Tamanduá cego é flagrado fugindo de queimada na Amazônia em 2019 #boato

Boato – Imagem do fotógrafo Araquém Alcântara mostra tamanduá cego fugindo de queimada na Amazônia em 2019. 

O mundo está em choque com a tragédia provocada pelas queimadas na Amazônia. As chamas já devastaram mais de 20 mil hectares de vegetação. Enquanto o governo Bolsonaro anuncia medidas para conter o fogo na Amazônia, os boatos aquecem os debates sobre o assunto.

A última que viralizou online aponta para a imagem de um tamanduá cego fugindo das chamas na Amazônia. Na foto, o animal aparece com os pelos chamuscados pelo fogo e de braços abertos. Junto à imagem, o texto afirma que o animal cego e queimado, registrado pelo fotógrafo Araquém Alcântara, evidência o sofrimento causado pelas queimadas na Amazônia. Leia o que dizem trechos de algumas versões:

Versão 1: Tempo seco facilita o aparecimento de incêndios na Amazônia, mas as queimadas são provocadas pelos produtores de carne e soja que estão lucrando com a desvalorizada moeda brasileira. São exportadores e querem exportar mais, como? Aumentando a fronteira agrícola e devastando a Amazônia, simples assim. O Brasil merece a Amazônia? Crédito da foto: Aranquém Alcântara. Na foto, o pequeno tamanduá-mirim, que ficou cego, luta para sobreviver em meio às chamas

Versão 2: Tamanduá cego pelo fogo – Foto Araquem Alcântara Mato Grosso/2019 Versão 3: A foto foi postada no perfil do fotógrafo no Facebook e rapidamente viralizou. Cego e com grande parte do corpo queimado, o frágil mamífero evidencia o sofrimento silencioso a que são submetidas milhões de espécies que têm na Amazônia seu lar ancestral e habitat. Após a repercussão da imagem, Aranquém fez um vídeo explicando como foi o encontro com o animal.

Tamanduá cego é flagrado fugindo de queimada na Amazônia em 2019?

Este ano já é o pior ano de queimadas na Amazônia brasileira desde 2010. Mas será mesmo que a imagem é real? Sim e não, na realidade, a história mistura fatos reais e fictícios. Entenda o porquê.

Ao bater o olho na mensagem, já ficamos desconfiados. Não é para menos. Aqui, no Boatos.org, temos um histórico longo de imagens fora de contexto, que envolve fotos de queimadas compartilhadas por famosos, animais feridos e mortos nas queimadas, caça de baleia e mar de sangue na Noruega e muitas outras.

Ao buscarmos pela origem da imagem, chegamos à conclusão que, de fato, o registro pertence ao fotógrafo Araquém Alcântara (citado na mensagem). Entretanto, a imagem não retrata as queimadas registradas na Amazônia nos últimos dias. Isso porque, o clique aconteceu em 2005, como mostra esta matéria do jornal Folha de S. Paulo.

A imagem do tamanduá-mirim foi registrada  na BR-163, próximo à rodovia Cuiabá-Santarém. Nesta matéria, o fotógrafo conta que com um binóculo avistou o animal cego e queimado. A foto foi publicada no livro “Amazônia” e rendeu ao fotógrafo um prêmio Jabuti.

Por fim, vale dizer que a agência de notícias AFP também desmentiu a informação. No desmentido, o site explica que a imagem do tamanduá-mirim circula na internet desde 2005. Questionado pela equipe de checagem sobre o registro, o fotógrafo confirmou a autoria da foto.

Resumindo: não devemos (e nem podemos) minimizar as queimadas, mas a imagem (agonizante) do tamanduá-mirim cego que circula pelas redes sociais não é recente.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164. 

Compartilhe este artigo:
error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)