Homem fica um mês na caverna após ter sido atacado por um urso #boato

Boato – Vídeo mostra homem que ficou um mês preso em uma caverna após ter sido atacado por um urso na cidade de Tuva, Rússia.

Há alguns dias, o Boatos.org desmentiu uma história que apontava que um homem havia sido enterrado vivo durante 26 dias. Lá no final do texto, falamos que haviam algumas hipóteses para o que realmente havia acontecido com o sujeito. Uma delas foi publicada em um site de notícias chamada EA Daily e dizia que o homem havia sido resgatado após um ataque de um urso na cidade de Tuva.

Mesmo com a notícia publicada em uma fonte “confiável”, ficamos com um pé atrás. “Apesar de a matéria não apontar detalhes e não podermos cravar “100%” que foi isso que ocorreu, é a hipótese mais próxima da realidade que encontramos. Apesar de não descobrir a real origem do vídeo que viralizou na internet, podemos cravar que a história que aponta que o homem da filmagem foi enterrado vivo não procede”, falamos.

Após o Boatos.org desmentir a tese do homem enterrado vivo, muita gente se mostrou “mais empolgada” com a história do homem que teria sido atacado por urso. Tanto que, depois de sair no EA Daily, a história circulou por diversos sites russos, foi parar nos tabloides britânicos e, claro, veio parar nos portais de notícias aqui do Brasil. Leia uma das versões da história:

Homem sobrevive um mês preso em toca de urso na Rússia: ‘Ele me guardou como comida para o futuro’ Na Rússia, um homem foi resgatado da toca de um urso após passar um mês preso. Alexander teve a coluna fraturada durante o ataque e, como não pode fugir, foi arrastado e mantido pelo animal dentro de uma caverna como reserva de alimento para o futuro.

De acordo com o The Siberian Times, a vítima foi encontrada graças aos cães de um grupo de caçadores que percorriam a região, na República de Tuva. O grupo que o pensou que ele era “uma múmia humana” ou um corpo que estava em decomposição. No entanto, ao se aproximarem, viram o homem abrir os olhos e pronunciar seu nome.

Já no hospital, Alexander relatou com dificuldade o que lhe acontecera, embora não conseguisse lembrar seu sobrenome ou sua idade: “O urso me guardou como alimento para o futuro”, explicou ele . Ele não se alimentou durante o tempo que passou na toca e explicou que bebeu sua própria urina para sobreviver.

Homem ficou um mês na caverna após ter sido atacado por um urso?

Parecia que o caso estava encerrado, certo? Pois não estava. Isso porque o vídeo também não é de um homem que foi atacado por um urso e ficou um “mês na toca”. Calma aí que a gente explica tudo para vocês.

Já quando vimos a versão do EA Daily, tínhamos dois motivos para duvidar da história. O primeiro estava no vídeo. Neste sentido, a aparência era de alguém doente e não de alguém atacado. Segundo ponto: a matéria não tinha muitos detalhes sobre o caso.

Quando a história viralizou, os hospitais locais negaram que o homem estava em Tuva (agradecimentos ao leitor Marcos Lamosa) e o próprio EA Daily viu que havia compartilhado uma informação errada e tratou de se corrigir.

No artigo, o EA Daily admitiu que publicou a história com base em uma publicação de uma pessoa influente de Tuva no WhatsApp e que a história foi desmentida por autoridades locais. Isso foi reforçado por essa matéria do The Independent.

No meio de tudo isso, mais uma hipótese (que também não vamos colocar a mão no fogo): a de que o sujeito estava em um hospital no Cazaquistão. Vale dizer que, nessa versão da história, não há qualquer citação de urso ou homem enterrado e tampouco foi divulgado o motivo da internação.

Resumindo: a história que aponta que um homem foi resgatado de uma cova de um urso é falsa. Apesar de ter sido publicado por um site de notícias, a história foi corrigida tempo depois. Esperamos que não precisemos desmentir mais fake news sobre esse mesmo caso.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164.

Compartilhe este artigo:

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)