Muçulmanos protestam sem máscaras contra Macron na França #boato

Boato – Na França, Macron não consegue controlar muçulmanos e eles organizam uma manifestação contra o presidente. 

Nas últimas semanas, dois países europeus viveram momentos de terror. França e Áustria foram os mais recentes alvos do Estado Islâmico, sofrendo ataques terroristas que deixaram quase 20 pessoas mortas.

Na França, o atentado ocorreu no dia 17 de outubro e levou à decapitação de um professor de história que exibiu charges do profeta Maomé durante uma aula. Para completar, a pandemia segue firme e forte no país, o que fez com o presidente Emmanuel Macron decretasse um novo lockdown.

Em meio a toda essa confusão, uma história começou a fazer sucesso nas redes sociais. De acordo com a publicação, muçulmanos teriam realizado uma manifestação contra o presidente Emmanuel Macron. Segundo a história, o presidente da França não estaria conseguindo controlar os muçulmanos do país e teria dado um verdadeiro tiro no pé com sua política migratória. A publicação ainda chama a atenção para a falta do uso de máscaras e do distanciamento social ao longo do protesto. Confira:

Versão 1: “Protesto islâmico contra Macron. Bem feito! A propósito, não há lockdown e uso obrigatório de máscaras aí nesse país? Vírus não contamina muçulmanos?”. Versão 2: “Vc pensa que na França os muçulmanos estão indo as ruas em protesto ao que fez seu membro ? Hahahahaha então vc é de fato ingênuo . Naooo, ali tá todo mundo “fechado” no terrorismo . A passeata é pra que mesmo ? Contra o Macron . Aliás contra os ínfieis dos quais meus caros , a menos que vc se inclua no grupo , você também é um infiel”.

Muçulmanos protestaram sem máscaras contra Macron na França?

As imagens rodaram a internet, especialmente, no Facebook e no WhatsApp e já acumulam dezenas de compartilhamentos. Apesar disso, a história não passa de balela! Ao olhar as publicações, é possível perceber que elas apresentam diversas características de fake news na internet. O texto é vago, bastante alarmista, possui erros de português e não cita fontes confiáveis.

Além disso, esse tipo de história não é novidade na internet. A equipe do Boatos.org já desmentiu diversas histórias sobre vídeos falsos relacionados à política, como o que dizia que o povo argentino teria feito um protesto contra o comunismo, durante a quarentena na Argentina. Também a que indicava que uma foto mostraria um grupo Antifa queimando a bandeira do Brasil durante um protesto no país, em 2020, e, por fim, a que apontava o MST teria ido a Nova York para realizar um protesto pró-Dilma.

Resolvemos, então, buscar por mais informações sobre o vídeo e descobrimos que as imagens não tem nada a ver com a França. A manifestação, de fato, é verdadeira. Ela ocorreu no dia 27 de outubro de 2020, mas ao contrário do que aponta a publicação, o protesto aconteceu em Daca, capital de Bangladesh, não na França.

A manifestação reuniu cerca de 10 mil pessoas em Daca. Além disso, os protestos se estenderam a outros países islâmicos na Ásia, como Malásia e Indonésia. De acordo com informações, os protestos pacíficos visavam demonstrar a insatisfação de muçulmanos contra as declarações do presidente Emmanuel Macron, que afirmou que continuaria permitindo charges e desenhos sobre religião na França. Durante o ato, os manifestantes pediram respeito a todas as religiões e fizeram um boicote a produtos franceses.

Um pouquinho de atenção poderia ter evitado toda essa confusão. Isso porque, no próprio vídeo que está sendo divulgado, existe uma legenda indicando que a manifestação foi gravada em Daca, no Bangladesh.

Por fim, vale ressaltar que o preconceito contra os muçulmanos é crime. Associar a religião, em si, a grupos extremistas e fundamentalistas é completamente equivocado. A maior parte esmagadora dos praticantes do islamismo não tem nenhuma ligação com grupos terroristas e devem ter sua fé respeitada.

Em resumo: a história que diz muçulmanos fizeram uma manifestação contra o presidente Emmanuel Macron, na França, é falsa! O protesto, de fato, ocorreu. Primeiro, em Daca, na capital do Bangladesh. Depois, na Indonésia e na Malásia. Ou seja, o evento não ocorreu na França e nem desrespeitou o lockdown imposto no país. Ou seja, a história não passa de balela. Não compartilhe!

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99458-8494.

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp http://bit.ly/2QvB43t
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK