Diretora morreu de Covid-19 por causa de reabertura de escolas no Rio de Janeiro #boato

Boato – Diretora de escola morre de Covid-19 porque ela esteve presente na instituição após a reabertura de escolas no Rio de Janeiro. 

A discussão sobre a volta às aulas tem preocupado famílias de escolas públicas e particulares em todo o Brasil.  No Rio de Janeiro, desde o dia 3 de agosto, quando a prefeitura autorizou a reabertura das escolas, o tema tem provocado polêmicas e dividido opiniões.

Nos últimos dias, uma publicação que viralizou nas redes sociais esquentou o debate sobre o assunto. O texto alertava para a morte por Covid-19 da professora Kátia Vieira, diretora da Escola Municipal Professora Maria Helena Sampaio Marques, em Pedra de Guaratiba, Rio de Janeiro. A publicação associava a morte da diretora à reabertura das escolas no Rio. Leia o que diz a mensagem:

Recebemos hoje a triste notícia do falecimento da diretora Kátia Vieira, da E.M. Professora Maria Helena (10.26.019) 10⁰ CRE. A unidade escolar reabriu na última semana, seguindo as orientações estabelecidas pela prefeitura do Rio de Janeiro, e em poucos dias ela faleceu por covid-19. Lamentamos profundamente e destacamos que esse fato deve alertar toda a rede quanto à reabertura das escolas para atendimento. Sabemos que atividades escolares envolvem riscos enormes a todas as pessoas envolvidas no cotidiano escolar: direção, funcionários, professores, alunos, responsáveis e até moradores próximos à unidade escolar. Começamos a presenciar as graves consequências de atitudes irresponsáveis como a reabertura das escolas neste momento. Precisamos (re)agir e evitar que outras vidas sejam perdidas. Pedimos ampla divulgação deste texto para conhecimento da real situação das escolas municipais do Rio de Janeiro. 

Diretora morreu de Covid-19 por causa de reabertura de escolas no Rio de Janeiro?

O alerta causou comoção e motivou críticas ao plano de flexibilização adotado pela Prefeitura do Rio. Mas será mesmo que a diretora morreu de Covid-19 por causa da reabertura de escolas no Rio de Janeiro? A resposta é não. A verdade é que, neste caso, o alerta é fruto de um mix de verdades e boato.

A morte por Covid-19 da professora Kátia Vieira, infelizmente, é verdadeira. A diretora morreu na madrugada de 21 de agosto de 2020, após sofrer uma parada cardiorrespiratória. Também é fato que Kátia ocupava o cargo de diretora da Escola Municipal Professora Maria Helena Sampaio Marques.

Outro detalhe é que, de fato, as escolas foram autorizadas a retomar as atividades, o que gerou um grande debate em torno dos riscos de contaminação e do preparo das escolas para receber os estudantes. Um estudo, publicado pela Fundação Oswaldo Cruz, apontava que a retomada das aulas poderia expor mais de 600 mil pessoas que fazem parte do grupo de risco para a Covid-19 no Rio de Janeiro.

Os dados da nota técnica “Populações em risco e a volta às aulas: Fim do isolamento social” afirma que o retorno presencial das aulas não envolvem apenas os estudantes, mas todas as outras pessoas que convivem com eles e que podem estar expostos ao risco. Ou seja, se este estudante que estiver na escola, se contaminar e retornar para cara, seus familiares não vão conseguir manter o isolamento social porque o vírus vai estar dentro de casa.

Apesar disso, o falecimento da diretora não ocorreu por causa da volta às aulas. A explicação está nesta matéria do O Dia, onde o filho da diretora, Marlon Jefferson Vieira, confirmou que sua mãe tinha comorbidades e por isso não estava indo à escola. A professora passou o período de isolamento em casa, em Jacarepaguá.

Vale dizer que a própria Prefeitura do Rio de Janeiro se pronunciou sobre o caso. Segundo a nota, publicada pela Secretaria Municipal de Educação, a diretora estava afastada da rotina da escola por ter comorbidades. A Secretaria também lamentou o falecimento da diretora e afirmou que “não há qualquer ligação entre o óbito da gestora com a escola”. Confira trechos da nota:

A Secretaria Municipal de Educação lamenta o falecimento da diretora Kátia Vieira. E lamenta também a tentativa de uso indevido de um falecimento na busca de polêmicas infundadas, porque NÃO HÁ qualquer ligação entre o óbito da gestora com a escola. Deplorável tentar fazer esta associação. A diretora Kátia Vieira, que relatou ter problemas cardíacos, não estava participando da rotina da Escola Municipal Professora Maria Helena Sampaio Marques, em Guaratiba, justamente por ter comorbidade. A coordenadora da 10CRE, Gracinha Muller, combinou com a diretora Kátia Vieira que a diretora-ajunta, Jacira Alves de Almeida, ficaria como responsável pela escola neste período de reabertura para a limpeza do lugar. A adjunta contou com o apoio da coordenadora pedagógica Cristina Magalhães Honório para a reorganização da unidade. 

Sendo assim, podemos afirmar que (infelizmente) a diretora morreu, mas não porque as escolas reabriram, pelo menos, não diretamente. As críticas ao plano de flexibilização são legítimas. O que não é legítimo e legal é sair compartilhando #boato por aí.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61)99177-9164. 

 – Siga-nos no Facebook http://bit.ly/2OU3Zwz
 – Siga-nos no Twitter http://bit.ly/2OT6bEK
 – Siga-nos no Youtube http://bit.ly/2AHn9ke
 – Siga-nos no Instagram http://bit.ly/2syHnYU
 – Grupo no WhatsApp https://bit.ly/318Tn5c
 – Lista no Telegram https://bit.ly/2VSlZwK
error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)