Ministério da Saúde faz pesquisa e pede código SMS do WhatsApp #boato

Boato – O Ministério da Saúde está fazendo uma pesquisa para vacina. No final, a pessoa tem que repassar um código por SMS de seis dígitos do WhatsApp.

Um dos tipos de crimes virtuais mais comuns na internet é o do sequestro de WhatsApp. Por meio de engenharia social (convencimento), golpistas estão roubando contas do aplicativo para, posteriormente, pedir empréstimos para contatos da pessoa.

Para realizar o golpe, os bandidos precisam apenas ter o código de verificação do WhatsApp repassado pelo dono da conta. Para tanto, eles se utilizam de alguns subterfúgios como uma pesquisa, uma venda ou até um prêmio.

O mais recente que tivemos acesso é relacionado a uma suposta pesquisa sobre vacinação. Uma pessoa liga em nome do Ministério da Saúde, faz perguntas genéricas e, no final, pede uma “confirmação”. A partir daí, pede um “código de seis dígitos” que chegou por SMS.

Ministério da Saúde está fazendo pesquisa e pede código SMS do WhatsApp?

Ao contrário da maioria das vezes, não encontramos nenhuma mensagem viral falando do assunto (afinal, esse tipo de golpe é mais discreto). Porém, achamos por bem alertar e confirmar que o Ministério da Saúde não está pedindo SMS código algum em pesquisa.

Lá no início da pandemia, o Ministério da Saúde (quando ainda estava com Luiz Henrique Mandetta) chegou a cogitar um serviço de pesquisa por parte do número 136 (o que gerou um boato que seria um golpe). Com a saída de Mandetta, a ideia da pesquisa não foi pra frente.

Mesmo que existisse qualquer pesquisa por telefone (e aí a coisa não se limita a golpistas em nome do Ministério da Saúde), nunca você deve passar os códigos recebidos por SMS. O próprio Ministério da Saúde alertou no ano passado para esse tipo de golpe (veja aqui e aqui).

No ano passado, golpistas tentaram agir em nome do Boatos.org e explicamos como esse tipo de golpe funciona. Relembre o que escrevemos e falamos a respeito:

O motivo para pedir o código pode ser qualquer um: um convite para um grupo, um cupom de oferta, um convite para sair etc. A mensagem é apenas uma isca para que a pessoa peça o que ela quer: o código do WhatsApp.

A partir do momento em que o golpista recebe a confirmação de que a pessoa quer participar do grupo novo no WhatsApp, ele tenta cadastrar do número dela em um telefone novo. E aí está o pulo do gato: para completar o cadastro, será preciso confirmar um código enviado por SMS.

Se a vítima enviou o código certo para a pessoa que aplicou o golpe, a primeira parte da falcatrua estaria completa. Caberia ao golpista apenas colocar o código no telefone e passar a usar o WhatsApp e a identidade de vítima.

A partir daí, as possibilidades são múltiplas. A mais conhecida delas é realizar o golpe do falso empréstimo. Em posse do WhatsApp da pessoa, o golpista poderia entrar em contato com parentes e amigos para pedir depósitos em conta e sumir com a grana.

Resumindo: se você receber uma ligação de alguém que se diz do Ministério da Saúde e essa pessoa “pedir um código de confirmação”, não envie. Além de o órgão não pedir esse tipo de confirmação, trata-se de um golpe que serve para roubar contas dos mais inocentes.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164. 

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/318Tn5c
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet