Pular para o conteúdo
Você está em: Página Inicial > Brasil > Grupos estão organizando ataques em massa nas escolas no dia 20 de abril #boato

Grupos estão organizando ataques em massa nas escolas no dia 20 de abril #boato

Grupos estão organizando ataques em massa nas escolas no dia 20 de abril, diz boato (Foto: Reprodução/WhatsApp)

Boato – Grupos organizados de jovens resolveram organizar ataques em massa em escolas no dia 20 de abril em todo o Brasil.

Os dois episódios recentes de ataques a escolas no Brasil (um em São Paulo e um em Blumenau) têm gerado um alerta em autoridades na questão da segurança de crianças e adolescentes em ambiente escolar.

Medidas de reforço de segurança em escolas e creches estão sendo anunciadas por prefeituras e governos estaduais. Por parte do governo federal, medidas de monitoramento de redes sociais para mapear mensagens suspeitas também estão sendo tomadas.

Neste cenário, algumas mensagens surgiram em redes sociais e apontam que para algo terrível que poderia ocorrer em escolas no dia 20 de abril de 2023. Mensagens soltas em aplicativos e, principalmente, vídeos de influenciadores digitais estão se espalhando na internet para “alertar” (ou, melhor dizendo, alarmar) sobre uma suposta organização de grupos sobre um ataque em massa em escolas no dia 20 de abril.

As mensagens que, de início, parecem ter boas intenções, apontam que grupos de jovens estariam se organizando para realizar um ataque em massa como uma “homenagem” a outro ataque que ocorreu há anos nos Estados Unidos. Um dos conteúdos que tivemos acesso é de um perfil de uma garota no TikTok que aconselha que pais não levem filhos à escolas e que funcionários não vão trabalhar. Leia transcrição:

Vídeo: é falso que chá de mamão cure a dengue hemorrágica

Não vá à escola dia vinte. Se você é mãe, pai, não leve seu filho pra escola no dia vinte. Parece besteira, mas teve esse comentário aqui, um vídeo meu e eu decidi pesquisar sobre isso pra entender mais. Sugiro que vocês pesquisem sobre esse massacre de Columbinha o que acontece é que foram identificados grupos na internet planejando massacres para esse dia. E convenhamos, né? Já temos visto uma série de massacres acontecendo e só tem aumentado.

E pra piorar, pesquisando, eu descobri que o homem responsável pelo massacre recente em Blumenau ser interrogado pela polícia ele confessou que existe sim esse desafio na internet. Com esse desafio várias pessoas estão planejando ataques entre esses dias. E de fato bate com o que a gente está vivendo tem acontecido vários ataques no nosso país. O que nós podemos fazer sobre isso? Absolutamente em nada né?

O poder não está em nossas mãos Torcer que as novas autoridades tomem alguma providência. Gente, eu também vi algumas coisas sobre o dia catorze. Por via das dúvidas, não vai em nenhum desses dias. Eu que já terminei os estudos e você que já terminou os estudos, você sabe que um dia de aula, dois dias de aula não interfere ah Amanda, mas eu trabalho em escola. Talvez seja um bom momento pra você pegar um atestado. O meu conselho é que por esses tempos vocês tenham o maior cuidado possível

O segundo conteúdo que tivemos acesso também está descrito como “de melhores intenções”. Porém, é de uma voz com distorção (que serve para dar mais medo) de um suposto hacker que teria pedido à polícia para evitar o ataque e que ele teria “interceptado notícias”. Leia a transcrição:

Peço a polícia militar, polícia civil, polícia federal e a polícia de crimes cibernéticos que na semana do dia vinte de abril reforcem o policiamento nas escolas, creches, sejam elas de rede estadual, municipal ou privada, jovens terroristas estão planejando e sim é necessário. É de grande importância que essa informação atinja o maior público possível. Passem a informação adiante. Não estou espalhando notícias são notícias interceptadas por mim mesmo

A terceira notícia é de um influencer que fala sobre o ataque e que havia um “jogo” que eles disputariam que matariam mais e que teria uma agenda com locais dos ataques. Leia a transcrição:

Pessoal, não vá para a escola dia vinte de abril. Pais, não deixem seus filhos irem para a escola neste dia. Dia vinte de abril, faz vinte e quatro anos que o massacre de Columbia aconteceu. Um dos mais marcantes e tristes que já aconteceram nos Estados Unidos e infelizmente a gente tem visto na internet pessoas endeusando esse tipo de atitude e ao que parece essas pessoas tem grupos no Discord, no Telegram, onde elas armam essas coisas.

Eles fazem uma espécie de jogo entre eles qual eles seguem uma agenda com locais marcados em várias cidades e estados para fazerem várias atrocidades e ao que parece teria vazado que dia vinte de abril para aproveitar a data de aniversário desse massacre de Columbá hein Vários grupos estariam organizando um grande massacre. Esse é um vídeo completamente informativo e eu preciso que vocês compartilhem com o maior número de pessoas.

Por favor, tenham cuidado. A gente está vendo um cenário terrível no nosso país onde creches, escolas estão sendo invadidas. Mesmo que seja só um rumo, gente, por favor, dia vinte de abril não vá para a escola. Compartilhe com as pessoas e mande aí pro maior número de amigos e familiares que você conheça

Por que estamos realizando esta checagem?

Antes de começar a falar sobre o texto de hoje, quero convidá-los a me acompanhar em uma reflexão dos porquês estamos tratando do nosso objeto de checagem. Peço que leiam com atenção este trecho.

Quando tivemos o primeiro contato com pedidos de checagem (no sábado, 8 de abril) sobre o assunto, optamos por não realizar nenhum tipo de checagem de conteúdo por entender que falar sobre a data específica poderia acarretar em divulgação desnecessária do conteúdo.

Hoje, 10 de abril, este quadro está completamente mudado. Vimos que, além de o conteúdo ganhar a proporção que não deveria, estava sendo interpretado por muita gente de forma errônea. Dois comportamentos nos chamaram atenção: 1) A reprodução de mensagens que só aumentam o pânico. 2) A atmosfera de pânico que pairou em alguns locais.

Chegamos a ver, inclusive, uma “evolução do boato”. Agora, havia gente falando que os ataques seriam em 10 de abril. Além de os ataques não se concretizarem, muita gente tomou atitudes como, por exemplo, deixar de enviar os filhos para a escola.

A decisão de escrever um artigo sobre o assunto apontando para o porquê não passa de um boato (pelo menos por enquanto) foi de evitar a disseminação de um conteúdo que, além de causar pânico, pode gerar gatilho em alguém com, infelizmente, predisposição a realizar uma ação criminosa em ambiente escolar. Dito isso, vamos à checagem.

Grupos estão organizando ataques em massa nas escolas no dia 20 de abril?

A mensagem se espalhou com muita força em redes sociais (principalmente redes de vídeos como o TikTok) e por aplicativos de mensagens (como grupos de pais no WhatsApp). Porém, não há qualquer evidência de que haja a tal organização de grupos para que seja realizado os ataques em massa.

Ao analisar os conteúdos de “alerta”, podemos perceber alguns pontos. O primeiro é que, apesar das gravíssimas acusações, não há qualquer prova de que haja grupos organizando o tal ataque em massa. Não há nomes, não há endereços de publicações, não há nada nos vídeos que analisamos.

Ao fazer buscas sobre ameaças, o que encontramos foi, infelizmente, a ação de perfis anônimos individuais falando sobre o tal ataque e incitando publicamente pessoas para tal. Diferentemente de outros casos (como de São Paulo ocorrido no mês passado), as ameaças que vimos foram genéricas e não focam, por exemplo, nas próprias escolas que os ameaçadores estudariam.

Detalhe: o próprio Ministério da Justiça já ordenou, até o momento, o bloqueio de mais de 500 perfis que publicaram conteúdo que incita violência. Não é possível dizer que, no meio deles, haja uma ameaça real.

Segundo, os vídeos que abordamos se baseiam em outra fake news: de que os ataques em Blumenau foram feitos por conta de um “jogo” entre jovens. Esta informação é falsa e foi desmentida pela polícia local, que apontou que a ação em questão foi individual.

O terceiro ponto das publicações que nos chamou atenção está intrínseco. Infelizmente, o tom apontado (com direito a distorções de voz, tom alarmantes e pedido de compartilhamento) deixa a entender que a principal intenção não era ajudar pessoas. Era, na realidade, ganhar likes e views.

Com base nisso, resolvemos buscar pelo que as autoridades fizeram até o momento. Com o histórico recente, há uma reticência em cravar a “organização” como um boato. Quem fez isso até o momento foi a Polícia Militar do Paraná e a Polícia Civil de São Paulo. Em Minas Gerais, também houve desmentidos.

Por outro lado, nenhuma autoridade apontou que haja uma organização em massa para que sejam realizados os tais ataques em escolas. Até casos de jovens apreendidos por ameaça como em “trotes” em Mato Grosso do Sul e no Distrito Federal não há indicação de uma ação conjunta.

Sendo assim, temos uma boa notícia: pelo menos por enquanto, não há indicação de qualquer ação coordenada de jovens para que sejam realizadas ações criminosas. Outra boa notícia é que o monitoramento realizado por autoridades com a ajuda de redes sociais (que precisam colaborar) devem mitigar esta questão. Isto não significa que estamos sob risco zero.

Infelizmente, este tipo de conteúdo (sejam as ameaças em si ou os alertas falsos) podem gerar um efeito: incitar ações solitária de pessoas que têm predisposição (seja lá por qual motivo) de realizar as ações criminosas. Por isso, pedimos: não compartilhem estas mensagens.

Se, por algum motivo, você vir alguma ameaça em sua região, deve fazer duas coisas: 1) Denunciar à polícia de sua região. 2) Fazer uma denúncia ao Ministério da Justiça por meio deste endereço. O que você não deve fazer é sair espalhando o pânico por aí.

Resumindo: não há qualquer evidência de que haja uma ação organizada para um ataque em massa no dia 20 de abril de 2023. Além de os alertas se basearem em informações falsas, o que vimos até o momento são ações solitárias e trotes na internet já desmentidos pela polícia. Para que o boato não vire verdade, precisamos de duas coisas: 1) Que as autoridades monitorem redes sociais e aumentem a segurança em escolas. 2) Que você pare de reproduzir as ameaças e conteúdos alarmistas sobre elas.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61) 9275-5610

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube https://bit.ly/3vZsrnd
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/41sX0QS
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
 – Siga-nos no TikTok https://bit.ly/3yPELWj
 – Siga-nos no Kwai https://bit.ly/3cUbEso