Ministros que impediram uso da hidroxicloroquina serão processados na França #boato

Boato – A partir de agora, quem impediu o povo de tomar cloroquina e hidroxicloroquina na França vai ter que responder na Justiça. Ex-primeiro-ministro e ministro da Saúde serão os primeiros. Tudo graças ao médico Didier Raoult.

Já fazem mais de quatro meses que a OMS declarou a crise do novo coronavírus como uma pandemia. Neste meio tempo, vacinas começaram a serem desenvolvidas, pessoas mudaram hábitos e curas milagrosas foram descartadas. Muita coisa mudou, mas ainda tem muita gente que continua falando e defendendo a cloroquina (ou hidroxicloroquina).

Quer se livrar de boatos? Clique para curtir o Boatos.org

Siga o Boatos.org no Twitter:


Se inscreva no nosso canal no Youtube

 

Receba as nossas atualizações no grupo do WhatsApp (só postagens do administrador, não se preocupem): http://bit.ly/2Z5PgE0

Confira o nosso Instagram:

Instagram

Lista no Telegram
https://bit.ly/2VSlZwK

Mesmo com diversos estudos e a maioria absoluta das autoridades em saúde (como a OMS) descartando a hipótese de que a medicação reduziria as mortes por Covid-19 ou seria a “cura da doença”, mais uma história relacionada à medicação começou a circular na internet.

Desta vez, mensagens dão conta de que a França decidiu fazer com que as pessoas que “impediram o povo de tomar cloroquina” passassem a responder na Justiça. A mensagem diz, ainda, que o ex-primeiro-ministro e o ministro da Saúde (que teriam sido derrubados pelo médico Didier Raoult, defensor da cloroquina) seriam os primeiros a serem processados. Leia a mensagem que circula online:

Versão 1: Agora na França, vão responder na Justiça, quem impediu que o povo fosse medicado com a Hidroxicloroquina. Acusação do Médico Didier Raoult derrubou o 1° Min da França e o Ministro da Saúde. Renunciaram. E agora vão responder na JUSTIÇA FRANCESA. Espero que aqui façam o mesmo ! https://t.co/qLwPRIK32y

Versão 2: Tributo a um Herói Mundial ! Na França, os que impediram que a população fosse tratada com a Hidroxicloroquina, irão responder na Justiça. A acusação do médico Didier Raoult derrubou o 1° Ministro da França e o Ministro da Saúde. Os dois renunciaram. Que aconteça o mesmo no Brasil, onde o STF, governadores, prefeitos e médicos criminosos precisam responder pelas 50 mil vítimas fatais da Covid-19. Versão 3: França começa a cair as máscaras…Cai o 1° ministro e o ministro da saúde por irem a contramão da Cloroquina.

Quem impediu o uso da hidroxicloroquina será processado na França?

É claro que as mensagens deixaram muitas pessoas, principalmente as que (assim como os presidentes do Brasil e EUA) acreditam que a hidroxicloroquina cura o coronavírus, atiçadas. Mas será mesmo que essa história de “punição na Justiça”, ministros e Didier Raoult é real? A resposta é não. Calma aí que a gente explica tudo para vocês

Vamos começar pelo elementar. A mensagem em questão, assim como outras fake news, tem características de boatos como ser vaga, alarmista e com erros de português. Além disso, não é de hoje que a cloroquina é tema de fake news (temos exemplos, só para começar, aqui, aqui, aqui e aqui).

Ao buscar pelo assunto, descobrimos que a mensagem cria uma relação causa consequência que não existe. É fato que há um médico chamado Didier Raoult que defende a cloroquina e foi capa da revista Paris Match. Também é real que membros do governo (como o ex-primeiro-ministro e o ministro da Saúde) estão sendo investigados por causa da gestão na pandemia no país.

Porém, nem a denúncia tampouco a saída do ex-primeiro-ministro Édouard Philippe (que saiu para assumir a prefeitura da cidade de Le Havre) têm a ver com o não uso da hidroxicloroquina. A prova disso é que o próprio governo do país (assim como outros) suspendeu a medicação (com exceção de casos de testes clínicos) após estudos que mostravam que a hidroxicloroquina não é um tratamento eficaz e que nenhuma notícia que fala da denúncia cita o “não-uso da medicação” como motivo.

É importante citar que essa mensagem também foi checada aqui no Brasil pela Agência Lupa. No artigo, que pode ser lido aqui, foi reforçado que a investigação está em fase preliminar e que não há nenhuma citação à hidroxicloroquina nas reportagens sobre o inquérito. Também é importante citar que o ministro da Saúde da França (ao contrário do que dizem algumas publicações) não deixou o cargo.

Resumindo: a história que aponta que o ex-primeiro-ministro da França e o ministro da Saúde serão responsabilizados pelo não-uso da cloroquina em tratamentos contra a Covid-19 é falso. Alguém pegou a notícia sobre um inquérito, juntou com uma entrevista do médico Didier Raoult e criou um enredo que não condiz com a realidade.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164. 

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp http://bit.ly/2Xmskzm
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)