisão” ao papa, à rainha Elizabeth e outras pessoas. Não é preciso nem dizer que as ordens não foram cumpridas por nenhum país.

Resumindo: o tal Tribunal Internacional de Justiça pode até ter determinado o fim da vacinação. Só que ninguém vai cumprir a tal ordem. Além de ter sido criado por um sujeito conhecido por teorias falsas e ter sido “fonte” de outras decisões absurdas, o “tribunal” (que, na realidade, não passa de um site) tem peso jurídico certo.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61) 99458-8494.

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/3HIppbu
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
 – Siga-nos no TikTok https://bit.ly/3yPELWj
 – Siga-nos no Kwai https://bit.ly/3cUbEso

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet