Unimed alerta que pico da pandemia será de 6 a 20 de abril de 2021 #boato

Boato – Em comunicado, a Unimed alertou que o pico de casos e mortes por Covid-19 ocorrerá entre os dias 6 e 20 de abril. Por isso, pede que, a partir de hoje, as pessoas fiquem em casa até “quarta-feira”.

Quando achávamos que o pior da pandemia ficaria nos meses de junho e julho do ano passado, a segunda onda veio nos mostrar que o pior ainda está por vir. Em meio a recordes diários de mortes por Covid-19, uma mensagem veio anunciar que já há até data do “pico da pandemia” para 2021 (como se já não estivéssemos no topo).

Um suposto comunicado da Unimed aponta que o pico de casos ocorrerá entre os dias 6 e 20 de abril de 2021. De acordo com a mensagem, para evitar o aumento de casos, as pessoas teriam que ficar em casa entre “hoje e a próxima quarta-feira”. Leia a mensagem que está circulando na internet:

Confira o desmentido em vídeo:

Comunicado O pico do vírus será de 6 a 20 de abril. Se o pico dos casos for realmente nestes dias, a maioria das pessoas se contaminará entre hoje e a próxima quarta-feira. Para que o pico seja mais brando, precisamos aumentar o isolamento social. Envie aos amigos, vizinhos e familiares. Unimed Cataguases.

Unimed alertou que pico da pandemia será de 6 a 20 de abril de 2021?

Apesar de a mensagem carregar uma orientação que deve ser seguida (fique em casa o máximo que puder), não é verdade que o pico da pandemia está previsto entre os dias 6 e 20 de abril de 2021 e muito menos que a Unimed está fazendo o tal alerta em um comunicado de 2021. A mensagem que está circulando na internet está errada em diversos níveis.

O primeiro erro está em pensar que a mensagem é atual. Na realidade, a mensagem original não se referia ao “recorde de casos” no ano de 2021. Quando o Brasil começou a sofrer com o coronavírus (em março de 2020), alguns estudos previam o pico de infecções no Brasil para os meses de abril ou maio de 2020. No meio disso, surgiram mensagens anônimas que apontavam para o pico entre os dias 6 e 20 de abril.

Um dessas, de acordo com essa matéria de Minas Gerais, foi compartilhada pela Unimed local (tanto que a mensagem que viralizou tem o crédito Unimed Cataguases). Nela, foi dito que houve um alerta regional em 2020 e que a postagem não é atual. Vale dizer que não encontramos a mesma ação na Unimed Nacional e, inclusive, outras filiais regionais tiveram que desmentir a informação contida no “comunicado” (como de Brusque, Araraquara e Franca).

O segundo erro está em “cravar” que o pico da pandemia será entre os dias 6 e 20 de abril de 2021. Assim como a mensagem se mostrou errada em 2020 (o pico da primeira onda ocorreu no Brasil entre junho e julho), não há qualquer previsão de datas para o “pico” da segunda onda.

Na realidade, o número recorde de casos vai depender muito do que faremos (cidadãos e autoridades). Se mantivermos isolamento social e vacinarmos rapidamente, os casos vão cair. Se isso não acontecer, o pico pode ocorrer em março, abril, maio etc.

O terceiro erro é falar que é preciso ficar só até a próxima quarta-feira em casa. Infelizmente, os números mostram que será preciso um lockdown mais extenso do que de uma semana para aliviar os já colapsados o sistema de saúde. Até quando seria o ideal? Não sabemos, mas, com certeza, vai além da “próxima quarta-feira”.

Resumindo: a imagem que circula na internet e aponta que o pico da pandemia será entre 6 e 20 de abril de 2021 é falsa. Na realidade, a mensagem é do ano passado, está desatualizada e, ainda por cima, a data descrita não se concretizou.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164. 

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp http://bit.ly/2m2887O
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
 – Siga-nos no TikTok https://bit.ly/38hcBcy

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet