AliExpress (AliHouse) é uma estratégia da China para acabar com empresas do Brasil #boato

Boato – Não compre nada na AliHouse da AliExpress. A empresa é a maior da China, não gera empregos no Brasil e é uma estratégia do país para acabar com comércio do Brasil.

Desde que Donald Trump se elegeu com aquele papinho de “America First” (e depois, Bolsonaro com “Brasil acima de tudo”), militantes mais radicais consideram todos os produtos que vem de países como a China como uma ameaça global aos “negócios nacionais”. E é justamente com essa pegada que um texto está pedindo “boicote” a uma série de promoções.

De acordo com a mensagem, a AliExpress (que seria a maior empresa da China) estaria dento de uma estratégia de dominação do Brasil. Ela seria colocada em prática por meio da AliHouse (uma espécie de reality show de ofertas). O texto aponta que a empresa não gera nenhum emprego no Brasil e só tem como objetivo acabar com negócios do Brasil. Leia a mensagem que circula online:

*Aviso Importante* Amigos, boa noite! Está sendo vinculada em todas as TV’s abertas, principalmente na Globo , Record e Band, uma propaganda da *Aliexpress* sobre tudo que se pode comprar em uma casa (por aplicativo ou site). *Em hipótese alguma compre produtos desse site!* A Aliexpress é a maior empresa da China, não gera nenhum emprego no Brasil e é uma estratégia da China para acabar de vez com as empresas brasileiras. Não para de passar nos intervalos de programas populares.

Principalmente agora que em vários lugares o comércio está fechado. Se você é comerciante, ou tem respeito pelas empresas brasileiras, repasse esse aviso para todos os seus amigos, e em pouco tempo vamos colaborar com as empresas e trabalhadores brasileiros. Os produtos serão colocados em valores bem abaixodo mercado, justamente com a missão de destruir definitivamente com a indústria é o comércio do Brasil. O nome da ameaça é *Alihouse*. Não caiam nesta armadilha. Fiquem atentos. O Brasil vai dar certo e merece sua ajuda!

AliExpress (AliHouse) é uma estratégia da China para acabar com empresas do Brasil?

Caramba! O pessoal tá com raiva mesmo, hein? Só que, apesar do tom da mensagem, o texto que circula online não passa de um amontoado de acusações sem provas e informações erradas (não sabemos de por ignorância ou intenção). Como o texto consegue errar diversas vezes, vamos listar os fakes em tópicos:

Fake #01 – Propaganda da AliExpress está sendo veiculada principalmente na Globo, Record e Band

O texto já começa com uma informação errada. Na realidade, a ação da AliHouse é uma parceria entre Record TV e SBT. Essa matéria aponta que Sabrina Sato (Record) e Eliana (SBT) estão no comando das atrações.

Fake #02 – A Aliexpress é a maior empresa da China

A AliExpress (braço do grupo Alibaba) é uma empresa gigantesca. Porém, não é a maior da China. Nos rankings de maiores empresas, o nome da AliExpress nem aparece. A AliBaba, de acordo com a Forbes é a 11ª maior empresa do país.

Fake #03 – Não gera nenhum emprego no Brasil

Não é verdade. Além de emprego indiretos em serviços de entrega, a AliExpress chegou a abrir uma loja física em Curitiba e, ainda por cima, permite que vendedores brasileiros anunciem na plataforma.

Fake #04 – É uma estratégia da China para acabar de vez com as empresas brasileiras

Assim como em outros boatos (como de que a China quer dominar o Brasil), não há qualquer prova de que haja uma estratégia para acabar com as empresas daqui (tanto que é possível, também, anunciar no site). É claro que há uma estratégia de vendas, mas não necessariamente, vai fechar as lojas (pelo menos não as que pararem no tempo) daqui.

Fake #05 – Os produtos serão colocados em valores bem abaixo do mercado, justamente com a missão de destruir definitivamente com a indústria é o comércio do Brasil

Apesar do chororô, não há provas de que os preços estão baixos só para acabar com o comércio e indústria do Brasil. O que ação parece ser é mais uma estratégia de vendas (assim como a Black Friday).

É importante citar mais duas coisas. Uma é que, ao contrário do que sugere a mensagem, a relação entre empresa e o governo da China não é das melhores. Jack Ma, bilionário dono do grupo Alibaba, chegou até a “sumir” (para evitar desgastes públicos) depois de criticar o governo da China.

A outra é que, assim como em outros boatos, a mensagem tem características como o caráter vago, alarmista, erros de português e a falta de citação de fontes confiáveis e, ainda por cima, segue um vasto histórico de boatos sobre “dominação chinesa no Brasil” que, na realidade, não passam de retórica política se utilizando de dados falsos.

Resumindo: a história que aponta que a China resolveu acabar com o Brasil se utilizando do site AliExpress é falsa. Se você quiser comprar no site em questão, compre. Se não quiser, não compre. Só não dá para tomar a decisão com base em fake news.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164. 

Ps2: Confira a nossa nova seção “Oportunidades” clicando aqui. 

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/3tP2fIR
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
 – Siga-nos no TikTok https://bit.ly/38hcBcy

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet