Pular para o conteúdo
Você está em: Página Inicial > Saúde > OMS se desculpa aos mortos por Covid-19 por ter “proibido” hidroxicloroquina, azitromicina e zinco #boato

OMS se desculpa aos mortos por Covid-19 por ter “proibido” hidroxicloroquina, azitromicina e zinco #boato

OMS se desculpa aos mortos por Covid19 por ter proibido hidroxicloroquina, azitromicina e zinco, diz boato (Foto: Reprodução/Facebook)

Boato – OMS se desculpa com vítimas da Covid-19 e reconhece eficácia de hidroxicloroquina e azitromicina contra a doença. 

Graças à ciência, à vacina e a todas as pessoas que seguiram à risca as orientações dos profissionais, a pandemia da Covid-19 foi controlada e o mundo todo conseguiu retornar ao “velho normal”. Mas até chegarmos aí, tivemos uma longa caminhada.

Não só esperando por um imunizante ou por técnicas que pudessem ajudar quem contraísse a doença, mas também combatendo os mais diferentes tipos de desinformação. Em especial, sobre medicamentos que não possuem comprovação científica contra a Covid-19.

E quando pensávamos que esse assunto teria sido enterrado, a internet nos mostra que ele está longe de ter um fim. De acordo com uma história que está circulando nas redes sociais, a Organização Mundial da Saúde (OMS) teria feito um pedido de desculpas aos mortos pela Covid-19. Segundo a publicação, o pedido teria vindo porque a OMS proibiu o uso da hidroxicloroquina, azitromicina e do zinco contra a doença. Ainda segundo a história, a OMS admitiu que os medicamentos poderiam ter salvo 90% das pessoas que morreram por causa da doença. Confira:

Vídeo: é falso que Lula foi flagrado beijando Suzanne von Richtofhen

Versão 1: “A O.M.S. PEDE DESCULPAS AOS MILHÕES DE MORTOS PELO COVID-19. POR TER PROIBIDO A HIDROXICLOROQUINA,  AZITROMICINA E ZINCO QUE TERIA SALVADO 90% DAS PESSOAS QUE MORRERAM DA DOENÇA. UM ATO DE COVARDIA IRREPARÁVEL POIS, NOS HOSPITAIS DAS FORÇAS ARMADAS DO BRASIL POR TER USADO ESTES MEDICAMENTOS E NAS CADEIAS, NÃO HOUVE PRATICAMENTE MORTES PELO COVID-19. QUEM LUTOU POR ESSA CAUSA TINHA RAZÃO , PORQUE, TOMOU ESTES MEDICAMENTOS QUE É USADO PELO EXÉRCITO NOS SOLDADOS QUE SERVEM NA AMAZÔNIA, PARA EVITAR A MALÁRIA A MUITOS ANOS COM ABSOLUTO SUCESSO. BOLSONARO QUERIA SALVAR AS VIDAS DOS BRASILEIROS, E FOI PROIBIDO E PERSEGUIDO POR TODA ESQUERDA E COMPANHEIROS”. Versão 2: “OIIII??? COMO ASSIM?? A O.M.S. PEDE DESCULPAS AOS MILHÕES DE MORTOS PELO COVID-19. POR TER PROIBIDO A HIDROXICLOROQUINA, AZITROMICINA E ZINCO QUE TERIA SALVADO 90% DAS PESSOAS QUE MORRERAM DA DOENÇA”.

OMS se desculpa aos mortos por Covid-19 por ter “proibido” hidroxicloroquina, azitromicina e zinco?

Não é nem preciso dizer que a história foi amplamente compartilhada na internet. Em especial, no WhatsApp e no Facebook. E é claro que a história causou revolta entre diversas pessoas. Entretanto, a história não é verdadeira. A explicação está na falta de provas.

A história de hoje segue a velha metodologia das fake news na internet. Apresenta um conteúdo alarmista e vago. Além disso, não existem notícias sobre o assunto em veículos de comunicação confiáveis. Ao contrário de outras fake news, a história de hoje cita uma fonte confiável: a OMS, o que facilitou a checagem do conteúdo.

Se isso não bastasse, a equipe do Boatos.org já desmentiu centenas de histórias falsas sobre a pandemia da Covid-19, especialmente sobre falsas curas e falsos tratamentos contra a doença.

Como a história de hoje cita a OMS como fonte, resolvemos ir atrás das declarações recentes da instituição. Mas nada encontramos. Além disso, descobrimos que essa história já circula desde 2020. Em junho de 2020, a OMS emitiu um comunicado se desculpando com as pessoas sobre a controvérsia gerada por seu posicionamento em relação aos estudos sobre a eficácia da hidroxicloroquina no tratamento contra a Covid-19. Na oportunidade, a OMS havia suspendido suas pesquisas sobre o assunto, após um estudo publicado na revista The Lancet mostrar um aumento da mortalidade de pacientes que usavam o remédio no tratamento da Covid-19. Entretanto, três dos quatro autores da publicação se retrataram e pediram a retirada do material com ar. Com isso, a OMS retomou seus estudos, o que gerou uma controvérsia

Mas os negacionistas e os grupos antivacina passaram a divulgar a informação de outra forma. Ainda em junho de 2020, a história acabou desmentida pelo Projeto Comprova. De acordo com o site da coalizão de checagem, o veículo responsável pela divulgação da informação distorceu as declarações dos representantes da OMS. Além disso, o site de fact-checking ainda destacou que o título tendencioso não possuía todas as informações, o que levou a uma interpretação equivocada por parte dos leitores.

Por fim, é importante ressaltar que de 2020 para cá, a ciência conseguiu provar que o chamado Kit Covid não é eficaz no tratamento da Covid-19. Após a conclusão de um enorme estudo encomendado pela OMS, a Organização concluiu que a hidroxicloroquina não é eficaz no tratamento contra a Covid-19. Além disso, outros estudos ao longo da pandemia também demonstraram que a azitromicina e o zinco tampouco são eficazes. E como bem já sabemos, os medicamentos que, de fato, funcionam contra a doença já estão sendo usados pelos profissionais. Além disso, também já temos as vacinas que protegem contra a forma grave da doença e foi a grande responsável por voltarmos ao antigo normal.

Em resumo: a história que diz que a OMS se desculpou por ter proibido a hidroxicloroquina, a azitromicina e o zinco é falsa! O que aconteceu foi que, em 2020, representantes da OMS pediram desculpas pela controvérsia de posicionamento sobre o uso da hidroxicloroquina no tratamento da Covid-19 gerada após a publicação de um estudo na revista The Lancet. Após a publicação do estudo, três dos quatro autores pediram retratação e o texto foi retirado do ar. Por causa dos resultados apresentados na pesquisa, o estudo conduzido pela OMS foi suspenso. Com a retratação dos autores, o estudo realizado pela OMS foi retomado, gerando uma confusão e surpresa entre os desavisados. Após o caso, alguns sites começaram a divulgar o tema com títulos tendenciosos, como se a OMS tivesse se desculpado pela controvérsia da hidroxicloroquina ser ou não ser eficaz contra a Covid-19. E a partir daí, a informação falsa começou a se espalhar.

Ps: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo siteFacebook e WhatsApp no telefone (61) 99458-8494.

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube https://bit.ly/3vZsrnd
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/3ounmCN
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
 – Siga-nos no TikTok https://bit.ly/3yPELWj
 – Siga-nos no Kwai http://bit.ly/3zGePPm