Do impeachment ao casal 20: 7 boatos da internet que viraram verdade

By | 31/08/2016

Impeachment de Dilma, casamento de Bonner e Fátima, Aécio na Lava Jato, ameaça do Estado Islâmico… Listamos sete casos que em algum momento eram boatos, mas se tornaram verdade.

Os brasileiros ainda estão se recuperando da “trágica” notícia sobre a separação de William Bonner e Fátima Bernardes. Acontece que antes de assumirem a separação, a história do (ex) casal já estava rodando a web em forma de boato. Isso aconteceu também com o impeachment de Dilma. Antes de existir uma possibilidade real, muitos sites levantavam informações falsas sobre a saída dela do poder.

Quer se livrar de boatos? Clique para curtir o Boatos.org

Estes dois fatos em que a mentira nem precisou ser repetida mil vezes para virar verdade nos fez questionar a frequência com que boatos viram verdades. A seguir, vocês conferem sete casos que eram balela da internet e acabaram se tornando verdadeiros.

7 boatos que viraram verdade

7 boatos que viraram verdade

1 – O impeachment de Dilma

É de conhecimento geral que mesmo antes da reeleição de Dilma Rousseff as coisas já estavam balançadas no Brasil. Na época, como consequência de uma matéria bombástica da Veja, começou a circular a história de que Dilma sofreria um processo de impeachment por ter sido conivente com o roubo da Petrobras. Porém, a história era falsa. Não havia prova alguma do envolvimento da presidente no esquema (ainda não há) e a PF não tinha Dilma sob investigação.

Porém, o tempo passou e o desgaste do governo Dilma só piorou após sua vitória nas urnas. Quase dois anos depois do boato que desmentimos sobre a cassação de Dilma, o impeachment foi aprovado no dia 31/08/2016. Não por causa da Petrobras, como os boatos apontavam.

2 – Fim do casal JN

Não poderia faltar nesta lista, obviamente, a separação de William Bonner e Fátima Bernardes. O casal que se conheceu na bancada do Jornal Nacional nos anos 90 anunciou no último dia 30, que estão se separando. Na internet, antes do anúncio um boato dizia que Bonner tinha saído de casa deixando Fátima doente e em crise.

Como já sabemos o casamento dos dois jornalistas realmente chegou ao fim, mas Fátima não está doente. A apresentadora do Encontro, inclusive, esbanjava sorrisos em seu programa na manhã seguinte ao comunicado da separação, sem sinais de debilitação também.

3 – Aécio entrou na “ciranda” da Lava Jato

Com o turbilhão do cenário político, o ambiente ficou mais do que propício para que histórias falsas sobre o tema se espalhassem na internet. No ano das eleições presidenciais, a quantidade de mentiras sobre os candidatos impressionava. Entre as mais famosas, a história de que Aécio Neves seria investigado na Lava Jato movimentou petistas e psdebistas do sofá.

Pior ainda foi que espalharam a notícia como sendo algo tipo pelo jornalista Ricardo Boechat, o que nós mostramos não ser verdadeiro. Boechat não falou que Aécio estava na lista dos investigados da Lava Jato nem a Justiça tinha divulgado algo sobre isso até então (2015).

No entanto, em 2016, o procurador-geral da União, Rodrigo Janot abriu investigação sobre a participação do senador do PSDB nos esquemas de corrupção que a Lava Jato desmembra e teve o pedido aceito no Supremo Tribunal Federal.

4 – Estado Islâmico x Brasil

Com o término das Olimpíadas do Rio 2016, as autoridades e a população em geral respiraram aliviadas por que o evento ocorreu sem maiores incidentes. O temido Estado Islâmico, que preocupou organizações nacionais e internacionais, acabou não atingindo nada nem ninguém durante o evento no Brasil.

Acontece que a ameaça do grupo terrorista sonda o país na internet muito antes dos Jogos Olímpicos. No final de 2015, uma onda forte de notícias espalhou que o EI tinha ameaçado oficialmente o Brasil. Claro que a história espalhou como pólvora e deixou muita gente no clima “fujam para as colinas”. Acontece que a ameaça não havia sido divulgada por nenhum meio confiável e não havia sinais de que ela fosse real.

No entanto, e infelizmente, em abril deste ano a ABIN (Associação Brasileira de Inteligência) confirmou que uma dessas ameaças era real. O país foi ameaçado pelo Estado Islâmico através do Twitter. Talvez até motivado pelas “brincadeiras” que os brasileiros fizeram na época.

5 – Os caminhões pararam tudo

Em 2014, logo que encerradas as eleições presidenciais, o país já dava sinais de que estava se dividindo. Com a reeleição de Dilma Rousseff para seu segundo mandato, muita gente se manifestou contrária com o resultado do pleito.

À época, manifestantes contra Dilma e o PT alegavam firmemente que as eleições tinham sido fraudadas e foi nesse cenário que surgiu a notícia de que os caminhoneiros, revoltados, entrariam em greve geral no dia 13 de novembro para exigir a saída de Dilma.

Como esperado em casos de boato, a greve geral dos caminhoneiros não aconteceu em 13/11/2014. Associações e representantes da categoria inclusive se manifestaram naquele mês, desmentindo a história de que eles parariam em revolta ao resultado das eleições. O que de fato veio a acontecer foi que em fevereiro de 2015, uma greve de caminhoneiros parou rodovias em mais de 10 estados brasileiros. No entanto, as reivindicações eram outras – o aumento do diesel e o baixo valor dos fretes.

6 – O ator e criador de Chaves morreu

No início de 2014, internautas ficaram em polvorosa com a notícia de que Roberto Bolaños, criador do personagem Chaves, havia morrido. Na época, um suposto texto do G1 anunciava que Bolãnos tinha falecido por problemas sérios de saúde, principalmente da próstata. O furdunço foi tão grande que até a assessoria de Roberto Bolãnos teve que esclarecer que o ator estava vivo.

Depois de anos de histórias sobre a morte de Bolaños (desde os anos 90 se espalhavam rumores de que ele havia falecido), o caso finalmente (e infelizmente) se confirmou. Em novembro de 2014, o ator, diretor e intérprete de personagens como Chaves e Chespirito, morreu decorrência de problemas respiratórios, em Cancún (México), aos 85 anos de idade.

7 – Adeus, Suassuna

Os boatos de morte estavam em alta em 2014 (aliás, quando eles não estão?). Depois de histórias sobre o falecimento de Roberto Bolaños, Jô Soares e Wesley Safadão (essa foi um choque), não paravam de pipocar informações “atualizadas” sobre o estado de saúde do escritor Ariano Suassuna na web. A onda culminou no aviso de seu falecimento.

Grandes portais de notícias erraram ao informar a morte do escritor tendo como base uma nota da Academia Brasileira de Letras. A própria ABL desmentiu a morte do escritor e de tabela, fez com que os portais se retratassem.

Infelizmente, não demorou muito para o boato virar verdade. A informação se tornou correta só um dia depois, quando Suassuna morreu aos 87 anos por complicações decorrentes de um AVC hemorrágico.

Nota dos autores: Gostaríamos de destacar que a situação em que os casos desta lista se encaixam – boatos que agora são verdadeiros – não é válida para todos os desmentidos já postados aqui no site. Nossa função tem sido analisar tema a tema e investiga-los até concluir que são falsos. Não há como prever mudanças em função de esclarecimentos, fatalidades, o acaso e o próprio decorrer da vida. Nosso objetivo, aliás, sempre foi desmentir e não prever o futuro. Seguimos firmes com essa proposta e agradecemos a todos(as) que têm nos acompanhado nesse caminho.

2 thoughts on “Do impeachment ao casal 20: 7 boatos da internet que viraram verdade

  1. Avelar Menezes Gomes

    Oportuna essa lista de boatos que viraram verdades. Temos que levar em conta que todos os boatos que falam da morte de alguém um dia vai virar verdade. Outros boatos, como do impeachment e da lava a jato vão mais na linha do onde há fumaça há fogo. Mas vocês estão sendo muito úteis para desfazer esse clima de alarmismo que assola as redes sociais. Parabéns!

    Reply
  2. Dario

    Parabéns pelo trabalho. O boatos.org é realmente de utilidade pública.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *