Minas Tênis censura bandeira do Brasil em uniforme para prejudicar Bolsonaro #boato

Boato – Para prejudicar o presidente Jair Bolsonaro, o Minas Tênis Clube censurou a bandeira do Brasil do próprio uniforme.

O 7 de setembro já passou, mas parece que ainda temos algumas notícias falsas relacionadas ao “patriotismo”. A última que vimos aponta para uma suposta censura à bandeira do Brasil por parte de um clube.

Um vídeo de jovens atletas do Minas Tênis Clube é acompanhado de uma mensagem que aponta que a equipe censurou a bandeira do Brasil do uniforme para não fazer propaganda do presidente Jair Bolsonaro. Leia uma das versões da história que circula online:

“Vamos viralizar!! Olha o absurdo que chegamos. A roupa dos atletas do MINAS TENIS CLUBE que tem a bandeira do Brasil bordadas no uniforme teve que levar uma tarja para tampar a bandeira para não PARECER que estavam fazendo propaganda pro Bolsonaro. “

Minas Tênis censurou a bandeira do Brasil em uniforme para prejudicar Bolsonaro?

Não demorou para o conteúdo ser muito compartilhado em redes sociais e chamar atenção, principalmente, entre simpatizantes do presidente Jair Bolsonaro. Porém, não procede a informação que aponta a bandeira do Brasil foi censurada no clube.

A mensagem, o histórico e a ausência de notícias sobre o assunto já nos deixam muito desconfiados da veracidade da informação. As mensagens que circulam online são, assim como uma “boa fake news”, alarmistas, têm erros de português e não citam qualquer fonte confiável que confirme a informação.

Além disso, não é de hoje que notícias falsas sobre “censura” ao governo Jair Bolsonaro circulam por aí. Outro dia, por exemplo, desmentimos a fake news que apontava que o nome do presidente havia sido censurado no Museu Imperial.

Ao buscarmos em fontes confiáveis sobre assunto, nada encontramos em fontes confiáveis. Ao contrário, encontramos um desmentido feito pela Lupa, agência de checagem. O site apontou que, na realidade, a tarja (utilizada durante um torneio no clube) cobriu a patrocínios estatais (como do governo federal e de Minas Gerais).

Assim como no caso do Museu Imperial, a ação atende uma legislação que impede a divulgação de publicidade estatal durante o período de eleições. A ação foi explicada pelo próprio Minas Tênis Clube. Leia o que foi escrito no site:

O Governo Federal, por meio do OFÍCIO CIRCULAR No 3/2022/SEESP/SENIFE/MC, datado de 28/6/2022, e o Governo Estadual, por meio do Ofício Circular 1/2022 SEDESE/SUBESP, datado de 21/6/2022 orientaram diretamente o Minas Tênis Clube a cumprir a Lei 9.504/97 que estabelece as normas para as Eleições de 2022.

O documento orienta as instituições proponentes (que desenvolvem e executam projetos esportivos e culturais) a cobrir todas as marcas dos governos estadual e federal aplicadas nos uniformes e materiais adquiridos por meio da Lei de Incentivo.

O Clube também está impedido de realizar qualquer tipo de divulgação, seja física ou digital com as referidas marcas, em todas as modalidades esportivas e todos os pilares do Clube que recebem recursos por meio da Lei de Incentivo.

A vedação eleitoral é obrigatória, seguindo os artigos 17, 18, 19 e 20 da Resolução Conjunta SEGOV-SECGERAL-AGE 1, de 5/1/2022. Essa prática impede que instituições beneficiadas pela Lei de Incentivo façam propaganda política indevida durante período eleitoral.

De acordo com a Justiça Eleitoral, o uso da marca vigente dos governos estadual e federal, a partir de 2/7/2022 pode configurar publicidade institucional indevida e abuso de autoridade para os agentes públicos que infringirem a legislação. Após o fim das eleições, as marcas cobertas serão restabelecidas de acordo com a legislação da Lei de Incentivo.

Além dos citados ofícios, destaca-se também orientação emitida pelo Governo Federal quanto a publicidade em uniformes e material da Lei de Incentivo federal ao esporte. Disponível em: Manual de Conduta Eleições 2022.

Resumindo: é falsa a informação que aponta que o Minas Tênis Clube cobriu a bandeira do Brasil do uniforme para prejudicar o presidente Jair Bolsonaro. O que foi coberto na imagem foram patrocínios estatais e a medida atendeu legislação eleitoral.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo siteFacebook e WhatsApp no telefone (61) 99458-8494.

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/3uwu4ra
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
 – Siga-nos no TikTok https://bit.ly/3yPELWj
 – Siga-nos no Kwai https://bit.ly/3cUbEso

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet