Pular para o conteúdo
Você está em: Página Inicial > Brasil > Vídeo que fala que o comandante do Exército Tomás Paiva confessou que vendeu armas é de canal que sempre divulga fake news

Vídeo que fala que o comandante do Exército Tomás Paiva confessou que vendeu armas é de canal que sempre divulga fake news

Comandante do Exército Tomás Paiva confessou que vendeu armas para o tráfico, diz boato (Foto: Reprodução/Youtube))

Boato – O comandante do Exército Tomás Paiva confessou que vendeu armas do Exército para tráfico e que foi denunciado pelo STM e general. 

  Análise

Começou a circular na internet, em um canal do YouTube chamado “Sem Medo da Verdade” (que, na verdade, só espalha mentiras), um vídeo que seria uma “bomba”. Ele aponta que o comandante do Exército, general Tomás Paiva, teria confessado que ele vendeu armas do Exército para o tráfico.

O título do vídeo é o seguinte: “🔴 Comandante confessou que vendeu armas do arsenal de guerra do Exército para o tráfico”. No vídeo, é dito que o ministro do STM Lourival Carvalho determinou a prisão dele e o general Décio Luiz efetuou. Leia a transcrição do vídeo (é só um trecho porque são 13 minutos de “bombas”):

Vídeo: é falso que Lula foi flagrado beijando Suzanne von Richtofhen

O comandante do exército Tomás Paiva confessou ter vendido armas para o tráfico após ser conduzido por Oficiais do Exército a pedido do Ministro do Superior Tribunal militar Luval Carvalho a fim de prestar depoimento sobre a venda de armamento pesado. Onde teria confessado o seu envolvimento para contr tráfico, de acordo com o chefe de inteligência que descobriu todo o esquema do comandante Paiva.

O General Dcio Luiz não é a primeira vez que Thomas Piva é flagrado vendendo armas. Quando era Comandante Militar do sudeste, uma grande quantidade de armas de guerra havia desaparecido do quartel general. Onde estaria o então Comandante Paiva, que tentou acobertar o caso ao tentar subornar oficiais para esconder as evidências do crime, mas foi pego por investigadores do exército que trabalham para o chefe da Inteligência.

Por isso, alguns militares tentaram assassinar o general D Luiz, pois o brilhante trabalho do General em descobrir um dos maiores casos de tráfico de armas dentro do exército tem sido um grande desespero para essa turma que tentou envenenar o chefe da Inteligência. O Ministro Lourival acatou a denúncia do General, o qual acusou o governo do ex-presidiário de tentar conceder um perdão presidencial após a condenação do comandante do Exército de comprar Generais para desviar dinheiro do orçamento.

Descobrimos que a história também viralizou no WhatsApp com uma menção “especial” a agências de checagens e outras figuras como o ministro do STF Alexandre de Moraes. Confira:

BOMBA!!! 😱💥(embora as chamadas “agências de checagens” aleguem fake news, acho muito suspeito, com base nas informações contidas neste vídeo) General de Inteligência do Exército, Décio Luís, descobre que o Comandante do Exército indicado do Luladrão, Tomás Paiva, vendia armas para o narcotráfico. Fato que envolve políticos, juízes e o então ministro do STF, Alexandre de Moraes. 

Checagem

É tanta coisa que fica até difícil saber por onde começar. Mas, na checagem, vamos responder às seguintes questões: 1) É verdade que o comandante Tomás Paiva confessou que vendeu armas do Exército para o tráfico? 2) Já se sabe quem são os responsáveis pelo sumiço de armas no quartel do Exército? 3) As acusações que citam o comandante Tomás Paiva são reais?

É verdade que o comandante Tomás Paiva confessou que vendeu armas do Exército para o tráfico?

Ao contrário da maioria das histórias que surgem no canal em questão (que só tem fake news), esta tem um lastro na realidade. Se você não sabe, descobriu-se nos últimos dias o sumiço de 21 metralhadoras no Comando Militar do Sudeste, em Barueri (SP). Apesar de estar na esteira de um caso real, a história é completamente fake. Primeiro, porque a história só consta na fonte em questão (que não é nada confiável) e é reforçada por outras fake news. Segundo, porque o comandante do Exército não confessou nada e nem está entre os suspeitos do sumiço das armas.

Já se sabe quem são os responsáveis pelo sumiço de armas no quartel do Exército?

As últimas notícias apontam que oito das 21 armas já foram recuperadas. Segundo porque já foram identificados os suspeitos da facilitação do sumiço das armas. Ao todo, três pessoas foram identificadas. Nenhuma delas é o comandante do Exército Brasileiro.

As outras acusações do vídeo que cita o comandante Tomás Paiva são reais?

Também não são. Na realidade, muitos dos 13 minutos de vídeo que estão com a história não passam de uma série de fake news já espalhadas na internet como, por exemplo, o “protesto de militares pedindo a prisão de Alexandre de Moraes” e o “atentado de Lula e o PCC contra Rodrigo Bartolomei”. 

Notamos uma estratégia em vídeos como estes. É criado um “fato novo” (ou melhor, fake novo) e depois são repetidas diversas fake news já espalhadas só para “dar volume” no texto. Com isso, o canal (que não sabemos porque não é derrubado e é anônimo) coleciona views, seguidores e prova que a estratégia compensa.

Conclusão

Fake news ❌

É falso que o comandante do Exército Tomás Paiva confessou que vendeu armas do Exército para traficantes. Trata-se de uma fake news sem pé nem cabeça que circulou em um canal do YouTube especializado em desinformação.

Ps: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo e-mail [email protected] e WhatsApp (link aqui: https://wa.me/556192755610)