Policial é estuprada por menores infratores no Rio #boato

Boato – A policial militar Alana Benatti Heins foi estuprada e esfaqueada por menores infratores no Rio de Janeiro.

Nos últimos tempos, os casos de violência contra a mulher têm ganho cada vez mais a atenção da mídia e do público em redes sociais. Há pouco mais de um mês, o caso da garota estuprada no Rio de Janeiro dividiu os internautas em dois grupos: os que pensavam em políticas protetivas e os que pensavam em políticas punitivas.

O segundo grupo citado acima muito provavelmente se indignou quando teve acesso a uma notícia que viralizou em redes sociais nos últimos dias: a de que uma policial militar teria sido estuprada e esfaqueada por menores infratores no Rio de Janeiro. O nome dela era Alana Benatti Heins. Leia texto que circula online:

Policial é estuprada e esfaqueada por menores infratores

A policial militar Alana Benatti Heins foi vítima de estupro e esfaqueamento no dia do próprio aniversário, os autores da violência são 8 menores infratores com diversas passagens.

A sargento Alana Benatti viveu uma madrugada de horrores nas primeiras horas do seu aniversário, ontem entre 3h e 5h. Oito menores infratores com idades entre 13 e 17 anos renderam a jovem militar quando ela estacionava seu carro na residência dos pais. Alana havia trabalhado um plantão de 24h. Ela que reside na Parada de Lucas (zona norte carioca), dirigiu até a favela do Cantagalo  para passar o aniversário com os pais. Foram 3 horas de viagem depois de um plantão de 24h para ter um desfecho tão triste.

Quando chegou em frente a residência dos pais ela desceu do carro e foi abrir manualmente o portão da garagem, neste momento três menores a renderam e outros cinco entraram no carro e levaram para uma mata denominada de Quilombo, lá a estupraram por duas horas consecutivas e depois deram 32 facadas no corpo da jovem.

Policial Alana Benatti Heins foi estuprada por menores?

O texto ainda citava, com detalhes, que a mãe da policial tinha esclerose lateral amiotrófica (doença degenerativa), que a policial era virgem e que os menores iriam responder em liberdade. No final, ainda provocou: “este é o Brasil dos direitos humanos”. Como pode-se perceber, a notícia seria um “tapa na cara” da sociedade se não fosse um detalhe: ela é falsa. Vamos aos fatos.

Tentamos procurar pela fonte da informação e chegamos ao site “Folha Brasil”. A página publica muitas notícias falsas que já desmentimos por aqui (como a de que Tiririca teria sido citado na Lava Jato). Além disso, tentamos procurar pelo nome citado acima e não achamos uma referência sequer à tal policial (só a notícia da Folha Brasil e outras idênticas). Ou seja, é uma pessoa que nunca existiu.

Por fim, foi utilizada uma foto de velório para ilustrar a tal matéria. De fato, a foto existe. Porém, é do funeral da atriz Yoná Magalhães, que morreu em outubro do ano passado. Este álbum de fotos do UOL usa a imgem.

Resumindo: a gravíssima denúncia de que uma policial militar chamada Alana Benatti Heins teria sido assassinada depois de estuprada por menores infratores é falsa. É mais um boato que circula online.

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet