Roberto Kalil diz que Sírio-Libanês está lotado e vacina não oferece imunidade contra Covid-19 #boato

Boato – Dr. Roberto Kalil afirma que vacinados com duas doses contra Covid-19 estão apresentando quadro grave da doença e lotando UTIs e que vacina não imuniza como esperado. 

Depois de iniciar 2021 registrando 4 mil mortes por Covid-19, o Brasil vinha apresentando uma boa redução no número de casos e óbitos pela doença. Entretanto, nos últimos dias, o país voltou a registrar mais de mil mortes diárias por complicações da Covid-19.

Com isso, a lotação de UTIs pelo Brasil também voltou a crescer, causando preocupação entre governadores e prefeitos. Se isso não bastasse, diversas fake news têm pipocado nas redes sociais.

E de acordo com uma história que tem circulado nas redes sociais, o médico Roberto Kalil, diretor-geral do centro de cardiologia do Hospital Sírio-Libanês, teria afirmado que a instituição de saúde estaria lotada. Segundo o vídeo que acompanha a publicação, isso teria acontecido porque a vacina contra a Covid-19 não ofereceria imunidade contra a doença. Confira:

“A UTI do Hospital Sirio Libanês está com inúmeros casos de pessoas vacinadas com as 2 doses e apresentando quadro clínico grave internadas em UTI’s, ou seja, essas vacinas ñ oferecem a imunidade desejada! Continuem se cuidando como se ñ tivessem tomado as duas doses das vacinas sejam elas quais forem! Máscara e distanciamento devem continuar sendo adotados até que se descubra uma vacina realmente eficaz! Dr Roberto Kalil”

Roberto Kalil diz que Sírio-Libanês está lotado e vacina não oferece imunidade contra Covid-19?

A informação acabou deixando muita gente preocupada e bombou nas redes sociais, em especial, no WhatsApp e no Facebook. Apesar disso, a informação não passa de balela. A explicação fica por conta de uma antiga história já desmentida por aqui e pela verdadeira identidade da pessoa que aparece no vídeo.

Nos últimos dias, a equipe do Boatos.org já tinha desmentido a história de que o Hospital Sírio-Libanês teria recebido diversas internações de vacinados contra a Covid-19. Na época, a história apontava que os vacinados estariam em estado grave na UTI e isso seria a prova que a vacina não funciona.

A diferença para a história de hoje é que a mensagem está sendo atribuída ao médico Roberto Kalil, que é diretor-geral do centro de cardiologia da instituição de saúde. Entretanto, o homem que aparece no vídeo não é o cardiologista Roberto Kalil, mas sim seu irmão, o ginecologista e obstetra Renato Kalil (que não trabalha no Hospital Sírio-Libanês).

Na oportunidade do outro desmentido, o mesmo vídeo do ginecologista e irmão de Roberto Kalil, Renato Kalil, começou a circular nas redes sociais. Na época, ele afirmou que o Hospital Sírio-Libanês teria recebido pessoas imunizadas contra a Covid-19 que apresentavam sintomas graves da doença.

Porém, assim como explicado no outro desmentido, o próprio Hospital Sírio-Libanês esclareceu a situação. De acordo com a instituição de saúde, o hospital, de fato, recebeu casos de pessoas imunizadas que se contaminaram com a Covid-19 posteriormente. Entretanto, ainda segundo o Hospital Sírio-Libanês, os casos seriam pouquíssimos.

Além disso, isso também não significa que a vacina não funciona. O próprio Hospital Sírio-Libanês ressaltou a importância das pessoas seguirem adotando as medidas de proteção e se vacinarem, apontando o impacto positivo da imunização.

Por fim, o vídeo, na realidade, também foi retirado de contexto. Em entrevista ao serviço de checagem Estadão Verifica, Renato Kalil afirmou que gravou o vídeo para falar sobre a importância de se manter as medidas de proteção mesmo depois de tomar a vacina contra a Covid-19. Além disso, ele também destacou que é totalmente a favor da vacinação.

Em resumo: a história que diz que o médico Roberto Kalil afirmou que o Hospital Sírio-Libanês recebeu diversos casos de pessoas imunizadas contra a Covid-19 com sintomas graves da doença e, por isso, a vacina não funciona é falsa! Quem aparece nas imagens, na verdade, é o ginecologista e obstetra Renato Kalil (irmão do cardiologista Roberto Kalil e que não trabalha no hospital). Além disso, o próprio Hospital Sírio-Libanês afirmou que recebeu pouquíssimos casos de pessoas imunizadas que precisaram de internação na UTI, destacando o impacto positivo da vacina. Se isso não bastasse, o médico Renato Kalil afirmou que as imagens foram retiradas de contexto. De acordo com ele, o vídeo foi gravado para destacar a importância de se manter as medidas de proteção mesmo depois de tomar a vacina. Ainda segundo o ginecologista, ele é totalmente a favor da vacinação e reprovou que o vídeo esteja sendo usado para questionar a eficácia dos imunizantes. Ou seja, a história não passa de balela.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164.

Ps2: Confira a nossa nova seção “Oportunidades” clicando aqui. Na página, você pode acesso a promoções, descontos e sites que dão brindes.

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/3aIzl5T
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
 – Siga-nos no TikTok https://bit.ly/3w3sv3d
 – Siga-nos no Kwai https://bit.ly/3wa3LY1