Vacina contra o câncer de pele e rins é desenvolvida no Brasil #boato

Boato – A vacina contra o câncer de pele e rins foi criada por cientistas brasileiros e está disponível no Hospital Sírio-Libanês.

A cura do câncer. Esse talvez seja a invenção mais buscada do mundo da medicina. Tanto que volta e meia alguma notícia aponta que “pesquisadores encontraram o que pode ser a cura do câncer”. Mais do que isso, alguma informação surge por aí dizendo que a cura para doença já foi encontrada. É o que acontece com uma postagem que tem circulado a algum tempo na internet.

O texto aponta que uma vacina contra o câncer está disponível no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. De acordo com a postagem, a tecnologia utiliza um pedaço do próprio tumor para prevenir a doença por meio de vacina. Leia o texto que circula online:

Amigos (as) Boas notícias são para compartilhar. Já existe vacina anti-câncer (pele e rins). Foi desenvolvida por cientistas médicos brasileiros para estes dois tipos de câncer, que se mostrou eficaz, tanto no estágio inicial como em fase mais avançada. É fabricada em laboratório utilizando um pequeno pedaço do tumor do próprio paciente. Em 30 dias está pronta, e é remetida para o médico oncologista do paciente. Nome do médico que desenvolveu a vacina:José Alexandre Barbuto Hospital Sírio Libanês – Grupo Genoma. Telefone do Laboratório: 08007737327 – (falar com Dra. Ana Carolina ou Dra.. Karyn, para maiores detalhes) http://www.vacinacontraocancer.com.br/ Isto sim é algo que precisa ser repassado………. Alguém pode estar precisando !!!!! Por favor, divulguem esta vitória da medicina genética brasileira!!!!

A história está circulando por WhatsApp de forma mais incisiva, mas é do tempo em que se escrevia “anti-câncer”. Só tem um porém no “serviço prestado”: a informação é falsa. Vamos aos fatos.

Para além de todo o blá, blá, blá das características de textos falsos (que o leitor assíduo do Boatos.org já está careca de conhecer), o primeiro ponto está relacionado à própria metodologia de cura da doença. Ao buscar sobre “a vacina é fabricada em laboratório utilizando um pequeno pedaço do tumor do próprio paciente” chegamos a um trabalho de brasileiros que ainda visam elaborar uma vacina. Mas nada certo.

Ok, existe uma pesquisa. Mas será que a vacina já existe mesmo? A resposta é não e a charada é desvendada pelo próprio Hospital Sírio-Libanês. Por meio de nota oficial, a instituição aponta que a história da vacina não tem nada a ver com o hospital. Leia:

​​​​​​Em razão da notícia que está circulando na Internet, a respeito de uma vacina para tratamento de pacientes com câncer, o Hospital Sírio-Libanês apresenta os seguintes esclarecimentos:

Nunca houve qualquer relacionamento comercial entre o HSL, ou qualquer médico do Centro de Oncologia, e a empresa que está comercializando esta vacina.

O HSL, seguindo sua vocação para o desenvolvimento de novas terapias, participou da pesquisa da vacina, contando inclusive com patrocínio oficial da FAPESP (Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de São Paulo). Os estudos foram acompanhados pelo Comitê de Ética e conduzidos de acordo com o código de boas práticas médicas. Os resultados da pesquisa mostram um grau de atividade limitado, beneficiando temporariamente apenas um pequeno número de pacientes. Até o presente momento não há qualquer evidência de cura que possa ser atribuída a estas vacinas.

Baseados nos resultados, o grupo de oncologia do HSL considera que estudos adicionais são de interesse, mas que não há, ainda, dados suficientes para se prescrever esta modalidade de tratamento de forma geral. Portanto, ele não está sendo prescrito ou aplicado no Centro de Oncologia do HSL. Para evitar descontinuidade, pacientes em tratamento com a vacina deverão discutir suas opções com seu oncologista.

Sendo assim, podemos chegar à conclusão de que existem apenas pesquisas para vacina contra o câncer. Entretanto, a solução definitiva para a doença está, infelizmente, longe de ser encontrada e não existem vacinas disponíveis no Hospital Sírio-libanês, em São Paulo.

PS: texto modificado em 24/02 de 2017 após um boato similar a esse circular pelo WhatsApp. 

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet