Dr. Patrick Martin e Dra. Lidia Rota Vender publicam dicas sobre o novo coronavírus #boato

Boato – Médicos Dr. Patrick Martin e Dra. Lidia Rota Vender publicaram uma série de dicas relacionadas ao novo coronavírus. Entre elas, é dito que o vírus não sobrevive a temperaturas maiores que 26 ºC e que vive 12 horas no metal.

Como falamos agora há pouco, em um texto que falava sobre supostas regras relacionadas ao novo coronavírus no Canadá, uma das piores coisas dessas ondas de notícias falsas está no fato uma mesma informação, com uma pequena modificação, conseguir se espalhar por aí. No caso de hoje, vamos falar de um texto atribuído a médicos italianos.

De acordo com mensagens que estão circulando na internet, os doutores italianos Patrick Martin e. Lidia Rota Vender publicaram uma série de “dicas” sobre o novo coronavírus. Entre elas estaria a informação de que o vírus não sobreviveria a mais de 26 ºC de temperatura e que não sobreviveria no metal por mais de 12 horas. Leia (alerta textão):

Meu médico Patrick Martin acabou de me enviar o seguinte: Para ler muito interessante: NÃO PARAMOS O VÍRUS COM PÂNICO, MAS POR INTELIGÊNCIA! Acabei de fazer a tradução do texto em italiano recebido. Estou enviando gradualmente para todos os meus amigos que falam francês, por isso não hesite em transferi-lo o máximo possível. Essa informação vem de médicos atualmente na linha de frente do combate ao vírus, que podem ajudar um grande número de pessoas. COPIAR, IMPRIMIR, PASSAR! “Não paramos o vírus com pânico, mas com inteligência.

Aqui estão novas informações de um pesquisador de Shenzhen transferido para Wuhan para trabalhar com a força-tarefa da epidemia de Coronavírus. As informações a seguir são claras, simples e acessíveis a todos, descrevendo exatamente o que é o vírus, como é transmitido de pessoa para pessoa e como pode ser neutralizado na vida cotidiana.

A infecção por coronavírus não se apresenta como o resfriado habitual, com corrimento nasal ou tosse com cátaros e escarro, mas, pelo contrário, com tosse seca. Este é o primeiro sinal para identificar corretamente. Importante saber: o vírus não resiste ao calor e morre se for exposto a temperaturas de 26 a 27 °. Portanto, é muito importante consumir durante o dia todas as bebidas quentes possíveis, como chá, chá de ervas, caldo, sopas ou simplesmente água quente. O líquido quente neutraliza o vírus e não é difícil absorvê-lo. Importante: Evite beber água gelada ou sugar gelo ou neve para aqueles que estão nas montanhas, principalmente crianças. Para quem pode, é importante expor-se o máximo possível ao sol, de acordo com as condições climáticas atuais.

Número 1. O Coronavírus é bastante grande, tem um diâmetro de cerca de 400 a 500 nm. Isso significa que qualquer tipo de máscara pode pará-lo. Na vida normal, portanto, não é necessário ter máscaras especiais. A situação é diferente se você é médico ou pessoal de saúde e precisa ser exposto a fortes descargas do vírus e, nesse caso, é essencial o uso de máscaras especiais. Se alguém que já foi infectado espirrar na sua frente e a 3 m de distância, ele jogará o vírus no chão e, portanto, impedirá que ele chegue até você. Esta é a razão pela qual uma distância segura é importante entre as pessoas.

Número 2. Quando o vírus é encontrado em superfícies metálicas, ele sobrevive por cerca de 12 horas! Portanto, é extremamente importante quando você toca em superfícies metálicas, como maçanetas, portas, eletrodomésticos, puxadores em bondes, etc. lave bem as mãos e desinfete-se cuidadosamente. Número 3: o vírus pode viver escondido em roupas e tecidos por cerca de 6 a 12 horas. Detergentes normais podem destruí-lo. Para roupas que não podem ser lavadas todos os dias, se você pode expô-las ao sol ou a uma fonte de grande calor que mata o vírus.

Como o vírus se manifesta: 1. O vírus primeiro se instala na garganta, causando inflamação e sensação de garganta seca: esse sintoma pode durar de 3 a 4 dias. 2. O vírus viaja usando a umidade presente nas vias aéreas, desce pela traquéia e se instala nos pulmões, causando polmonite. Essa passagem durou aproximadamente 5 a 6 dias. 3. A polmonite se manifesta com febre alta e dificuldade em respirar, e não é nada como um resfriado comum. Você pode até sentir que está se afogando devido à dificuldade em respirar. Nesse caso, é essencial ligar imediatamente para um serviço de atendimento de emergência.

Como evitar o vírus: 1. A transmissão do vírus ocorre na maioria dos casos por contato direto, tocando em tecidos ou materiais nos quais o vírus está presente: lavar as mãos com frequência é absolutamente essencial. O vírus sobrevive nas suas mãos por cerca de 10 minutos, mas durante esses 10 minutos pode acontecer muita coisa: esfregue os olhos ou coça o nariz, por exemplo, e permita que o vírus entre na garganta! Portanto, para o seu bem-estar e o dos outros, lave as mãos o mais rápido possível e desinfecte-as!

2. você pode gargarejar com uma solução desinfetante que elimina ou reduz a cota do vírus que pode ter entrado em sua garganta. Ao fazer isso, você eliminará o vírus antes que ele entre na traquéia e depois nos pulmões. 3. desinfecte o teclado e o mouse do computador, para não mencionar o telefone celular e o telefone de mesa. Todos precisamos prestar muita atenção e cuidar de nós mesmos para o nosso bem-estar e o dos outros. ” Fonte: Associação para o combate à trombose e doenças cardiovasculares. Milan. www.trombosi.org / Dr.sse Lidia Rota Vender

Dr. Patrick Martin e Dra. Lidia Rota Vender publicaram dicas sobre o novo coronavírus?

A mensagem, com as devidas assinaturas dos médicos, se espalharam com muita força por aí. Mas será mesmo que os médicos Patrick Martin e Lidia Rota Vender publicaram as tais dicas sobre o novo coronavírus? A resposta é não. Calma aí que a gente explica tudo para vocês.

Esse desmentido tem que ser feito em duas partes. A primeira delas é em relação à autoria dos artigos. Dois motivos muito fortes nos fazem crer que os textos não foram escritos pelos médicos em questão. O primeiro dos motivos está no fato que, ao buscarmos mais detalhes sobre o Patrick Martin e Lidia Rota Vender, não achamos nenhuma referência ao tal texto.

Para começar, não achamos nenhum médico italiano (pelo menos de renome) chamado Patrick Martin. A única pessoa com esse nome e profissão que encontramos foi um médico de São Cristóvão e Névis (ilha do Caribe). E, como era de se esperar, não achamos nenhuma referência ao texto.

Em relação à médica Lidia Rota Vender. Descobrimos que a médica italiana existe. Trata-se da presidente de uma associação que trabalha na prevenção de doenças como a trombose. Como é possível ver nesse texto do site de checagem Maldita.es (em espanhol), não há qualquer referência de ligação entre a autora e o texto.

Ao olhar o site oficial de Lidia Rota Vender, é possível ver uma mensagem que aponta a associação, de fato, publicou dicas sobre o novo coronavírus. Porém, são bem diferentes das que estavam descritas na mensagem em questão.

O segundo ponto que derruba a hipótese de que os médicos em questão são os autores do tal texto é o fato de que a mesma mensagem já circulou na internet com outras autorias. Mais do que isso: já foi desmentida pelo Boatos.org. Como o desmentido relacionado às informações contidas na mensagem vale para hoje, relembre o que escrevemos e falamos a respeito:

É importante citar que dois fatores já nos deixam desconfiados da veracidade da informação. O primeiro deles está nas características da mensagem (vaga, alarmista, com erros de português, com pedido de compartilhamento e sem citar fontes confiáveis). Além disso, histórias falsas relacionadas ao coronavírus são comuns na internet.

Quando começamos a buscar por mais detalhes, nossas desconfianças viraram certezas. Ao buscar sobre o assunto, descobrimos que o texto que está viralizando no Brasil é uma versão reduzida de outro viral no WhatsApp muito mais rebuscado (que está como “versão 2” acima e que, se for preciso, trataremos dele por aqui).  Como o texto está em tópicos, vamos desmentir também em tópicos.

1 – O primeiro elemento que nos chama atenção é que o que fala sobre a sobrevivência do coronavírus (Covid-19) em temperaturas de 26 ºC ou 27 ºC. Apesar de, realmente, os coronavírus (como o Covid-19 ou o vírus da SARS) não sobreviverem a altas temperaturas, a informação não procede. O primeiro motivo é lógico: se os vírus morressem com 27 ºC, eles não sobreviveriam à temperatura corporal (em média de 36 ºC).

Ainda não há consenso de qual a temperatura que pode matar o coronavírus. Este pesquisador (que fala sobre a questão da água, que será abordada mais à frente) diz que o coronavírus morre a 56 ºC depois de 30 minutos. Esse outro estudo fala que, em superfícies, o coronavírus “morre em algum tempo” a mais de 30 ºC (mas não instantaneamente). Nada encontramos sobre 26 ou 27 ºC.

2 – Essa parte da mensagem parte de um pressuposto que toda infecção por coronavírus se torna pneumonia. A letalidade da doença, que está em um nível de 2 a 3%, já prova que não é “todo caso” que vira pneumonia. Apenas quem está imunodeprimido ou é idoso sofrem maiores consequências.

3 – Essa parte acerta ao recomendar lavar as mãos e não tocar os olhos e a boca. Essa dica você pode seguir.

4 – Apesar de o cuidado com superfícies ser uma dica importante, ainda não se sabe quanto tempo o vírus sobrevive externamente (isso depende de outros fatores). Também não achamos nada sobre o metal ser mais propício ao coronavírus do que em outras superfícies. Esse estudo não faz distinção do tipo de superfície.

5 – Essa é a parte central do boato. Beber água quente ou chá quente não mata o vírus. No artigo que fala em 56 ºC por 30 minutos matar o coronavírus aponta que ninguém consegue ficar tanto tempo exposto à água quente neste temperatura.

Também é importante citar que tanto a OMS como o Ministério da Saúde desmentiram informações que apontam que chás curam o coronavírus. Isso também já foi tratado em outros desmentidos no Boatos.org (leia aqui e aqui).

Resumindo: além de as informações contidas no texto em questão não serem válidas, a história que aponta que os autores da mensagem são os médicos Patrick Martin e Dra. Lidia Rota Vender é falsa. Trata-se de um boato que se modificou para continuar circulando.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61) 99177-9164. 

Clique nos links “bit.ly” para acessar nossos perfis:

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp http://bit.ly/2Ub6wpR

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)