Criança morre após usar pula-pula com pipoca e refri no pulmão #boato

Boato – Criança comeu pipoca, tomou refrigerante e usou pula-pula. Ela morreu com comida no pulmão e abraçada na mãe.

Festa de criança é uma maravilha. Enquanto os pais e mães ficam vigiando os pequenos para não aconteça nada de errado, elas se divertem, correm e pulam. Quando há um brinquedo na festa, a diversão é dobrada, certo? De acordo com um texto que circula na internet, a resposta é não.

Um alerta sobre o uso do pula-pula tem circulado online. De acordo com o texto, uma criança comeu pipoca, tomou refrigerante, usou o pula-pula, chamou a mãe e morreu nos braços dela. Leia o texto que circula online:

Meninas, aqui queria pedir a vcs um pouco de cuidado com as crianças no pula pula em aniversário, uma criança de três anos de uma colega minha faleceu sábado ao comer pipoca tomar regrigerante após pular chamou a mãe e quando ela chegou perto ele a abraçou e morreu em pouco tempo, o pulmão estava cheio de pipoca e regrigerante

 Muito triste, foi enterrado ontem, a mãe grávida nos dias de ter outro bebê está inconformada e o médico pediu para as mães tomarem muito cuidado. REPASSANDO FATO REAL VALE APENA TER CUIDADO.

Criança morreu após usar pula-pula com pipoca e refri no pulmão?

É claro que muita gente ficou preocupada com isso. Mas será mesmo que o pula-pula é um dos grandes perigos para as crianças e que aconteceu a tal história macabra? A resposta é não. Vamos aos fatos.

Primeiro, o texto em si. Assim como a grande maioria dos boatos da internet (sim, a gente vai bater nesta tecla de novo), ele não cita fontes (onde aconteceu, qual o nome da mãe, qual o nome da criança, quando foi), tem um caráter alarmista, tem erros de concordância, português e pede o compartilhamento. Para ter o “pacote completo”, só faltou ser um áudio.

Mesmo sem muitas informações a respeito do assunto, tentamos procurar algum caso parecido. Como era de se esperar, achamos alguns casos de mortes no brinquedo. Porém, nenhum deles era de morte relacionada à ingestão de alimentos ou tinha narrativa semelhante à descrita acima.

Outra coisa. A questão do alimento “chegar” até o pulmão só acontece durante a ingestão do alimento (o popular “comida no buraco errado”) ou por problemas digestivos como, por exemplo, o refluxo. Ou seja, se a criança não tem um desses problemas, é impossível a pipoca que ela consumiu ir para o pulmão.

Uma hipótese que poderia ter acontecido seria um caso de congestão. O que com pipoca é algo muito difícil, visto o grau de saciedade do alimento (você não precisa comer muita pipoca para ficar satisfeito). Se a criança tivesse comido uma dobradinha ou uma feijoada e ido para o pula-pula, o caso seria diferente.

Resumindo: a característica do texto, a falta de um “caso catalogado” e a própria falta de nexo da história faz a gente chegar à conclusão de que se trata de um boato. Não houve caso de morte por congestão em um pula-pula, muito menos com pipoca.

PS: Esse artigo foi uma sugestão dos leitores (e amiga) Liliane Farias, Karla Nogueira, Maurício Marinho de Souza, Emmanuel Gerk, Débora Gomes e outros três leitores que não se identificaram. Se você quiser sugerir um tema para o Boatos.org entre em contato com a gente pelo site, no Facebook ou no WhatsApp, pelo telefone 61 99331 6821.

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet