Informação falsa: HIV é inofensivo e não transmite aids

Boato – Se a pessoa que tem o vírus HIV não tomar remédios, ela não acaba desenvolvendo aids. A doença só acontece com quem usa drogas ou remédios como o AZT. Quem disse isso é Peter Duesberg, vencedor do Prêmio Nobel.

No início de dezembro de 2013, uma história que se arrasta desde o final da década de 1980 voltou à tona. Após a publicação de um texto do blogueiro Roberto Villanova (e que pode ser lido aqui), muitos internautas começaram a discutir um assunto seríssimo: o vírus HIV e a aids.

De acordo com o artigo escrito no dia 2 de dezembro, o doutor Peter Duesberg se tornou uma “persona non grata” após provar que o HIV não transmite a aids. De acordo com a teoria do biólogo (e do jornalista), o HIV é um vírus inofensivo que existia muito antes da epidemia de aids.

Para comprovar a tese, o médico teria mantido 4 mil pessoas infectadas sem tomar remédio algum. E metade delas havia se curado. Além disso, ele chegou à conclusão de que os remédios para curar a aids é que causavam a doença.

O texto ainda aponta que o HIV foi isolado em 1938 e que a aids era uma invenção da década de 1980. Por fim, o autor fala que se um dia tiver aids não tomará o remédio e que o médico ainda contava com o apoio de dois químicos vencedores do prêmio Nobel.

Admito (falando de forma pessoal) que é triste ver um jornalista disseminando um texto muito similar aos hoaxes que rodam na web (com a diferença de não ter erros ortográficos) e não tentar fazer o mínimo de dever de casa.

Primeiramente, Peter Duesberg nunca provou nada em relação ao vírus HIV e aids. Apesar de ele realmente ter feito experimentos (na década de 1980), tudo que ele aponta não passa de uma hipótese. Este verbete da Wikipédia trata o assunto como hipótese. Hipótese que foi refutada. Leia este artigo da revista Galileu. 

A hipótese é derrubada principalmente com uma pergunta: se o HIV não se transforma em aids e some, por que quem não toma os coquetéis morre? O assunto é tão grave que já houve casos de pessoas que morreram por acreditar na hipótese refutada e abandonar o tratamento.

Essa matéria do The Guardian conta a história de Kerry Stokely. Ela descobriu o HIV em 1996 e tomou remédio por 11 anos. Após saber do “tratamento sem remédios”, ela interrompeu o uso do coquetel e morreu em 2011.

Além disso, o texto que circula na internet tem informações erradas. A primeira delas é sobre Peter Duesberg ter se tornado “persona non grata” agora. Por isso aconteceria “agora” se a teoria é antiga. Ao contrário do que o autor fala, o vírus foi descoberto em 1983 e não em 1938. Isso derruba a hipótese do vírus ter “durado” anos sem ninguém desenvolver aids.

Por fim, foi citado que o doutor tinha o apoio de dois prêmios Nobel de Química e que seria contratado para tratar da aids na África do Sul. Nenhuma das duas informações foi confirmada. Com isso, chegamos à conclusão de que a história é um perigoso hoax e que enganou até um jornalista, que por sua vez, repassou a informação e deu falsa credibilidade a ela.

 Leia na íntegra o texto que fala da hipótese do doutor Peter Duesberg

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

2 comentários em “Informação falsa: HIV é inofensivo e não transmite aids

  • 19/07/2014 em 02:28
    Permalink

    Esse site aqui é uma outra forma de manipular a mente do povo e como disseram as pessoas a cima,prefiro acreditar numa pessoa com DOIS premios nobel do que em vcs do BOATO.ORG!

  • 18/07/2014 em 13:22
    Permalink

    Informação falsa é a desse site. Peter Duesberg afirma o seguinte:

    “On the basis of his experience with retroviruses, Duesberg has challenged the virus-AIDS hypothesis in the pages of such journals as Cancer Research, Lancet, Proceedings of the National Academy of Sciences, Science, Nature, Journal of AIDS, AIDS Forschung, Biomedicine and Pharmacotherapeutics, New England Journal of Medicine and Research in Immunology. He has instead proposed the hypothesis that the various American/European AIDS diseases are brought on by the long-term consumption of recreational drugs and/or AZT itself, which is prescribed to prevent or treat AIDS. See The AIDS Dilemma: Drug diseases blamed on a passenger virus.”

    http://www.duesberg.com/

    Por curiosidade, boatos.org é patrocinado pela indústria farmacêutica?

Fechado para comentários.

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)