Própolis espanta mosquito da zika e dengue #boato

Boato – Beber própolis seria bom para espantar mosquito aedes aegypti que transmite zika e dengue.

Os casos de zika vírus só crescem, a dengue também não dá trégua. Se compararmos a atual situação com uma fase de vídeo game, estamos todos na reta final e sem conseguir destruir o chefão – o aedes aegypti. O mosquito se prolifera rápido e com ele quatro doenças sérias se espalham.

Boato espalha que própolis atua contra o mosquito Aedes aegypti
Boato espalha que própolis atua contra o mosquito Aedes aegypti

Não à toa, as pessoas estão esgotando estoques de repelentes nas farmácias, principalmente grávidas temendo a onda de microcefalia em bebês. Bem por isso também, muita gente está apelando para outras formas de se proteger e entre as mais populares está o própolis, que espanta o mosquito da dengue, zika e chikungunya. Confira:

‘Atenção amigos(as)!!! Estou repassando uma sugestão para ajudar a afastar o mosquito causador da dengue, zica e chicungunha. Me pareceu muito coerente. Uma médica do Hospital do Câncer de Barretos SP, dra Lilian, falou que é simples: “Propólis”. Tomando 5 gotas é o suficiente. Ele é expelido pelas glândulas sudoríparas, ou seja, pelo suor e afugenta o mosquitinho. Quem puder repasse para amigos e familiares. É uma solução simples, barata e pode salvar muitas vidas.’

Essa receita caseira que promete proteger as pessoas de forma prática e fácil se espalhou feito o Aedes aegypti por aí. Porém, diferente do mosquito, que infelizmente é uma realidade, essa história não procede.

Primeiramente, não é de agora que circula pela internet que o própolis atua contra o Aedes aegypti. Quando lá em 2008 nos preocupávamos ‘apenas’ com a dengue, essa receita já circulava. Inclusive, nessa época a notícia foi repassada como um estudo realizado pela Unicamp, que a instituição desmentiu e esclareceu.

Assim como a citronela, a vitamina B ou a mistura de cravo-da-índia e cânfora, não existe comprovação científica sobre a efetividade do própolis na prevenção do mosquito. Especialistas já discutiram o assunto e o veredito é o mesmo – não há provas de que funcione. E mais, para que o corpo humano transpirasse o própolis ingerido, seriam necessárias doses muito altas (vide situação com bebida alcoólica), não apenas ‘5 gotinhas’.

Além disso, em 2014, pesquisadores da Unicamp e da Esalq realizaram um estudo sobre o própolis e comprovaram que ele é muito eficiente contra micróbios (que nada tem a ver com vírus) e que faz bem a saúde por outras razões, no entanto não houve comentários sobre sua atuação contra mosquitos.

Resumindo a coisa toda, essa receita é #boato, desses que se perpetuam na internet de tempos em tempos. A melhor receita para escapar do Aedes aegypti e dos males que ele transmite ainda é o combate aos criadouros do mosquito. Como diziam as vovós, ‘não adianta tapar o sol com a peneira’, até porque o Aedes passa e não há própolis que dê jeito.