Bactéria do dinheiro não tem cura e mata em 21 dias! Cuidado! #boato

Boato – Áudio no WhatsApp relata caso de caixa de supermercado que pegou a bactéria do dinheiro e tem, de acordo com médico, 21 dias de vida. Se você quiser ler o desmentido sobre o caso da menina de São Luís que se infectou com a bactéria do dinheiro, clique aqui. 

Quem acompanha programas televisivos ou portais de internet já deve ter ouvido falar, pelo menos uma vez, de alguma notícia com o título “nome do objeto + é mais sujo do que vaso sanitário”. Um dos exemplos clássicos é o dinheiro. Volta e meia aparece uma matéria (que não é falsa) destacando o quanto as cédulas são sujas. Porém, um áudio no WhatsApp está elevando a coisa a níveis extremos.

A história narrada por uma mulher que se diz “muito religiosa” dá conta de que uma caixa de supermercado de 21 anos está apenas com 21 dias (um dia por ano de idade) de vida. O motivo seria a famosa bactéria no feijão. Leia a transcrição do áudio que circula online e escute o arquivo que está rodando no WhatsApp.

Raquel, a paz de Deus. Tô mandando essa mensagem pra você pra pedir oração para uma irmãzinha, que é das meninas aqui, que ela tem 21 anos e é para ser um alerta para as irmãzinhas e irmãs que você conhece e passa pra frente. Ela tem 21 anos, tem a idade da Layane minha e trabalha no caixa de um supermercado e nesses dias ela foi na loja em que a Layane trabalha e ela tava assim, toda cheia de hematoma e umas feridas no corpo. Aí a Layane perguntou, falou que os médicos tinham feito um exame nela e era a bactéria do dinheiro.

E ela foi fazer os tratamentos. Só que o médico falou pra mãe dela hoje que esta bactéria não tem tratamento, que ela precisa ficar internada, ela já se internou, se não me engano foi sexta-feira que ela se internou e hoje o médico chamou a mãe dela e disse que essa bactéria não tem cura e que deu 21 dias de prazo de vida pra ela. Aí eu tô te ligando pra você pedir oração para as irmãs que nós vamos orar, pra você passar pra frente pras irmãzinhas que trabalham em supermercado. Até a gente. E pra sua nora, que tem um mercado. Usou o dinheiro, o médico falou, lava a mão. Não tem como lavar, passa alcool em gel. Aí você passa pra frente. Tá. Paz de Deus que abençoe.

Bactéria do dinheiro não tem cura e vai matar mulher em 21 dias?

O áudio tem se espalhado no WhatsApp junto a uma foto de uma mulher com roupa de hospital (é provável que esteja internada no apartamento) e tem chamado muita atenção. Mas será mesmo que há uma bactéria no dinheiro que está se espalhando, não tem cura e mata em 21 dias? A resposta é não. Vamos aos fatos.

Ao buscar sobre a “bactéria do dinheiro” não encontramos na medicina tradicional nenhum tipo de doença ou bactéria com esse nome (muito menos que mate em 21 dias). Como falamos no início do texto, o dinheiro tem um monte de bactérias (por isso é dinheiro e não alimento). Porém, não existe uma bactéria “exclusiva de cédulas”.

Mesmo que a mulher trabalhasse na casa da moeda (que, aliás, deve ter cédulas com menos bactérias) nenhum médico da humanidade conseguiria cravar que foi uma nota de dinheiro o responsável pela bactéria. Aliás, não encontramos nenhum caso de óbito relacionado ao dinheiro sujo (estamos falando de bactérias, claro). Logo podemos supor que a tese surgiu, olha só, “do nada”.

Agora, vamos ao áudio. No início, a mulher usa uma linguagem religiosa por um motivo muito simples: sabe que se falar em “pedir orações”, vai conseguir viralizar o conteúdo. Fingir ser de uma religião cristã também dá uma credibilidade porque muitos partem do pressuposto que “evangélico não mente”. E aí, as pessoas engolem uma história sem pé nem cabeça como essa. Olhe a quantidade de furos.

1) A Layane contou que a caixa de supermercado tinha a bactéria do dinheiro enquanto ela estava na rua. Mas se a “bactéria” fosse grave, não seria o caso de ela se internar. Afinal, o médico já tinha descoberto a bactéria do dinheiro e estava “zanzando” na loja da Layane. Ela poderia até passar a bactéria para a filha da interlocutora. A não ser que pagasse as compras da loja no crédito, claro.

2) A pobre caixa de supermercado foi fazer o tratamento, mas aí o médico disse que não tem tratamento… Oi? Se não tem tratamento, ela não foi fazer nada, né?

3) Caramba! Esse médico é bom! Além de acertar que a bactéria veio do dinheiro, o nosso “Dr. House” crava que menina vai ter 21 (não é 20 nem 22) dias de vida. Para piorar, ele ainda manda ela se internar no hospital para morrer. Além de bom, ele é sádico.

4) A mulher do áudio fala que ela está cheia de hematoma. Mas a foto é claramente de manchas vermelhas (muito similares a doenças como sarampo e catapora ou alergias). Hematoma, meu amor, é outra coisa.

5) Junte isso aos diversos erros de concordância do texto e falta de nomes e dados mais exatos e, obviamente, temos mais um boato que circula na internet.

Resumindo: obviamente, você não vai sair pegando no dinheiro para pagar o McDonald e comendo batata frita com a mesma mão sem nem ao menos lavar ela (pelo menos você não deveria fazer isso), mas o fato é que a história que fala da bactéria do dinheiro que mata em 21 dias é um conto (dos bens ruins) de pescador. Pe(s)cadora, no caso.

Ps.: Esse artigo é uma sugestão de leitores do Boatos.org. Se você quiser sugerir um tema ao Boatos.org, entre em contato com a gente pelo site, Facebook e WhatsApp no telefone (61) 994325485.

Compartilhe este artigo:

Edgard Matsuki

Jornalista e caçador de falcatruas na internet

3 comentários em “Bactéria do dinheiro não tem cura e mata em 21 dias! Cuidado! #boato

  • 29/11/2017 em 17:38
    Permalink

    Aqui no Maranhão a bacteria do dinheiro é interessante porque somente as notas de 10 20 e 50 estao contaminadas. As de 2 5 e 100 estão limpas. É facil entender: A garoupa, a garça e a tartaruga destroem a bacteria mas a onça o mico e a arara não. kkkkk

    Resposta
  • 29/11/2017 em 15:32
    Permalink

    Talvez ela comeu mto dinheiro e a bacteria se alojou e espalhou pelo organismo dela ne?

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

error: Em vez de copiar o nosso conteúdo, compartilhe no Facebook :)