China é a dona da Band e mandou emissora falar mal de Eduardo Bolsonaro #boato

Boato – Governo da China e Partido Comunista Chinês controlam a TV Band e mandou emissora atacar Eduardo Bolsonaro e Ernesto Araújo em editorial. 

As histórias falsas sobre o novo coronavírus no Brasil seguem firmes e fortes circulando nas redes sociais. Especialmente aquelas que misturam o surto da Covid-19 com teorias da conspiração contra à família Bolsonaro.

Quer se livrar de boatos? Clique para curtir o Boatos.org

Siga o Boatos.org no Twitter:


Se inscreva no nosso canal no Youtube

 

Receba as nossas atualizações no grupo do WhatsApp (só postagens do administrador, não se preocupem): https://bit.ly/3awoU3e

Confira o nosso Instagram:

Instagram

A de hoje, por exemplo, tem um longo contexto. No dia 18 de março de 2020, o deputado federal Eduardo Bolsonaro publicou em seu Twitter uma frase xenófoba onde acusava a China pela pandemia do novo coronavírus. Quase que imediatamente, a Embaixada da China exigiu explicações e desculpas do deputado. Não satisfeito com a situação, o chanceler Ernesto Araújo entrou no meio da briga e acusou a China de ofender o presidente Jair Bolsonaro e exagerar na reação contra o deputado Eduardo Bolsonaro.

O assunto repercutiu. No dia 20 de março, o editorial do Jornal da Band chamou Eduardo Bolsonaro de “irresponsável” e Ernesto Araújo de “idiota”. A partir daí, uma denúncia de que a China seria a dona da Band começou a circular nas redes sociais. De acordo com a publicação, a Band teria sido entregue ao Partido Comunista Chinês (PCC), através de uma parceria com a China Media Group. Confira:

Versão 1: O VÍRUS É CHINES SIM E FOI CRIMINOSO. GOVERNO CHINÊS É DONO DA BAND E ATACA VIA TV O GOVERNO BOLSONARO. Versão 2: Pare de acreditar no Jornalismo da Band. A China é dona de 40% da Emissora. Versão 3: A CHINA É DONA DE GRANDE PARTE DE AÇÕES DA EMISSORA BANDEIRANTE MAIS CONHECIDA COMO BAND, ISSO EXPLICA MUITA COISA.

China é a dona da Band e mandou TV falar mal de Eduardo Bolsonaro?

Pois bem, a informação viralizou nas redes sociais e causou diversos comentários por aí. Mas será que a TV Band realmente pertence à China e foi obrigada a falar mal de Eduardo Bolsonaro? A resposta é não!

Vamos aos detalhes! Ao ler a publicação, de cara, ficamos desconfiados. A mensagem segue aquele velho roteiro de fake news na internet: é vaga, alarmista, possui erros de português e não cita fontes confiáveis.

Ao analisar o conteúdo que estaria sendo usado como “prova”, é possível perceber que, de fato, a TV Bandeirantes firmou uma parceria com a rede China Media Group (CCTV). A história entre as duas emissoras é de longa data e começou em 2011. Entretanto, essa parceria não tem nada a ver com compra de ações, mas sim com produção de conteúdo. De acordo com a Band, o contrato prevê produções conjuntas e compartilhamento de conteúdo, visando o desenvolvimento da relação entre os dois países. O acordo entre as duas emissoras não envolve dinheiro e muito menos participação acionária.

Além disso, não existe a menor possibilidade da China ser dona da TV Band (ou de qualquer outra empresa jornalística ou de radiodifusão no Brasil). Isso porque a lei nº 10.610/02 limita a participação de capital estrangeiro em empresas jornalísticas ou de radiodifusão em até 30% do capital total e volante. Mas, como dito anteriormente, a parceria entre as duas emissoras é apenas de conteúdo (e não financeira). Portanto, tudo está dentro da lei.

Por fim, as mensagens que estão circulando nas redes sociais não apresentam uma prova sequer sobre o assunto. Nem sobre a China ser dona da TV Band e, muito menos, sobre a China ter mandado a emissora brasileira falar mal de Eduardo Bolsonaro.

Em resumo: a história que diz que a China é dona da TV Band e ordenou que a emissora brasileira falasse mal de Eduardo Bolsonaro e Ernesto Júnior é falsa! A TV Band e a CCTV possuem uma parceria de anos para produção e compartilhamento de conteúdo. Entretanto, não envolve dinheiro e nem participação acionária. Além disso, a lei brasileira sobre participação de capital estrangeiro em empresas jornalísticas e de radiodifusão impede que um estrangeiro tenha mais do que 30% de participação no capital total e volante da empresa. Por fim, a publicação também não apresenta nenhuma prova sobre o assunto. Ou seja, a história é pura balela. Até a próxima e fique atento às medidas de prevenção contra o novo coronavírus!

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61) 99177-9164. 

Confira a lista de todas as fake news sobre o novo coronavírus

Clique nos links “bit.ly” para acessar nossos perfis:

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp http://bit.ly/2MF7olM
error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)