Pirelli, Volvo e Syngenta foram vendidas para a China durante a pandemia do coronavírus #boato

Boato – A China está se aproveitando da pandemia da Covid-19 para dar um golpe e comprar empresas mundo afora. Recentemente, a Pirelli, a Volvo e Syngenta foram vendidas a empresas chinesas.

Um tipo de boato que tem sido recorrente durante a pandemia do novo coronavírus é aquele que aponta que a China se utilizou da pandemia para “dar um golpe financeiro no mundo”. Não há provas de que isso seja real (ao contrário, as consequências também enfrentadas pela China mostram o oposto disso). Mais do que isso, provas falsas estão sendo alardeadas sobre o assunto.

As últimas três seriam, de acordo com mensagens que circulam online, a venda da Pirelli, Volvo e Syngenta para empresas chinesas. Isso teria sido feito durante a pandemia da Covid-19 e a prova estaria em links de portais de notícias falando sobre as negociações. Leia uma das mensagens que circulam online (e que citam outros casos, que, se for o caso, desmentiremos por aqui):

Atenção! Desconfie de textos que falam em “compras de empresas” por parte da China

CHINA COMPRANDO O MUNDO.… GOLPE MUNDIAL DEU CERTO. DESVALORIZAÇÃO GLOBAL E POUPANÇA DE DOLAR PÕE O MUNDO AOS PÉS DA CHINA. VOLVO, PIRELLI, BELAGRICOLA, MERCEDES BENZ, SYNGENTA, THOMAS COOK, AZUL, E VÃO CONTINUAR…..

Pirelli é vendida para grupo chinês Chineses pagam US$ 253 milhões pela Belagrícola: Chinesa Geely agora é a maior acionista da Mercedes-Benz Syngenta é vendida para empresa chinesa por US$ 43 bilhões – Canal RuralO Globo: Grupo chinês compra 23,7% da Azul por R$ 1,7 bi

Pirelli, Volvo e Syngenta foram vendidas para a China durante a pandemia do coronavírus?

As teorias se espalharam com força por aí (assim como tantas outras). Mas será mesmo que a China se aproveitou da pandemia da Covid-19 para comprar a Pirelli, a Volvo, a Syngenta e as outras empresas citadas? A resposta é não. Calma aí que a gente explica tudo para vocês.

Quando nos deparamos com a mensagem, vimos “mais do mesmo”. Isso porque já desmentimos histórias que apontavam que a China havia se aproveitado da quarentena do novo coronavírus para comprar empresas mundo afora. Já desmentimos, por exemplo, que a China comprou a TV Band, cooperativas no Paraná, empresa aérea Azul (inclusive citada neste texto) e até 30% das empresas do ocidente.

Em alguns casos, a “venda” era pura invenção. Em outros (como no caso da Azul), a informação foi apresentada fora de contexto. Compras antigas estão sendo atribuídas como recentes. É o que aconteceu com as empresas citadas no texto de hoje.

No caso da Pirelli, a venda de 26,5% das ações ocorreu em março de 2015. A empresa compradora é a China National Chemical Corporation (ChemChina). A ChemChina também foi a compradora da Syngenta. A aquisição foi em 2016. A venda da Volvo ocorreu em 2010. A compradora foi a empresa Geely. Ou seja: as três compras (todas de empresas do mercado privado) ocorreram antes da pandemia do novo coronavírus.

Resumindo: a história que aponta que a China saiu comprando a Pirelli, a Volvo e a Syngenta após ter dado “um golpe” com a Covid-19. Todas as compras ocorreram há anos e não há nada de coronavírus envolvida nelas.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61) 99177-9164.

Confira a lista de todas as fake news sobre o novo coronavírus

Clique nos links “bit.ly” para acessar nossos perfis:

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp http://bit.ly/2oQa6tD

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)