Fiocruz foi responsável por desenvolver a vacina de Oxford, que está na fase 3 #boato

Boato – A Fiocruz foi a responsável por desenvolver a vacina de Oxford, que está na fase 3. A pesquisa, que tem 93% de êxito, não teve ajuda do Governo Federal, que negou auxílio financeiro, e, por isso, Oxford precisou entrar com a tecnologia necessária.

O mundo inteiro tem pressa por uma vacina que possa combater o coronavírus. Não à toa, já existem, ao menos, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de cem pesquisas em andamento em vários países, incluindo uma em fase de testes clínicos no Brasil, para tentar encontrar os anticorpos necessários e linfócitos T (“células assassinas”) contra o vírus causador da terrível Covid-19.

E por falar em vacina no Brasil, uma publicação que começou a circular recentemente dá conta de que a Fiocruz seria a responsável por desenvolver a vacina de Oxford, que está na fase 3 (testes clínicos em humanos).

Ainda de acordo com o texto que está sendo compartilhado, mesmo sendo uma das que mais se aproximam do resultado desejado, com 93% de êxito, a vacina não teria obtido ajuda do Governo Federal, que supostamente a “desprezou” e negou auxílio financeiro, cabendo aos cientistas brasileiros recorrerem à ajuda da Universidade de Oxford, que, prontamente, teria disponibilizado a tecnologia necessária para fabricar o produto. Confira, a seguir, o texto original que está rodando online:

Parabéns Fiocruz! Vacina em estágio 3! A Fiocruz descobriu o genoma e as divisões celulares do covide no mês de abril! Foi ela quem descobriu que sua base era de gordura. Porém, a Fiocruz não tinha a tecnologia para desenvolver a vacina, mas sabia como deveria ser feito. Procurou o Governo Federal na época e este não deu ouvidos, não autorizou auxílio financeiro e desprezou a pesquisa! A Fiocruz se uniu ao Butantan em São Paulo que se comunicou com Oxford… Esses cientistas se comunicaram e compartilharam o descobrimento do genoma e a Oxford entrou com a tecnologia. Deixaram os políticos literalmente de lado para concluírem a pesquisa! As pesquisas estão em fase de conclusão, com 93% de êxito Parabéns FIOCRUZ! Recorte do Texto de Fabiana Braz

Fiocruz foi responsável por desenvolver a vacina de Oxford, que está na fase 3?

A publicação está sendo compartilhada pelos quatro cantos da internet, especialmente por internautas desfavoráveis ao atual governo. Mas será mesmo que a Fiocruz foi a responsável por desenvolver a vacina de Oxford, que está na fase 3? A resposta é não! E você vai entender direitinho a seguir, a partir de provas.

Para começar, a mensagem da postagem carrega todas as características de fake news: é vaga (não diz, por exemplo, quando o Governo Federal teria negado o auxílio financeiro à Fiocruz), alarmista (tem o intuito de causar debate político nas redes sociais), possui erros de português e não cita fontes confiáveis que possam confirmar o que está sendo dito.

Em segundo lugar, ao procurarmos por informações sobre a vacina de Oxford contra a Covid-19, vimos que esta não seguiu bem o caminho descrito na mensagem. Na realidade, a vacina, que foi anunciada em 30 de abril, está sendo desenvolvida através de uma parceria entre um laboratório farmacêutico chamado AstraZeneca e a Universidade de Oxford.

Só recentemente, foi anunciada uma parceria entre Oxford e o Ministério da Saúde para realizar os testes no Brasil e, também, para a Fiocruz produzir parte das vacinas. Porém, não foi a Fiocruz quem produziu o imunizador.

Mais que isso, a fundação confirmou que também está desenvolvendo uma vacina nacional contra o coronavírus, mas que não está na fase 3. Inclusive, a própria desmentiu a “autoria” da vacina de Oxford em nota oficial enviada à Agência Lupa, ressaltando que a vacina e os estudos foram desenvolvidos pela universidade e pela farmacêutica AstraZeneca.

Ainda no site da Lupa, é esclarecido também que, apesar de a Fiocruz (na Amazônia) ter conseguido sequenciar o genoma completo do novo coronavírus, o que é fundamental para aprimorar o conhecimento sobre a pandemia em diferentes localidades, a instituição não foi a primeira no Brasil ou no mundo a fazer isso.

Em janeiro, pesquisadores chineses já haviam sequenciado o código genético do SARS-CoV-2, e, aqui no Brasil, os pioneiros na identificação dos genes do vírus foram os pesquisadores do Instituto Adolfo Lutz, da USP e da Universidade de Oxford, em fevereiro, logo após a confirmação do primeiro caso de Covid-19 no país.

Por fim, não é possível saber se a Fiocruz não teve apoio do governo nas pesquisas, já que, além da tal mensagem, não há nada sobre o assunto em fontes confiáveis.

Resumindo: A publicação que dá conta de que a Fiocruz foi a responsável por desenvolver a vacina de Oxford contra o coronavírus, que está na fase 3, não é verdadeira. O imunizador foi desenvolvido, na realidade, pela farmacêutica AstraZeneca, em parceria com a Universidade de Oxford. Apenas os testes clínicos e parte da produção da vacina estão sendo realizados pela Fiocruz.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164. 

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp http://bit.ly/2Xmskzm
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK