Limão que “testa positivo” prova que testes não funcionam e pandemia é uma farsa #boato

Boato – Vídeo mostra mulher fazendo teste de Covid-19 com um limão, que dá positivo e indica que a pandemia é uma farsa

Ao longo da pandemia da Covid-19, a equipe do Boatos.org desmentiu todo tipo de fake news relacionada à doença: negação do vírus (SARS-CoV-2), tratamentos alternativos sem comprovação científica, negação da vacina etc.

E dentre os assuntos sobre a pandemia mais abordados por aqui estão os testes que identificam a Covid-19. Não faltou conteúdo. Tivemos fake news colocando em xeque a eficácia dos testes e até gente testando substâncias inusitadas, tentando comprovar uma suposta falha nos exames.

A história de hoje não fica atrás. Na verdade, é apenas mais do mesmo que já foi desmentido aqui no Boatos.org. De acordo com uma publicação que está sendo compartilhada por aí, os testes que identificam a Covid-19 não seriam confiáveis. Segundo a história, a prova estaria em um vídeo onde uma mulher utiliza um limão para realizar a testagem. De acordo com as imagens, a mulher passa o cotonete em um limão cortado e, depois, realiza o teste, que dá positivo para Covid-19. Confira:

Versão 1: “Inacreditável!! Foi feito o teste do COVID no limão e deu positivo!!! O limão está com COVID, como acreditar nesses testes que fazem com a população???? Assistam…”. Versão 2: “Pois é,  rolando um vídeo do teste de covid no limão que deu positivo. Postei..”. Versão 3: “Meu Deus. Como pode isso. Vamos abrir os olhos. TESTE DE COVID-19 FEITO COM “”LIMÃO”” DEU……..PISITIVO….”.

Limão que “testa positivo” prova que testes não funcionam e pandemia é uma farsa?

A informação viralizou entre os grupos negacionistas nas redes sociais, em especial, no Twitter e no Facebook. Apesar disso, a história não é verdadeira. A explicação fica por conta da falta de habilidade e pela execução errada que afeta a eficácia e o resultado do teste.

Assim como lembramos anteriormente, essa não é a primeira vez que alguém (idiota) tentou usar substâncias aleatórias para questionar, de maneira equivocada, os testes da Covid-19. E já tivemos diversos casos para mostrar que a idiotice não tem nacionalidade e, infelizmente, está longe de acabar. Nesse meio tempo, já tivemos pessoas testando Coca-Cola, geleia de maçã, mamão, galinha e até um pedaço de cabra no pobre teste de Covid-19.

Um dos casos mais emblemáticos (e que fez sucesso aqui no Brasil), foi a história que apontava que uma amostra de Coca-Cola teria testado positivo para Covid-19 e seria a prova de que os testes e a pandemia seriam uma farsa.

Na época, não foi difícil desmentir o assunto. Ao procurar por mais informações, descobrimos uma explicação bastante simples e objetiva de especialistas: os testes usando substâncias aleatórias dão positivo, simplesmente pelo fato de que esse tipo de teste não foi desenvolvido para aguentar uma variabilidade de pH tão distinta do sangue humano. Além disso, muitas das pessoas que realizaram o teste com substâncias aleatórias, sequer seguiram as orientações presentes nas caixas do exame.

E o que isso quer dizer? Isso significa que em todas essas histórias, as pessoas acabaram destruindo os testes de Covid-19. E essa é a razão pela qual os exames apontaram um positivo: a proteína do anticorpo do teste foi destruída pelas substâncias utilizadas, gerando um falso positivo.

Na história de hoje, além da mulher utilizar um limão (uma substância altamente ácida, que gira tem um pH em torno de 2), ela também deixa o cotonete que vai coletar a amostra deitado sobre a mesa (que parece suja). Ou seja, além de tudo, ocorre a contaminação. Se isso não fosse o suficiente, a mulher ainda encosta o cotonete na região que deveria receber a substância diluída no líquido (tampão), que mantém o pH da amostra constante.  Para se ter uma noção, o pH do sangue gira em torno de 7,35 a 7,45. Com isso, não é difícil perceber que algo daria (muito!) errado, caso uma substância com pH totalmente diferente fosse utilizada.

Além disso, a mesma história foi desmentida em outros serviços de checagem dos EUA, como o Full Fact. E também em páginas de divulgação científica, como o The Scientist. Por fim, é importante ressaltar que alguns testes podem sim dar errado e causar um falso positivo ou negativo. Apesar disso, a taxa de confiabilidade do teste costuma ser grande, mas depende das condições em que é feito (como é realizada a coleta, tempo da apresentação de sintomas etc).

Em resumo: a história que diz que a pandemia de Covid-19 não é real, porque um limão testou positivo para é falsa! Ao assistir o vídeo, é possível ver que a mulher realizou o teste de maneira totalmente errada (com contaminação do swab nasal que vai coletar a substância e a aplicação equivocada do líquido do tampão). Além disso, o uso de substâncias aleatórias, que não o sangue humano, causam a destruição da proteína dos anticorpos presentes no teste. É importante ressaltar que o teste foi desenvolvido, exclusivamente, para analisar o sangue humano, que tem um pH entre 7,35 e 7,45. Dessa forma, qualquer outra substância usada como amostra não será precisa. Por fim, a história acabou desmentida em outros sites de fact-checking dos EUA. Ou seja, a história não passa de balela!

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61) 99458-8494.

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/3HIppbu
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
 – Siga-nos no TikTok https://bit.ly/3yPELWj
 – Siga-nos no Kwai https://bit.ly/3cUbEso